sexta-feira, fevereiro 17, 2017

Umas no cravo e outras na ferradura




 Jumento do Dia

   
Cavaco Silva

Li o livro do Fernando Lima porque me apercebi de ser um dos principais visados na prosa daquele que durante tantos anos tinha sido a voz off de Cavaco Silva. Fiquei com a impressão de que muito do que cavaco discursou, falou ou pensou tinha muito de Fernando Lima, o próprio sugere que foi depois de ter sido dispensado de tão nobres funções que Cavaco resvalou para a asneira, um exemplo dado desta fase pós Lima de Cavaco foi a célebre referência de Cavaco ao papel da santa de Fátima na saída limpa.

Por isso uma das curiosidades do novo livro de Cavaco era tentar perceber se há grande diferença entre o Cavaco aparentemente escrito por Lima e o novo Cavaco. escrito não se sabe ainda muito bem por quem. Mas convenhamos que ler um livro de Cavaco Silva é uma penitência demasiado grande, mesmo para um pecador encartado como eu. Mas por aquilo que se percebe pelo que sai na comunicação social este é o Cavaco do costume, o Cavaco da má moeda, o Cavaco das escutas telefónicas, o Cavaco a quem basta nascer uma vez para ser mais honesto do que todos os portugueses.


Só um Cavaco destes sentiria a necessidade de criticar um presidente em funções, não porque um presidente não mereça ser alvo de críticas, incluindo por um ex-presidente, mas porque as críticas de Cavaco têm um pressuposto que se encaixa bem nessa personagem, Cavaco critica para sugerir que o bom era ele. O Cavaco institucionalista não se aguenta sem tentar destruir a credibilidade do seu sucessor, talvez porque se sinta enciumado pela boa imagem do seu sucessor, algo que ele nunca teve apesar das muitas maiorias absolutas e eleições ganhas.

O Cavaco deste livro é o Cavaco de sempre, continua politicamente enfezado, uma versão ZIP de um Presidente da República. Este é o Cavaco que se insistiu na queixa contra um cidadão que gritou algo que não gostou, que premiou um PIDE ao mesmo tempo que negou uma pensão a Salgueiro Maia, que inventou escutas para tentar derrubar um governo eleito democraticamente, este é o Cavaco que se deixou homenagear no mesmo dia em que Soares ia ser oficialmente homenageado este é o mesmo Cavaco de sempre.

Não admira que Cavaco seja tão mau como e-presidente como o foi enquanto presidente e como quem torto nasce tarde ou nunca se endireita o senhor da Quinta da Coelha não melhorou com o tempo que passou, não é como o vinho do Porto, com a idade em vez de melhorar parece que azeda. O seu livro é tão mau como o do seu assessor e não é necessário lê-lo, mesmo fechado dele escorrem insinuações torpes, ódio aos partidos que representam mais de 50% dos portugueses, mau perder, raiva, inveja e outras qualidades que já lhe conhecíamos.

«O último Presidente da República usa a primeira obra de memórias sobre o tempo em que ocupou o Palácio de Belém– de 2006 a 2016 – para deixar uma crítica velada ao sucessor. Cavaco Silva, que saiu de cena com baixos níveis de popularidade, explica o divórcio com os media e frisa a "recusa da política-espetáculo" para justificar a fraca adesão dos portugueses à sua mensagem, rejeitando o estilo protagonizado por Marcelo Rebelo de Sousa. 

"Teria sido um Presidente da República diferente se não tivesse chegado à mais alta magistratura do Estado saturado do palco mediático", afirma Cavaco Silva num capítulo do livro ‘Quinta-feira e Outros Dias’, pré-publicado pelo ‘Expresso’, que será lançado na quinta-feira. 

