sábado, fevereiro 11, 2017

Umas no cravo e outras na ferradura




 Jumento do Dia

   
Rui Moreira, o maior

Viba o Porto, tudo graças ao Rui Moreira, chegou a presidente e já está!

«O Porto volta a ser, em 2017, o destino europeu do ano, com uma votação recorde e que chegou de sítios absolutamente inesperados. Vá-se lá explicar porque é que os votos solitários de sítios como as ilhas Caimão, Feroé e Fiji, ou o Congo foram todos para o Porto. O presidente da câmara da cidade, 

Foi assim que o autarca terminou a conferência de imprensa em que admitiu estar “contente” com a terceira distinção para a cidade, na competição promovida pela European Consumers Choice. E razões não lhe faltam. O Porto não só obteve 32% dos votos totais, como conseguiu a maior votação de sempre, com 138.116 votos, tendo sido a escolha de países tão improváveis como o Afeganistão ou a Antígua, locais que enviaram dois votos cada e todos para o Porto.» [Público]

 A trampalhada

O problema do Trump não está no Obamacare, se os americanos querem ou não que os pobres sejam tratados ou se preferem que morra à porta dos hospitais é um problema interno deles. Seria um problema internacional se morressem por falta de recursos para tratar todos os cidadãos, como sucede em países pobres.

Se os EUA fecham à porta aos que colaboraram com  as suas tropas e agora sentem necessidade de se refugiar e são mortos porque o país em quem confiavam deixou de ter palavra isso é um problema de quem confiou nos americanos e deste, no futuro serão menos os que confiarão neles. Para nós é um problema global de luta contra o terrorismo e os ex-colaboradores valem tanto como qualquer outro cidadão perseguido por terroristas.

Podemos perceber o receio dos que temem a possibilidade de terem acesso a cuidados de saúde mas esse será um problema interno. Podemos entender e ser solidários com os antigos colaboradores dos EUA no Iraque ou no Afeganistão mas esse é um problema para a credibilidade dos EUA. Mas são comportamentos que nos leva a pensar que esta não é a América a que o mundo estava habituado.

É a mesma América que depois de mais de meio século de uma aliança com a Europa não hesita em mudar de aliados de um dia para o outro, não escondendo o desejo de ver ser destruído o trabalho de várias gerações de europeus em prol da paz e do progresso económico. Primeiro foram os americanos pobres, a seguir foram os mexicanos, depois foi a vez dos muçulmanos dos países que a diplomacia e as armas americanas destruirão, segue-se a China e depois chegará a vez da Europa.

A América pode fazer o que bem entender com os seus recursos, pode condenar os seus pobres à morte por assistência médica, pode permitir que cada saudosista dos confederados adquira a metralhadora que preferir, pode construir paredes onde bem entender, pode ignorar todos os acordos comerciais e de paz, pode desvalorizar as velhas alianças, pode tentar usar o seu poder para reformatar o mundo que ajudou a construir.

O que a nova América de Tump não pode esperar é que depois de tanta trampalhada a América seja confiável internacionalmente, a não ser para a primeira-ministra do Reino Unido, ainda que a senhora já se sinta incomodada por ter apoiado e corrido para os braços do autor de tanta parvoíce. A América deixou de ser o que era, agora é um país isolado em busca do seu enriquecimento a qualquer custo, sem respeito por valores e por compromissos. Desta nova América só se esperam maus ventos e maus casamentos.

 Dúvidas que me atormentam

O que será mais grave, mentir para chegar ao parlamento ou mentir a um parlamento onde muitos dos seus deputados mentem à sua consciência e votam como se os seus eleitores tivessem sido os líderes dos seus partidos? Quando se escandalizam acusando alguém de ter mentido ao parlamento não seria melhor que antes se dessem ao respeito e credibilizassem os deputados e o parlamento? São estes deputados que estão tão ofendidos acusando alguém de ter mentido ao parlamento os mesmos que queriam um governo apoiado por menos de metade do parlamento?

Depois de terem arranjado forma de um gestor competente se ter demitido da CGD querem que seja demitido o ministro que apresentou os melhores resultados em mais de 40 anos. um dia destes o CDS e o PSD junto vão valer menos de 20% das intenções de voto. Imbecis!

 Um salário médio quase mínimo

Desde o 25 de Abril que a grande preocupação dos sindicatos e políticos são os salários mínimos. Mas ao longo dos últimos 30 anos o salário mínimo não subiu muito e são os salários médios que desceram, um sinal de que devido a políticas criminosas a classe média quase desapareceu. A isto não é alheio o que sucedeu nos últimos anos, Passos Coelho decidiu destruir a classe média e, entretanto, esta foi deixada para mais tarde na reposição dos rendimentos.

A verdade é que os quadros do Estado estão sujeitos a uma austeridade brutal desde 2009, isto é, médicos, enfermeiros, economistas, militares, e outros quadros qualificados estão sujeitos a cortes brutais de vencimentos e a um regime sem promoções há quase uma década.

Mas o eleitoralismo oportunista tem levado a que haja imbecis que consideram ricos os que ganham 2000 euros e as medidas dos governos apenas são aliviadas para os que ganham menos de 1000 euros. Quando não existir classe média, porque empobreceu ou emigrou, talvez estes especialistas em ganhar votos percebam que o país é inviável sem classe média.

