quinta-feira, abril 30, 2015

Umas no cravo e outras na ferradura



 Foto Jumento


 photo _ajuda_zpsyvzpbquf.jpg

Vila Maria da Luz, Ajuda, Lisboa
  
 Jumento do dia
    
Hélder Trindade, presidente do Instituto Português do Sangue

Parece que ir às prostitutas ao Conde Redondo não é problema para a doação de sangue, o grande problema está nas relações entre homossexuais.

«O presidente do Instituto Português do Sangue e da Transplantação (IPST) afirmou esta quarta-feira que é um fator de exclusão para a dádiva de sangue ser homem e ter tido sexo com outros homens.

Segundo Hélder Trindade, que foi ouvido na comissão parlamentar de Saúde, o instituto não faz qualquer discriminação em função da orientação sexual, mas sim em função da prática sexual.

"O contacto sexual de homens com outros homens é definido como fator de risco", afirmou o presidente do IPST, sem contudo reconhecer tratar-se de preconceito, como acusam os partidos da oposição.» [Expresso]

  Terá batido com a cabeça nalguma parede?

 photo _bateu_zps0am3bj7e.jpg


Confesso que em tempos manifestei alguma simpatia por esta senhora, deixei de a ter quando a ouvir juntarse ao coro do esfola sempre que a troika dizia mata. A senhora tem uma concepção da política económica muito própria. Os economistas não são propriamente matemáticos, h´correntes antagónicas e só alguém com pouca honestidade intelectual se pode arvoar com o direito de avaliar as propostas daqueles de que discorda. É como se a medicina tradicional chamasse a si a avaliação e a decisão sobre o que a medicina convencional pode fazer nos hospitais públicos.

Além disso, não se entende a razão porque serão sujeitas a visto prévio de uma qualquer Teodora as medidas no domínio económico e o mesmo não se faz em relação ao ambiente, á saúde, à educação e a muitos outros domínios importantes para o futuro do país. E porque não sujeitar as nomeações nos cargos do Estado e no governo a um visto prévio do Ministério Público ?

Ainda na mesma linha de ideias de Marco António ainda antes de avaliar as propostas dos partidos da oposição pois só essas são duvidosas na opinião do novo rico de Valongo, faz sentido criar uma comissão técnica independente para avaliar as mentiras dos governantes que pretendem renovar o seu mandato. Seguindo ainda a ideia defendida por Ferreira Fernandes na sua crónica no DN faria sentido auditar o PSD para se saber se as suas propostas e medidas são compatíveis com a sigla que ostenta, pois podemos estar perante um caso grosseiro de publicidade enganosa.

Deixo aqui uma sugestão à Dra. Teodora que devido a um qualquer acidente perdeu a noção das competências do seu conselho e quer ter no domínio da política económica os poderes dos coronéis na reserva no tempo da censura prévia, que leia de novo as competências do Conselho de Finanças Públicas para que não volte a fazer figuras tristes. Que a senhora se sinta a título pessoal no direito de se armar em coronel na reserva é uma coisa, outra é exceder-se nos poderes que o conselho que dirige lhe confere. E o que a senhora pretende não consta das atribuições do Conselho de Finanças Públicas são as seguintes:

a) Avaliar os cenários macroeconómicos adotados pelo Governo e a consistência das projeções orçamentais com esses cenários;

b) Avaliar o cumprimento das regras orçamentais estabelecidas;

c) Analisar a dinâmica da dívida pública e a evolução da sua sustentabilidade;

d) Analisar a dinâmica de evolução dos compromissos existentes, com particular incidência nos sistemas de pensões e saúde e nas parcerias público-privadas e concessões;

e) Avaliar a situação financeira das regiões autónomas e das autarquias locais;

f) Avaliar a situação económica e financeira das entidades do sector público empresarial;

g) Analisar a despesa fiscal;

h) Acompanhar a execução orçamental.

Muito mal estará este país se cada um decidir o que pode fazer nas suas instituições, violando a lei, abusando do poder e condicionando o regular funcionamento da democracia.
 
 Interrogações que me atormentam

Porque será que os muitos defensores da vida ligados à Igreja Católica e que tanto se têm manifestado ao longo dos últimos anos ficaram em total silêncio em relação à criança de 12 anos que está internada no HSM e ficou grávida na sequência de abusos sexuais?

 Abriu o ramal da Lousã, após intervenção de Portas!

 photo _ramal_zpslfqpqcnc.jpg

Foi a grande novidade que me chegou por email com a fotografia do novo ramal. Com um ramal destes o CDS tem as eleições no papo!

 The beauty of pollination


  
      
 E auditar os líderes que mentiram, pode?
   
