domingo, julho 19, 2015

Semanada

Foi por um mero acaso que os portugueses apanharam Pedro passos Coelho a mentir, cois que, como é sabido, é rara neste exemplo de honestidade que é o primeiro-ministro. Para desmontar o mito urbano de que o seu governo tudo fez para atirar a Grécia para o abismo a fim de poder usar a miséria alheia em seu favor Passos Coelho veio a público declarar o contrário, como prova da sua amizade ilimitada com os gregos explicou que, por acaso, foi ele que encontrou a solução que viabilizou o acordo com a Grécia. Também foi por mero acaso que três dias depois se confirmou mais uma vez o velho ditado que nos ensina que é mais fácil apanhar um mentiroso do que um coxo.
  
Na mesma semana o nome de Maria de Belém apareceu associado à Santa Casa e a Belém. Competência à parte a senhor tem uma boa imagem para as duas direcções, o ar de santinha que nada faz que seja capaz de lhe estragar o penteado faz dela uma forte concorrente ao lugar de Santana Lopes. Quanto a Belém o seu nome diz tudo, além disso quem foi capaz de ser comentadora residente da CMTV e quem demonstrou ser uma presidente do PS à altura das circunstâncias quando esteve em causa a liderança deste partido merece a confiança dos portugueses. O problema é que os portugueses que não votarem nela vão ter um forte desejo de fugir só de pensar que a senhora vai mesmo residir em Belém.
  
O marido da ministra das Finanças foi acusado de vários crimes que o transformam numa espécie de bandido para os jornalistas. Curiosamente a ministra não fez algum comentário. Querem ver que este governo já fez mais uma baixa e ninguém deu por isso?
  
Parece que o competentíssimo Paulo Macedo acha que se pode ir ainda mais longe na destruição do SNS a partir de dentro. Depois de há poucos meses ter acusado a Ordem dos Médicos da morte de portugueses abandonados nas urgências (abandonados mas bem deitados como explicou o seu secretário de Estado) com o argumento de que a falta de médicos se deve à política da OM em matéria de formação de médicos, eis que sugere aos poucos médicos que vai resistindo á tentação de emigrar que há vagas bem remuneradas n Alemanha. A conclusão é óbvia, Paulo Macedo quer que morram mais doentes ao abandono para desnatar o SNS dos “bons clientes” para depois dar as culpas à Ordem. Neste momento promover a emigração de médicos é uma tentativa de homicídio de utentes do SNS.
 
blog comments powered by Disqus