terça-feira, julho 23, 2013

Umas no cravo e outras na ferradura


 
   Foto Jumento
 
 photo Atildelfama_zpsdbddb9f3.jpg
   
Alfama, Lisboa
   
Imagens dos visitantes d'O Jumento
 
 photo Palacio-da-Pena_zpsfb56fc40.jpg
   
Palácio da Pena [J. ferreira]
    
 Cavaco entalou Seguro?

Esta foi a brilhante conclusão de Marcelo Rebelo de Sousa, Cavaco entalou Seguro. Isto é, o governo odiado é o mesmo, o presidente desprestigiado é o mesmo, a política falhada é a mesma, a crise financeira e a política da senhora Merkel é a mesma, os incompetentes da troika que se costumam pavonear em Lisboa são os mesmos e no meio disto tudo era Seguro que ia salvar o país?

Marcelo deve estar ou ser parvo, a manobra de Cavaco e os seus objectivos eram evidentes e um presidente que quer entalar o líder a oposição está a entalar-se a si próprio. O que Cavaco fez foi dar um golpe baixo na democracia portuguesa e se alguém saiu entalado e com o rabinho entre as pernas foi o senhor do polo azul cueca.

Daqui a alguns dias o verdadeiro primeiro-ministro será Paulo Portas que não tem consideração pela ministra das Finanças e o presidente será o desprestigiado Cavaco Silva. Daqui a dois anos todos estes políticos estarão enterrados num qualquer cemitério político, Passos como o mais incrivelmente incompetente primeiro-ministro e Cavaco como alguém que ainda foi mais incompetente do que qualquer presidente do salazarismo, o único sobrevivente será Seguro.

 Quando o analista confunde a realidade com o desejo dá nisto
 
 photo desejo_zpsc681abbe.jpg
 
 Prato do dia em Belém: Portas a vice-primeiro-ministro
 
 photo sapo_zps8698a3a1.jpg
   
   
 Sobe, sobe, dívida sobe
   
«De acordo com os dados trimestrais da dívida pública do gabinete oficial de estatísticas da União Europeia (UE), só a Grécia (160,5%) e a Itália (130,3%) registaram, entre janeiro e março deste ano, rácios de dívida pública em percentagem do Produto Interno Bruto (PIB) superiores ao de Portugal (127,2%), enquanto os mais baixos pertenceram à Estónia (10%), à Bulgária (18%) e ao Luxemburgo (22,4%).

Portugal registou a sexta maior subida da UE relativamente ao quarto trimestre de 2012 (3,4 pontos percentuais), numa tabela liderada pela Irlanda, seguida pela Bélgica e pela Espanha, e o quarto maior aumento na comparação com os primeiros três meses do ano passado (14,9 pontos percentuais), depois da Grécia (24,1 pontos percentuais), da Irlanda (18,3 pontos percentuais) e de Espanha (15,2 pontos percentuais).» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:

É a dívida a subir e o PIB a descer.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamente-se.»
  
 Portas já começou a descer
   
«O primeiro-ministro afirmou hoje que Paulo Portas vai ter um papel nas relações com a 'troika' enquanto vice-primeiro-ministro, mas sem se sobrepor às "competências próprias" da ministra de Estado e das Finanças, Maria Luís Albuquerque.

Pedro Passos Coelho fez esta afirmação em declarações à comunicação social, no final de uma visita à unidade de cuidados continuados da Santa Casa de Misericórdia de Vila de Rei, no distrito de Castelo Branco.

Nestas declarações, o primeiro-ministro referiu que será o Presidente da República, Cavaco Silva, a comunicar ao país os termos da remodelação do Governo, cuja proposta disse ser já do conhecimento do chefe de Estado e que será formalizada junto de Belém "muito em breve", incluindo a nomeação de Paulo Portas para vice-primeiro-ministro.» [i]
   
Parecer:
 
Pobre Portas, vai pagar a crise política com língua de palmo, com a imagem destruída no CDS e no país ou faz o que o Passos manda ou ainda é remodelado.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»
   
 Segundo resgate
   
«Até ao final este ano, o Governo vai ter de acertar com a troika se, após o cumprimento do actual programa, conseguirá recorrer a um programa cautelar ou se precisará de um segundo resgate. Ou seja, explica o Diário Económico, esta questão ficará definida aquando da 10ª avaliação do programa de ajustamento, prevista para o mês de Novembro.

O jornal recorda que a primeira possibilidade, de um programa cautelar do Mecanismo de Estabilidade Europeu (MEE), já foi apontado, várias vezes e por diversas personalidades, como o caminho de Portugal no período pós-troika, que começará em Junho de 2014. Porém, a crise política em que o País mergulhou nas últimas semanas pode condicionar o acesso de Portugal aos mercados já no próximo ano e, consequentemente, conduzir a um segundo resgate.» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:
 
A plataforma de salvação naconal não passou de uma tentativa de eliminar a oposição e fazer passar mais uma dose brutal de austeridade ao abrigo de um segundo resgate.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Espere-se para ver.»
   
 Confiança, dizem eles
   
«“A crise política em Portugal parece estar resolvida por agora, embora a aparência de união entre os partidos de coligação seja difícil de manter, no caso de a economia continuar a decepcionar em relação às expectativas”, poder ler- se numa nota de análise do Citigroup, citada pelo Jornal de Negócios. 

O banco norte-americano faz ainda referência ao facto de o Governo ter sido obrigado a adiar a oitava avaliação ao programa de ajustamento português, que estava planeada para 15 de Julho, para o final de Agosto ou início de Setembro, deixando dúvidas sobre a aptidão de Portugal cumprir o programa acordado.» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:
 
Só um doido acredita netsa dupla incompetente e oportunista.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»
blog comments powered by Disqus