sexta-feira, abril 18, 2014

Umas no cravo e outras na ferradura


 
   Foto Jumento
 

 photo _Marques_zps53aa6369.jpg
     
Estátua do Marquês de Pombal, Lisboa
  
 Jumento do dia
    
Aguiar Branco

Com este ministro nem o drone consegue levantar voo, é mesmo um desastre.


«Na visita à base naval do Alfeite, José Pedro Aguiar-Branco - acompanhado pelo chefe do Estado-Maior da Marinha, almirante Macieira Fragoso -, Aguiar-Branco assistiu à apresentação do drone e previu que o aparelho "vai ser altamente eficaz nas missões que a Marinha tem de cumprir".

Segundo a Lusa, o drone poderá efetuar "missões de busca e salvamento, fiscalização das pescas, apoio ao combate à poluição e à segurança marítima" - que são todas realizadas sob autoridade civil e não da Marinha.

Após uma primeira tentativa falhada, devido a um "erro de lançamento" do fuzileiro, o drone aguentou-se no ar e cumpriu o plano de voo previamente definido pelo centro de operações. "Isto justifica que é sempre necessário investir muito no treino para que na hora certa as missões não falhem", observou o ministro.» [DN]

PS: o drone não caiu ao malagueiro, foi intencional, convencido de que o ministro ainda era o Paulo Portas decidiu armar-se em submarino! É que depois da passagem de Portas por aquele ministério tudo anda com tiques de submarino.

 A decadência do regime

O aparecimento de notícias sobre escutas a Passos Coelho depois de terem estado na gaveta durante oito meses é um sinal claro de decadência do regime, domínio em que a nossa justiça tem um faro especial. É preciso perceber o fim próximo de um líder político para que a justiça e os jornalistas comecem a organizar os seus julgamentos de rua.

 Uma solução para o mau cheiro provocado por este governo


Quem quiser oferecer umas Subtle Butt pode comprar aqui.

 Ucrânia

Tanta retórica contra os terroristas russo por parte dos extremistas de Kiev e no fim os soldados ucranianos desertam e entregam os tanques aos tais terroristas. Enfim, mais uma guerra civil promovida por Obama e Merkel onde nenhum dos dois tem a coragem de se meter. Começa
 
 As ministras não são nacionalistas?

Já repararam que só os ministros é que usam o pin com a bandeira nacional? Será que as ministras são espanholas ou acham que as bandeiras ficam mal nas suas vestes dignas de cabeleireiras de Massamá?

Se calhar os pins não são muito adequado para a indumentária das senhoras, neste caso o ideal seria criar um broche com a bandeira para que as nossas elegantes senhoras o possam usar orgulhosamente na lapela.

 O cinismo

Marques Guedes resolveu responder aos capitães de Abril com o mesmo cinismo com que respondeu às exigências de Cavaco Silva. Mas se em relação a Cavaco estão bem um para o outro em matéria de cinismo, já em relação a uma possível intervenção da Associação 25 de Abril foi um pouco mais longe nas suas considerações.

Marques Guedes defende que o parlamento está reservado aos elitos pelo povo e tem toda a razão, o problema é que vamos ter um parlamento num sítio e o povo a comemorar o 25 de Abril noutro, isto é, em vez de respeitar os seus eleitos profissionais o provo vai preferir os que lhe deram a democracia.

A que povo se refere Marques Guedes? É ao povo que em grande parte não vota, ao povo que não tem qualquer consideração pelos seus deputados, ao povo que não tem qualquer consideração pelo parlamento. E com políticos profissionais e cínicos como Marques Guedes o povo tem rtoda a razão em divorciar-se de uma classe política de mangas de alpaca.

 
 Uma notícia que não comento

 photo Noticia_zpsa4ee385e.jpg

Esta notícia é um petisco para atacar qualquer governo e ciclicamente aparecem notícias deste género. Não me esqueço, por exemplo, do famoso debate a propósito da vacina contra a meningite, o governo de então quase foi forçado a adoptar a vacina quando se soube que o médico que mais estava empenhado na salvação das criancinhas iria ganhar uma comissão por cada vacina vendida.

O negócio dos medicamentos é dos mais sujos e corruptos do país e desde as farmacêuticas a médicos sem quaisquer escrúpulos há muita gente a enriquecer co este negócio que por vezes tem contorno mafiosos. Não deixa de ser estranho que com a redução das margens do negócio surjam sucessivos incidentes envolvendo os medicamentos inovadores, precisamente os mais caros e rentáveis.