O também ex-primeiro-ministro explica que quando chegou a Belém "tinham sido 25 anos de forte exposição", o que explica o "distanciamento relativamente à comunicação social, a reserva da Presidência da República nas relações com a imprensa e a minha recusa da política-espetáculo, tão cara a muitos políticos por proporcionar notícias e fotografias, mas que, em minha opinião, não traz qualquer benefício ao País", elenca Cavaco. É aqui nítido o antagonismo face a Marcelo, que surge nas redes sociais com frequência a tirar selfies. Numa farpa ao passado do sucessor como comentador, Cavaco frisa que "um Presidente não se deve condicionar pela agenda mediática".» [CM]

 Ao mau cagador até as calças empatam

Para Helena Garrido, uma das devotas do Diabo anunciado por Passos, há sempre motivo para desgraça:

«2016 termina com a economia a crescer e o défice reduzido para valores que nem o Governo previa. Falta resolver a ameaça financeira que paira sobre Portugal. E a nuvem política gerada pelo caso CGD.» [Observador]

Dantes era o défice, depois foram os juros, agora foiu a confusão que Lobo Xavier e Domingues lançaram na CGD. O que virá a seguir para que Helena Garrido anseie pelo regresso de Passos Coelho e da sua pinochetada económica?

 Interrogações que me atormentam

Será que uma mera declaração de rendimentos que ninguém iria consultar justifica tanta vontade de vingança que levam António Domingues a revelar conversas e e-mails privados a um lobista da direita, para estes os usar às mijinhas para lançar confusão? Será amor à direita que leva este bancário reformado a ficar tão enlameado na praça pública? O que moverá este camarada Domingues para conduzir uma vendeta digna dos seus tempos de MRPP?

O que levará Domingues a queimar-se socialmente para lançar uma guerra política em que é evidente que as grandes figuras do PSD evitam dar a cara? Porque será que o PSD usa apenas segundas figuras nesta guerra suja idealizada e executada por Lobo Xavier, um homem que tresanda a dinheiro e a negócios?

 A propósito de mentiras

Compreende-se que Passos Coelho evite expor-se neste debate da CGD, não só está promovendo uma guerra suja e quer poupar a sua imagem, como sab que em matéria de mentiras é um campeão na história da democracia portuguesa. Enganou tudo e todos, mentiu ao parlamento, enganou os portugueses, mentiu aos militantes do seu próprio partido. Passos tentou impor uma revolução económica digna de Pinochet sem que nenhuma das suas medidas constasse de qualquer proposta eleitoral.

Mas o grande campeão da mentira foi Passos Coelho. Aqui ficam apenas algumas das suas muitas mentiras, uma recolha que se refere apenas aos s«primeiros meses do seu governo, não consta aqui a promessa feita na campanha eleitoral de que as receitas fiscais estavam a correr tão bem que os idiotas iam receber um reembolso de uma parte significativa da sobretaxa do IRS.
  1. "A haver algum ajustamento fiscal será nos impostos sobre o consumo" (Bruxelas, 24-03-2011) [Expresso]
  2. "Em Miranda do Corvo, Pedro Passos Coelho admitiu que a população local «ficou a ver comboios» e prometeu que o «comboio vai voltar», muito embora tenha lembrado que «não há condições para nos comprometermos nesta fase com esta obra»."(Miranda do Corvo 31-05-2011) [TSF] O pessoal de Miranda do Corvo já anda de combóio?
  3. "O PSD chumbou o PEC 4 porque tem de se dizer basta: a austeridade não pode incidir sempre no aumento de impostos e no corte de rendimento."  [Twitter] [DN]
  4. Perguntou a estudante: "Vai tirar os subsídios de férias aos nossos pais?", respondeu Passos Coelho: "Eu nunca ouvi falar disso no PSD. Eu já ouvi o primeiro-ministro dizer, infelizmente, que o PSD quer acabar com muitas coisas e também com o 13.º mês, mas nós nunca falámos disso e isso é um disparate" e acrescentou: "isso é um disparate" (Vila Franca de Xira81-04-2011) [TVI24]
  5. "Já ouvi o primeiro-ministro dizer que o PSD quer acabar com o 13.º mês, mas nós nunca falámos disso e é um disparate."  [Twitter][DN]
  6. "Nós calculámos e estimámos e eu posso garantir-vos: Não será necessário em Portugal cortar mais salários nem despedir gente para poder cumprir um programa de saneamento financeiro" (30-04-2011) [JN]
  7. "Quando digo que estou preparado para construir um Governo com não mais do que 10 ministros, falo evidentemente da possibilidade do PSD ter uma maioria absoluta e poder responder por esse resultado" [CM]
  8. "Aqueles que são responsáveis pelo resvalar da despesa têm de ser civil e criminalmente responsáveis pelos seus actos." Promessa feita no Facebook. Cumpriu?
  9. "Nas despesas correntes do Estado, há 10% a 15% de despesas que podem ser reduzidas.".  [Twitter][DN]. Cortou? 
  10. "Se formos Governo, posso garantir que não será necessário despedir pessoas nem cortar mais salários para sanear o sistema português.". Quantos mandou para a mobilidade com vista ao despedimento?
  11. "Se vier a ser necessário algum ajustamento fiscal, será canalizado para o consumo e não para o rendimento das pessoas." [Twitter][DN]
  12. "Queremos transferir parte dos sacrifícios que se exigem às famílias e às empresas para o Estado." [Twitter][DN]
  13. ""Ninguém nos verá impor sacrifícios aos que mais precisam. Se as coisas não estiverem bem temos que dizer que os que têm mais terão que ajudar os que têm menos em Portugal" (Oliveira de Azeméis 1-07-2011)  [Público]
  14. «Passos Coelho prometeu até final deste mês apresentar “um programa ambicioso” que passará por “acabar com institutos públicos fundações”, aquilo a que se chama a “gordura do Estado”. O plano de acção, garantiu, “até final de Outubro estará em grande medida concretizado”.» (Festa do pontal, 15-08-2011) [Público]. Alguém viu o famoso plano ambicioso?
  15. A cereja em cima do bolo das mentiras de Passos Coelho foi a famosa fraude eleitoralista conhecida por reembolso da sobretaxa. Recordemos o que o traste de Massamá dizia:

    "Reiterando que não se trata de um “anúncio” sobre a devolução da sobretaxa, Passos Coelho lembrou que todos os meses as pessoas podem fazer uma simulação de quanto vão receber no próximo ano. “O mês passado apontava para 25%, este mês para 35,7%, mas não é um valor fechado. Não é uma promessa, não é um anúncio para as eleições. A minha expectactiva dada a evolução é ter fechado até ao final do ano um valor de devolução muito significativo”, afirmou." [Público]

    Pois, não só se limitou a reembolsar um corno e a ponta do outro como foi o Centeno que teve que suportar os custos das fraudes na contabilização das receitas fiscais promovidas por Passos. Aliás, umas das razões que levavam Passos a ter esperança num segundo resgate estava nas vigarices fiscais que fez.

Nenhuma destas mentiras justificariam a demissão, isso apesar de o próprio ter em tempos escrito no Twitter que "Como é possível manter um governo em que um primeiro-ministro mente?". Mas o mentiroso Passos Coelho nunca mentiu aos deputados de uma Comissão parlamentar e, como se sabe, uma coisa é mentir aos idiotas dos portugueses e outra, bem mais grave, é mentir a essas sumidades "parlamentícias".

Só é pena que Lobo Xavier não tenha tido acesso aos SMS trocados entre Portas e Durão a propósito dos submarinos, entre Portas e Passos acerca da irrevogabilidade da sua demissão, entre Maria Luís e Carlos Costa sobre a contratação de Sérgio Monteiro para caixeiro-viajante, ou entre a Maria Luís e Passos Coelho a propósito dos seus negócios com swaps.

Já que estamos em tempos de voyeurismo tenho de confessar que tenho gostos bem diferentes dos de Lobo Xavier, não aprecio os SMS entre gajos com barba. Mas , enfim, cada um tem as suas preferências em matéria de curiosidade mórbida.

 Uma pergunta

Se é o Lobo Xavier o gestor dos SMS do Domingues porque é que a direita parlamentar em vez de exigir os SMS a Domingues não os pede ao camarada Xavier?

