domingo, março 26, 2017

Umas no cravo e outras na ferradura




 Jumento do Dia

   
Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República

Marcelo tem-se desdobrado em comentários sobre o défice que apontam para uma espécie de neutralidade do mesmo em relação às políticas ou à competência dos governantes, quase dando a entender que o défice de 2016 está ao nível dos resultados do governo de Passos Coelho.

Este tipo de declarações reduzem a política do governo a um papel de mero contabilístico, ignorando que foi adoptada uma forma mais justa de encarar a austeridade e que os orçamentos do governo do seu partido não só falharam sucessivamente, como assentaram sempre em medidas inconstitucionais.

«"Acho que há duas boas notícias. Uma é de que é possível com governos diferentes, com políticas diferentes, por caminhos diferentes, realizar o mesmo objetivo nacional, que é o controlo do défice, e isso é bom para o pluralismo e para democracia em Portugal", disse Marcelo Rebelo de Sousa.


O chefe de Estado, que falava à entrada para um jantar com estudantes da Universidade de Coimbra, que assinalaram o 55.º aniversário do Dia do Estudantes, salientou ainda que o valor do défice confirma que "os governos são diferentes, mas o povo é o mesmo, é um grande povo, o herói deste feito".

"Foi isso que eu expliquei em Bruxelas e foi isso que em Bruxelas se viu com admiração e com apreço, porque ao longo destes anos há uma constante, que é a capacidade dos portugueses de realizar este objetivo nacional", frisou.» [Notícias ao Minuto]

      
 Ajudar o Roberto
   
«Roberto Beristain foi detido quando se dirigiu ao Serviço de Polícia da Imigração e Controlo Aduaneiro (ICE, na sigla em inglês) para renovar o seu visto, no passado dia 6 de fevereiro. O mexicano está sob custódia policial desde essa altura, de acordo com o New York Daily News.

O homem de 43 anos, residente em Indiana, já tinha sido detido no ano 2000, quando chegou aos Estados Unidos, mas ignorou a ordem de deportação que lhe tinha sido dada na altura porque não queria deixar a mulher.

A família está desde então a tentar conseguir o ‘green card’ para o patriarca. A filha confessou, em entrevista ao mesmo jornal, que a mãe votara em Donald Trump porque “concordava com a sua postura mais rígida em relação à deportação de imigrantes ilegais que tivessem cometido crimes”.» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:

Esposa estúpida.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «O pobre do Roberto teve o que mereia.»
  
 Portugal vai sair do procedimento de défice excessivo
   
«Durante a crise, mais de 10 países estavam sob procedimento por défice excessivo, agora restam três. Portugal sairá em breve, a França em 2017 e a Espanha em 2018”, declarou o comissário, na entrevista hoje publicada pelo jornal italiano, no dia em que os chefes de Estado e de Governo da União Europeia celebram, em Roma, o 60.º aniversário dos Tratados fundadores da União.

Na sexta-feira, o Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgou que o défice orçamental ficou nos 2,1% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2016, em linha com o previsto pelo Governo e um valor que abre caminho ao encerramento do PDE.

Na primeira notificação ao Eurostat, no âmbito do PDE, o Instituto Nacional de Estatística refere que, em contas nacionais, as que contam para Bruxelas, o défice das Administrações Públicas se fixou em 3.807,3 milhões de euros no conjunto do ano passado, o que corresponde a 2,1% do PIB.

O valor reportado na sexta-feira ao Eurostat abre a porta para que Portugal saia do PDE aplicado ao país desde 2009, por ser inferior não só ao valor de referência de 3,0% previsto no Pacto de Estabilidade e Crescimento (PEC), mas também da meta mais exigente, de um défice de 2,5% do PIB, definida para o país aquando do encerramento do processo de aplicação de sanções.» [Eco]
   
Parecer:

Agora só falta esperar que apareça o Passos e a Maria Luís a dizerem que foi obra sua.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Espere-se para ver.»

 Deputados empresários
   
«O PSD quer reduzir o leque dos impedimentos dos deputados e permitir, desde logo, que as empresas detidas (total ou parcialmente) por estes possam participar em concursos públicos para fornecimentos de bens ou serviços. É o único partido com uma proposta que “afrouxa” as regras actuais aos deputados, enquanto todos os outros pretendem apertá-las.

As propostas estão em análise na Comissão Eventual para o Reforço da Transparência em Funções Públicas desde Maio do ano passado, mas esta comissão não tem uma reunião pública há cinco meses. Segundo disse ao PÚBLICO o presidente, Fernando Negrão, a comissão tem estado a trabalhar à porta fechada na “condensação, eventual fusão e conjugação” das diferentes propostas, em especial no que diz respeito à alteração do estatuto dos deputados.» [Público]
   
Parecer:

Era só o que faltava...
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se a merecida gargalhada.»

blog comments powered by Disqus