segunda-feira, março 06, 2017

Umas no cravo e outras na ferradura




 Jumento do Dia

   
Bruno Carvalho

Bruno de Carvalho deve ter pensado que as eleições no SCP eram disputadas contra listas do FCP e do SLB, talvez por isso se tenha lembrado de conspurcar o nome do tio avô atribuindo-lhe a frase "bardamerda para todos os que não são do Sporting". Da parte que me toca aqui fica a resposta, bardamerda para o Bruno de Carvalho.

Parece que as instituições desportivas do país começam a ser lideradas como se fossem gangues de marginais, o que é lamentável e vai acabar por dar maus resultados. Para a história fica a escolha de um Trump para a liderança do segundo maior clube português.

 Dúvidas que me atormentam

zSe vejo distintas personalidades a apoiar Bruno de Carvalho, os seus métodos e o seu discurso, o que impede um qualquer Trump de Odivelas de chegar ao poder? Será que o mundo da bola é um mundo à parte ou os critérios dos eleitores são tão exigentes na política como o são na bola?

      
 O Trump de Alvalade ganhou as eleições
   
«“Ouvi hoje em muitos programas comentadores dizerem que era um populista. Não, gosto é de estar ao vosso lado, ao lado dos sócios. Por isso, e como dizia o meu tio-avô Pinheiro de Azevedo, que foi primeiro-ministro, bardamerda para todos aqueles que não são do Sporting Clube de Portugal. O Sporting está aqui para liderar e podem vir com o que quiserem que o Sporting está para ficar. Ao contrário de outros, nunca vi sportinguistas rasgarem cartões mesmo quando não ganham”, atirou.

“Que os rivais parem de falar de um Sporting dividido e com problemas. Entrámos numa nova era onde o Sporting deixou de ter medo. Ao Sporting não podem fazer mal porque quem o fizer será meu inimigo e dou a vida pelo Sporting”, rematou.» [Observador]
   
Parecer:

Vamos continuar a ter espectáculo.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «d~e-se a merecida gargalhada.»
  
 MP não pode aceder a dados fiscais
   
«Na sua edição de hoje, o Diário de Notícias dá conta de que as Finanças estão a recusar partilhar dados com o Ministério Público sobre as transferências para 'offshore', alegando a obrigação de sigilo fiscal e impedimentos legais para o fazer.

Numa nota enviada à agência Lusa, fonte oficial do Ministério das Finanças confirma que "a falta de acesso decorre da lei vigente, razão pela qual o Governo pretendeu alterar a legislação através da proposta de lei n.º51/XII".

Esta lei, que "altera o regime de congelamento e de perda dos instrumentos e produtos do crime na União Europeia", transpondo uma diretiva europeia de 2014, foi aprovada no início de fevereiro na generalidade (com os votos a favor de todos os grupos parlamentares, à exceção do CDS-PP e do PAN, que se abstiveram, inclui, entre outras alterações), estando agora em discussão na especialidade.» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:

Estava convencido de que podia...
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»

 Ministro do RU faz ameaças
   
«O ministro das Finanças britânico, Philip Hammond, disse hoje que o Reino Unido "vai contra-atacar" e "fará o que tiver de fazer" se não alcançar o acordo que pretende para a saída da União Europeia ('Brexit').

"Se alguém na União Europeia pensar que o Reino Unido se vai comportar como um animal ferido se não chegar a acordo com a União Europeia, isso não vai acontecer. Os britânicos têm um grande espírito de luta e vão contra-atacar. Vamos fazer novos acordos comerciais em todo o mundo e definiremos o nosso negócio a nível mundial", disse Philip Hammond, numa entrevista à BBC.» [DN]
   
Parecer:

É mero bluff.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»

blog comments powered by Disqus