«O PS tem um programa económico para as eleições. Ele diz que vai burilar e só quando disser "este é o nosso programa" é que será o seu programa eleitoral (e, sabemos todos, de todos os programas, de todos os partidos, quanto isso é volúvel). Agora, Marco António, do PSD, quer que especialistas de apoio parlamentar façam uma auditoria ao programa do PS. Isso só pode ser uma chicana própria da época pré-eleitoral. Porque a ser mais que um truque, seria um golpe de Estado. Seria pôr a Assembleia da República e qualquer das suas comissões a dar bitaites aos programas eleitorais. Está-lhes a dar forte, aos políticos! Depois da tentativa de controlarem o "plano de cobertura eleitoral" dos jornais, querem, agora, controlar os programas eleitorais dos partidos. A reação dos jornais permitiu mandar aquela tentativa às urtigas; mas não é claro que a reação ao controlo dos programas seja tão cidadã. É que se a estupidez do PSD, neste caso da auditoria, é igual à de PSD, PS e CDS, no outro, pode haver a tentação de o PS querer correr o risco que os jornais, por princípio, não aceitaram. É sempre politicamente aliciante ser sujeito a um exame em que se pode passar. Ora, o problema não é de circunstância, é de princípio: quem garante que, amanhã, com outro Parlamento, não se manda uma comissão auditar, por exemplo, as siglas? "Verde", quão verde? Do "centro", mesmo?... Ou auditar líderes: esse mentiu da outra vez, não pode ser cabeça de lista.»  [DN]
   
Autor:

Ferreira Fernandes.


 Um país cada vez mais feio
   
«Segundo a Sic Noticias, estão a decorrer buscas no ministério dos Negócios Estrangeiros, ministério da Administração Interna e em empresas. Elementos da Polícia Judiciária estão também a fazer buscas nas instalações da direção regional do Norte do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, no Porto, revelou a Lusa.

A PGR confirma que no âmbito do inquérito dirigido pelo DCIAP estão a decorrer várias diligências - 34 são buscas"em diversos organismos públicos, nomeadamente serviços da Secretaria de Estado dos Assuntos Fiscais, Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), serviços do Ministério das Finanças, entre outros, bem como em diversas empresas e residências particulares".

Neste inquérito "investigam-se, entre outras, matérias relacionadas com a atribuição de vistos gold e estão em causa suspeitas de crimes de corrupção, tráfico de influências, peculato e branqueamento de capitais", garante a PGR.» [DN]
   
Parecer:

É muito feio ver buscas num gabinete governamental, ou a justiça está a eprseguir a corrupção ou persegue a democracia.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Aguarde-se pelo desfecho deste espectáculo lamentável.»

 Decisão duvidosa
   
«O presidente do Instituto Português do Sangue e da Transplantação (IPST) afirmou esta quarta-feira que é um fator de exclusão para a dádiva de sangue ser homem e ter tido sexo com outros homens.

Segundo Hélder Trindade, que foi ouvido na comissão parlamentar de Saúde, o instituto não faz qualquer discriminação em função da orientação sexual, mas sim em função da prática sexual.

"O contacto sexual de homens com outros homens é definido como fator de risco", afirmou o presidente do IPST, sem contudo reconhecer tratar-se de preconceito, como acusam os partidos da oposição.» [Expresso]
   
Parecer:

Mas não há problema se for cliente habitual de um bordel.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»

 Eu é que sou o presidente da junta!
   
«Em entrevista a um jornal alemão, o ministro das Finanças da Grécia diz que é ele quem continua a marcar o compasso nas conversações com o Eurogrupo.

Depois da agitação europeia em torno do afastamento de Yanis Varoufakis da negociação grega com os parceiros europeus, o ministro das Finanças veio esclarecer, numa entrevista ao jornal alemão Zeit que ainda é ele o responsável do governo pelas negociações com os credores, e que um acordo está mais próximo do que os media julgam.

"Eu marco o compasso. Ainda sou responsável pelas negociações com o Eurogrupo". A afirmação ao semanário germânico segue-se ao que foi anunciado como uma remodelação promovida por Tsipras na segunda-feira, reduzindo Varoufakis a um papel menor nas negociações. Por detrás desta decisão do primeiro-ministro estará a incapacidade demonstrada pelo ministro das Finanças em conseguir bases de entendimento com os parceiros europeus, especialmente na reunião em Riga, no fim-de-semana passado.» [DE]
   
Parecer:

Este Varoufakis saiu melhor do que a encomenda.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: Sorria-se.»

 Não será melhor confirmar com a UCTAD
   
«O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, defendeu hoje que a recuperação económica de Portugal poderá ser "mais vigorosa" nos próximos anos, mas alertou que tal depende das "escolhas políticas" e "do dia-a-dia" que forem feitas.

"É com realismo que lhes digo que, se soubermos manter aquilo que tem sido a nossa persistente recuperação, não há nenhuma razão para pensar que não estaremos em condições, nos próximos anos, de assistir a uma recuperação mais vigorosa da economia em Portugal", afirmou.» [DE]
   
Parecer:

Parece que as previsões económicas de Passos Coelho estão dispensadas de auditorias prévias.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se a Passos se vai mandar as suas previsões para a UCTAD e para o Conselho de Finanças Públicas.»
  

   
   
 photo Oleg_O-2_zpsqea2s7je.jpg

 photo Oleg_O-4_zpsaxhvo09g.jpg

 photo Oleg_O-3_zpsji7ihkng.jpg

 photo Oleg_O-1_zpsacwkss3r.jpg

 photo Oleg_O-5_zpszaw6lida.jpg
  
blog comments powered by Disqus