quarta-feira, julho 29, 2015

O Dono de Quase Tudo ou Disto Tudo Menos Dele

Ricardo Salgado já não é o Dono Disto Tudo, mas pelo respeito que algumas personagens demonstram ter por ele teremos de concluir que ainda é o Dono de Quase Tudo e se isso não é verdade teremos de concordar com o que o que muitos portugueses dizem à boca pequena, que se Ricardo Salgado abir a boca vai registar-se uma pequena cheia do Tejo, provocada pela incontinência urinária que afectaria muito no bexiga desta praça.
  
Um dos aspectos mais ridículos deste respeitinho pelo Dr. Salgado foi-nos dado pelo digníssimo Conselho Superior da Magistratura. Até aqui jornais, ministério Públcioe advogados sempre falaram em prisão domiciliária. Sócrates, Duarte Lima, Armando Vara, Zhu Xiaodong, Manuel Jarmela Palos e muios arguidos em processos envolvendo personalidades públicas ficaram em “prisão domiciliária”. Mas no caso de Ricardo Salgado o CSM não usa este termos por ser ofensivo para o DDT, chama-lhe antes estar confinado à sua casa e não vá o povo rir à gargalhada não se refere ao grande jardim que rodeia o palacete, prefere chamar lugadouro ao imenso espaço verde que rodeia a casa e a piscina.
  
O próprio CSM vem agora explicar os mais ignorantes que o sr. Doutor juiz nada tem que ver com o facto de Salgado não ter de usar pulseira, isso é matéria da competência da PSP: Isto é, os chefes da esquadra decidiram na semana passada que não há condições para vigiar Armando Vara que vive num apartamento num edifício com 10 andares, mas já haviam meios para que não exista o perigo de Ricardo Salgado fugir de uma vivenda com um “lugadouro” do tamanho de meio campo de futebol! Alguém está a gozar com os protugueses.
  
Ainda mais divertido é o facto de alguns jornais falarem em conflitos entre o superjuiz e o procurador Teixeira, que defenderia a liberdade para Ricardo Salgado. Curiosamente quando o caso envolveu Sócrates o MP justificou a recusa da prisão domiciliária sem pulseira. Agora faz-se constar que quem teve a brilhante ideia de deixar Cascas sem polícia foi o superjuiz, enquanto o CSM vem esclarecer que o culpado foi o cabo da quarda.
  
Quem se deve estar a rir disto tudo é o Dono de Quase Tudo pois com os emigrantes que ficaram falidos depois de investirem no BES a passar férias por Portugal a última coisa que lhe passaria pela cabeça era sair de casa. Ricardo Salgado não só tem razões para estar agradecido ao Alexandre como até lhe odevia oferecer a casa da Comporta para o magistrado passar as suas féria por conta dos polícias que lhe guardam a casa sem ter de lhes pagar um tostão.
  
Dizer que os agentes que estão á porta do Ricardo Salgado para identificar os netos que entram de Lambreta ou perguntar quem é ao senhor que sai num Mercdes descapotável sem dar uma olhadela ao porta-bagagens só pdoer merecer uma gargalhada. É demasiada encenação para que o superjuiz passe a imagem de durão com o Dono Disto Tudo Menos Dele.

blog comments powered by Disqus