 Ainda que mal pergunte

Porque razão os blogues que apoiaram Passos não são suspeitos em nenhum processo de corrupção envolvendo personagens da direita e muito menos do cavaquismo? Se passos chegou ao poder com o apoio de blogues de direita que se inspiravam no Câmara Corporativa, porque motivo estarão acima de qualquer suspeita? Não faria sentido os investigadores de processos como o dos Vistos Giold que como se sabe, é o único processo que em muitos anos atinge uma personalidade da direita no capítulo da corrupção. O que nos conduz a outra dúvida, porque será que este MP gosta tanto de investigar a esquerda?

«Afirma, na tese que os bloggeres que apoiavam Passos tinham como referência o blogue Corporações, próximo do Governo Sócrates... Porquê?

O Corporações, que só peca pelo anonimato, era o braço armado de Sócrates, na blogosfera.» [Visão - Ascensão e queda de Passos, versão 2.0]

Há coisa do Diabo neste país...

      
 Passos com cada vez mais sucesso
   


«Janeiro dera tréguas ao PSD, que susteve a queda dos últimos meses, mas fevereiro volta a trazer más notícias para o partido liderado por Pedro Passos Coelho: de acordo com o estudo mensal da Eurosondagem para o Expresso e SIC, o PSD tem agora 29,2% de intenções de voto, menos 0,8% que há um mês e oito décimas abaixo da fasquia psicológica dos 30%.

É o pior resultado para os sociais-democratas desde as legislativas de 2015 e a confirmação de que a estratégia de Passos para se afirmar na oposição, recusando-se a votar favoravelmente a descida da TSU negociada pelo Governo com os parceiros sociais, não resultou. Pelo menos para os inquiridos deste barómetro.

Em contrapartida, e apesar do embaraço que o episódio da TSU causou no Governo (a ter de encontrar uma solução alternativa que simultaneamente agradasse a patrões e parceiros parlamentares), o Partido Socialista recupera boa parte (0,5%) dos 0,7% perdidos há um mês. Contas feitas, a vantagem dos socialistas sobre os sociais-democratas alarga-se para uns confortabilíssimos 8,6 pontos percentuais.» [Expresso]
   
Parecer:

Pobre Passos, já não sabe que estratégia deve adoptar para melhorar nas sondagens, sempre que muda piora as coisas.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»
  
 Pete Zousa, fotógrafo de Onama, diverte-se com Trump
   
«Trump bloqueia a entrada de cidadãos de maioria muçulmana, Pete Souza publica uma foto de Obama à conversa com uma refugiada muçulmana. Trump entra em choque diplomático com o presidente mexicano, Pete Souza recupera uma foto de Obama a beber tequilla com Enrique Peña Nieto. Até as luzes servem de mote: as notícias de que as reuniões da Administração Trump se fizeram às escuras (os ajudantes da Casa Branca não davam com os interruptores) são seguidas por uma imagem de Obama e Biden rodeados de pontos de luz. O fotógrafo oficial do ex-Presidente Barack Obama parece andar dedicado a um jogo provocações a Donald Trump.

A conta de Instagram de Pete Souza foi criada a 20 de janeiro — dia em Obama deixou a Casa Branca para passar a pasta de gestão dos Estados Unidos a Trump. A partir desse momento foi game on.

Uma das primeiras “provocações” ameaçava com um regresso de Obama à 1600 Pennsylvania Avenue. “Não é o que vocês pensam”, diz a legenda da imagem que mostra Obama a caminhar pela estrada que dá acesso à Casa Branca. A foto era, afinal, de 2011. Trump pode descansar.» [Observador]
   
Parecer:

Estes luso descendentes são uns malandrecos.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»

 Mais um a dar dois passos atrás
   
«O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, deu esta sexta-feira um passo atrás na decisão de deslocar a embaixada norte-americana de Telavive para Jerusalém, reconhecendo que a decisão “não é fácil”, ainda que esteja a estudá-la “muito seriamente”.

“Estou a estudar o assunto, veremos o que vai acontecer”, disse, em entrevista ao diário israelita gratuito Israel Hayom, citada pela agência France-Presse. A decisão “não é fácil”, disse Donald Trump, acrescentando que está a “pensar muito seriamente” na decisão, por si assumida durante a campanha para a presidência norte-americana e largamente reproduzida pelas autoridades israelitas desde então.» [Observador]
   
Parecer:

Até nas palhaçadas deste Trump is great!
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se a merecida gargalhada.»

 Enfim, somo o país dos tesos
   
«Portugal é o país da União Europeia (UE) com um salário mínimo mais próximo do salário médio, embora esteja a meio da tabela em termos brutos, de acordo com dados hoje divulgados pelo Eurostat.

Segundo o gabinete oficial de estatísticas da UE, que divulgou hoje um levantamento dos salários mínimos em vigor desde 01 de janeiro de 2017 em 22 Estados-membros da União - Dinamarca, Itália, Chipre, Áustria, Finlândia e Suécia não o aplicam -, Portugal encontra-se no 12.º lugar, com um salário de 650 euros (valor estimado pelo Eurostat tendo em conta a existência dos 13.º e 14.º meses, os subsídios de férias e de natal, já que o salário mínimo é atualmente de 557 euros).» [DN]
   
Parecer:

Isto significa que somo o país onde há o maior fosso na distribuição de rendimentos e por vontade de Passos todos os que não fossem ricos deviam ganhar o salário mínimo, foi isso o que esse mafarrico da treta tentou implementar no Estado.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamente-se.»

blog comments powered by Disqus