quinta-feira, fevereiro 02, 2017

Umas no cravo e outras na ferradura




 Jumento do Dia

   
Carlos Silva, deputado do PSD

Este ilustre deputado do PSD acha que o modelo de gestão da Carris nada tem que ver com gestão de transportes mas sim com questões eleitorais. Pegando na dica que está na moda do PSD diz que a culpa de tudo é do PS e das eleições. Para ele o modelo de gestão da Carris vai levar os lisboetas a correr para as mesas de voto agradecer a entrega da gestão da empresa ao município.

Será apenas estupidês ou estamos perante a admissão de uma derrota antecipada num município onde já só falta perguntarem ao cavalo da estátua equestre de D. José I se quer ser candidato derrotado a presidente da CM de Lisboa?

«O PSD acusou esta quarta-feira o Governo de ter atribuído a gestão da Carris à Câmara Municipal de Lisboa por razões eleitoralistas, com PS, PCP e BE a responderem que o objetivo dos sociais-democratas era privatizar a empresa.

Numa declaração política na Assembleia da República, o deputado do PSD Carlos Silva defendeu a intenção do anterior executivo PSD/CDS de subconcessionar a privados os transportes de Lisboa e Porto por essa solução diminuir os encargos para os contribuintes e considerou que a reversão desse processo "vem reativar custos anteriormente eliminados".» [Expresso]

      
 O partido irrelevante volta ao ataque
   
«O PSD está apostado em expor as divergências entre o Governo e os partidos da esquerda parlamentar e admite mesmo vir a apresentar uma proposta de cessação de vigência do decreto de lei que passa a gestão da Carris para a esfera municipal. O PCP, já se sabe, é contra esta municipalização da Carris e da STCP, defendendo a manutenção na esfera do Estado, mas quando anunciou que iria pedir apreciações parlamentares sobre estas matérias, em vez de pedir a revogação das leis ficou-se pelo anúncio prévio de propostas de alteração. PS reconhece que “há outros partidos com os quais é preciso dialogar” e admite que solução pode estar a meio caminho.

“Registamos que houve um recuo da parte do PCP, que pelos vistos se arrependeu de propor a cessação de vigência dos diplomas”, disse aos jornalistas o líder parlamentar do PSD Luís Montenegro à saída da reunião da conferência de líderes que decidiu os agendamentos parlamentares para as próximas semanas. As apreciações parlamentares do PCP sobre a municipalização da Carris e da STCP vão ser debatidas e votadas no Parlamento no dia 24 de fevereiro, sendo que até esse dia os demais partidos ainda podem apresentar propostas de alteração ou pedidos de cessação de vigência.» [Observador]
   
Parecer:

Parece que Passos Coelho não quer perder nenhuma oportunidade de mostrar a falta de seriedade das suas propostas.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»
  
 Só agora, em 2017
   
«Os militares que queiram entrar para os Comandos, Paraquedistas ou Operações Especiais do Exército vão ter de fazer exames médicos para despiste de problemas de foro cardíaco ou ortopédico, informou esta quarta-feira o Exército. O acesso àquelas que são as forças de elite portuguesas vai passar a incluir três fases de avaliação médica.

“Na sequência das recomendações apresentadas pela Inspeção Técnica Extraordinária (ITE) efetuada pela Inspeção Geral do Exército (IGE) ao Curso de Comandos, o Exército procedeu à reavaliação das Provas de Classificação e Seleção (PCS) para ingresso nas Tropas Especiais”, lê-se no comunicado enviado às redações.» [Observador]
   
Parecer:

Parece que muito repentinamente os comandos do Exército repararam que talvez não fosse boa ideia fazer exames médicos minimamente rigorosos, isto é, ministravam-se treinos brutais com exames menos exigentes do que os que são feitos a qualquer atleta. Por aquilo que se decidiu agora alguém com pés chatos e com uma insficiência cardíaca podia ir fazer treino de comandos.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamente-se tanta incompetência escondida atrás do marialvismo chico da tropa.»

 Depois dos muçulmanos, os brasileiros
   
«O Governo dos Estados Unidos aumentou as restrições para a concessão de vistos de entrada aos brasileiros, regras que entraram em vigor na segunda-feira e tornam o processo mais extenso. “O processo de emissão de vistos tem um papel crucial para detetar indivíduos com vínculos terroristas e impedir que entrem nos EUA”, lê-se no documento de 27 de janeiro, divulgado no site da embaixada.

No Brasil, antes da mudança, os jovens com idades entre 14 e 15 anos, e idosos entre 66 e 79 anos, que solicitavam autorização para viajar aos Estados Unidos pela primeira vez estavam isentos de fazer esta entrevista nas unidades consulares que oferecem o serviço, mas agora precisarão fazer. Já os brasileiros que necessitam renovar vistos vencidos tinham até 48 meses para fazê-lo, sem nova entrevista, mas o prazo caiu agora para 12 meses.» [Observador]
   
Parecer:

E óbvio que o ódio de Trump não é apenas aos muçulmanos e um dia destes meio mundo treá restrições de entrada nos EUA.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Espere-se para ver.»

 O FCP não me quer? Então talvez queira Matosinhos
   
«O ex-jogador do FC do Porto e antigo guarda-redes da selecção nacional, Vitor Baía, foi sondado pelo PSD para se candidatar à presidência da Câmara e Matosinhos nas eleições locais deste ano, apurou o PÚBLICO.

Apanhado de surpresa, Vitor Baía sugeriu que o partido faça primeiro uma sondagem, na qual inclua o seu nome, para depois tomar uma decisão definitiva. A abordagem ao antigo guarda-redes da selecção, que foi o mandatário para a juventude no Porto da candidatura à Presidência da República de Cavaco Silva, foi feita pela direcção do partido e ocorreu no passado fim-de-semana.» [Público]
   
Parecer:

Ridículo.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se a merecida gargalhada.»

 Até tu Theresa
   
«A primeira-ministra britânica, Theresa May, disse esta quarta-feira que a proibição temporária de entrada nos EUA de imigrantes e refugiados de sete países muçulmanos é "fraturante e errada", cinco dias depois de ter recusado criticar o decreto.

"Sobre o decreto que o Presidente [norte-americano, Donald] Trump apresentou, este governo pensa ser claro que essa política é errada", disse May aos deputados britânicos, em resposta ao líder da oposição trabalhista, Jeremy Corbyn. "Pensamos que é fraturante e errada", acrescentou.» [Expresso]
   
Parecer:

Esta "bifa" foi a correr para os braços de Trump, mas agora parece querer dizer que é um pouco melhorzinha do que o amigo americano.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»

blog comments powered by Disqus