      
 Isto ainda vai acabar mal
   
«Manuel Vicente, vice-presidente de Angola e ex-presidente da Sonangol, foi acusado em Portugal de um crime de corrupção activa, outro de branqueamento e outro de falsificação de documento, no âmbito da Operação Fizz, a mesma que em Março já tinha levado a Polícia Judiciária a fazer buscas na Procuradoria-Geral da República (PGR).» [Público]
   
Parecer:

Como a justiça portuguesa é exemplar querem estender a sua acção a Angola?
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Aguarde-se pela resposta dos angolanos.»
  
 Este agora é polícia?
   
«António Lobo Xavier confirmou à SIC ter dado conhecimento ao Presidente da República da correspondência trocada entre o ministro das Finanças e o ex-administrador da Caixa Geral de Depósitos (CGD) e que da leitura desta não resulta evidente a participação do primeiro-ministro no acordo que visava a isenção de entrega das declarações de rendimento ao Tribunal Constitucional.

“Não tenho evidência do envolvimento do primeiro-ministro”, afirma o advogado de António Domingues no programa Quadratura do Círculo, num extracto que a SIC-Notícias está a antecipar.» [Público]
   
Parecer:

O jogo sujo é tão grande que o Domingues deu os SMS ao Lobo Xavier para este derrubar Mário Centeno.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se a Xavier que interesses representa neste jogo sujo.»

 E não desconfiou dos negócios de acções do BPN?
   
«“Quanto mais via o entusiasmo do primeiro-ministro com os negócios das empresas da Venezuela, mais desconfiado eu ficava. Não me enganei”, diz Cavaco Silva, num excerto do livro, citado pela SIC Notícias. Esta frase surge numa altura em que Sócrates está a ser investigado no âmbito da Operação Marquês, que inclui suspeitas sobre os negócios do grupo Lena na Venezuela, tendo o Ministério Público de entregar a acusação até Março.» [Público]
   
Parecer:

Cavaco devia ter de explicar porque declara que não se enganou acerca dos negócios com a Venezuela. É óbvio que o "não me enganei" dá para funcionar como insinuação torpe, mas tem muita forma de se escapar em tribunal pois há muitas hipóteses de engano.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Vomite-se.»

 Conselheiro, queixinhas ou intriguista?
   
«António Lobo Xavier confirma que foi ele quem deu a conhecer ao Presidente Marcelo Rebelo de Sousa o conteúdo dos famosos SMS trocados entre António Domingues, ex-presidente da Caixa Geral de Depósitos, e o ministro das Finanças, Mário Centento, avança a SIC Notícias. O conselheiro de Estado não revelou, no entanto, pormenores sobre o conteúdo das mensagens e disse não ter provas do envolvimento do primeiro-ministro.

Lobo Xavier diz ainda que pediu autorização a Marcelo sobre se podia confirmar que tinha sido ele a dar as informações ao Presidente da República: “O Presidente da República teve conhecimento das informações que eu tinha através de um contacto pessoal comigo. Eu próprio perguntei se estava autorizado, se podia confirmar, porque estava numa posição relativamente delicada se me perguntassem, por estar exposto”.» [Observador]
   
Parecer:

Este Lobo é tão logo que deu em lobista, mas também é gestor, advogado, conselheiro, consultor, comentador, político, não político, enfim, é um artista português e oprovavelmente um dos melhor remunerados, ao seu lado o Júdice é um menino de coro.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Vomite-se.»

 Polícias bandidos
   
«A investigação foi primeiro desencadeada internamente, pela própria PSP, quando no início do mês uma destas pistola foi apreendida a criminosos, no âmbito de uma operação policial no Porto. Rapidamente foi constatado que a Glock pertencia a um lote especial que estava armazenado na Direção Nacional da PSP, a sede da Penha de França. Na verificação dos registos concluiu-se que havia, pelo menos, mais de meia centena de outras destas pistolas que não estavam no armeiro.

A Direção Nacional comunicou de imediato o caso ao Ministério Público (MP) que delegou na própria PSP a investigação.

Os dois agentes diretamente responsáveis pelas armas foram suspensos preventivamente alvo de processos disciplinares.» [DN]
   
Parecer:

Isto é, são mais as armas que agentes da PSP colocaram no mercado do que as que foram apreendidas em mega operações da mesma polícia.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamente-se.»

blog comments powered by Disqus