As coisas começam sempre da mesma forma, um jornal dá a notícia com base em informações de médicos e a bola começa a rolar porque ninguém concorda que alguém sofra por falta de um medicamento. O problema é que não confio nem nos jornais, nem nos médicos e confesso que há muito que não tenho grande confiança na Ordem.
 
      
 Jornais que por trás parecem uma velha
   
«O regresso de Ricardo Araújo Pereira (R.A.P.) foi um falhanço, como dizem os títulos dos jornais: na estreia, o programa de humor Melhor do que Falecer ficou aquém da novela da SIC. Share do infeliz: 25,9 por cento; share da novela: 29,4 por cento! Comparação tão adequada só me lembro do vinho Barca Velha 1966 que vendeu menos garrafas do que o carrascão ribatejano vendeu de tonéis de 200 litros. Nesse ano, o share do carrascão traçado a gasosa foi arrasador nas tabernas do Bairro Alto enquanto no vizinho restaurante Tavares só se abriram duas Barca Velha. Essa é a verdade dos números e ainda bem que os jornais sabem comparar. Depois de fazer um belo genérico com a voz do Camané, escolher para companheiro Miguel Guilherme que só com o levantar do sobrolho esquerdo diz mais do que as falas dos 164 episódios da tal novela e logo no primeiro programa fazer um texto para pensar e um texto para rir, R.A.P. não fez mais nada. R.A.P. é só um génio mas o povo português não está para essas inutilidades, pensar e rir. R.A.P. acabou a interpretar um popular atazanado com um drama nacional pouco falado. Perguntou às autoridades: "O que é que está a ser feito no âmbito das crianças que vistas por trás parecem uma velha?" No seguimento, aos jornais portugueses - que, como se sabe, são um primor de qualidade e um modelo de negócio com sucesso - deu-lhes para comparar shares... O balanço é este: R.A.P. e jornais, dois grandes momentos de humor.» [DN]
   
Autor:
 
Ferreira Fernandes.
   
   
 Uma vergonha
   
«Nenhum dos especialistas em Direito e Segurança Social nomeados pelo Governo para estudar uma "solução duradoura" para substituir a Contribuição Extraordinária de Solidariedade (CES) foi informado sobre as medidas que estão prestes a ser tomadas. O anúncio do primeiro-ministro de que o "relatório" está pronto apanhou todos de surpresa. 

Foram cinco os especialistas convidados pelo Governo, em Janeiro, para integrar o grupo técnico que iria preparar uma solução para tornar definitivos os cortes das pensões introduzidos pela CES, que começa nos €1000 brutos, e para propor medidas de sustentabilidade para os actuais regimes de pensões público e privado.

Segundo o que o Expresso apurou, todos estes especialistas independentes foram apanhados de surpresa pelo anúncio, feito terça-feira por Passos Coelho na SIC, de que teria recebido, na véspera, um relatório que encerrava a questão. Até ao final do mês, o Governo estaria pronto a tomar uma decisão, segundo declarações do primeiro-ministro em entrevista a José Gomes Ferreira.» [Expresso]
   
Parecer:

Este governo não respeita nada nem ninguém, nem mesmo nem os seus colaboradores sabe respeitar.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Para a próxima vez não aceitem entrar em grupos de estudo fantoches.»
  
 Já não é na Trafaria
   
«O ministro da Economia, Pires de Lima, tentou lançar o tema das infra-estruturas prioritárias no início da audição na comissão parlamentar de Economia e Obras Públicas com uma semi-provocação ao PS. "Interpreto o silêncio como uma aprovação ao PETI" (Plano Estratégico de Transportes e Infra-Estruturas), documento que elege 59 investimentos prioritários a lançar ainda nesta legislatura.

Mas foi preciso esperar pela intervenção da ex-secretária de Estado dos Transportes do primeiro governo Sócrates para a discussão aquecer. Ana Paula Vitorino qualificou o plano de embuste, uma vez que não está sustentado em estudos de viabilidade, parecendo resultar sobretudo da recolha de projectos antigos que estavam nas empresas públicas do sector.» [i]
   
Parecer:

Este secretário de Estado dos Transportes além de ter um penteado original é um gajo muito sério.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»
     

   
   
 photo Andrew-Kang-4_zps07965404.jpg

 photo Andrew-Kang-2_zps711a10d7.jpg
 
 photo Andrew-Kang-1_zps2e1ce22c.jpg

 photo Andrew-Kang-3_zpsec05ba71.jpg
 
 photo Andrew-Kang-5_zpsed0d417c.jpg

 
 
 
     
blog comments powered by Disqus