sábado, outubro 10, 2015

Umas no cravo e outras na ferradura


  
 Jumento do dia
    
Pedro Passos Coelho, líder pafioso

O simples facto de Passos Coelho admitir o fim dos cortes antes do prazo que defendia e mais ums série de cedências prova não só que abusou da austeridade, como se aproveitou da crise financeira para torturar grupos profissionais e sociais que odiava por motivos ideológicos.

«"Eu tive ocasião de transmitir à equipa e ao [secretário-geral do PS] doutor António Costa que estamos totalmente disponíveis para poder reanalisar essas matérias. Não haja dúvidas para ninguém de que, se for possível fazer uma restituição mais rápida dos salários e se for possível fazer uma remoção mais rápida da sobretaxa, não deixaremos de o fazer, porque não temos nenhum gosto em que essas medidas continuem em vigor", afirmou Pedro Passos Coelho.

Em declarações aos jornalistas, no final de um encontro entre PSD, CDS-PP e PS, na sede dos sociais-democratas, em Lisboa, Passos Coelho salientou, contudo, que essas medidas de austeridade estão em vigor para assegurar o cumprimento das metas orçamentais, acrescentando: "Portanto, estamos disponíveis para nos aproximarmos do PS, desde que estes objetivos sejam cumpridos".

"Estando disponíveis para acertar outros ritmos de reposição de rendimentos, teremos de os compensar face àquilo que é a informação disponível com outro tipo de medidas que nos mantenham num défice abaixo de 3%. Ora, sobre isto o PS não apresentou nenhuma proposta, mas estamos inteiramente disponíveis para poder trabalhar", completou.» [Notícias ao Minuto]

 Um idiota a gozar com os portugueses



Num dia o país soube que José Rodrigues dos Santos é um palerma que se esquece que trabalha numa televisão pública de televisão, que é pago pelos cotribuintes e que deve respeitar os portugueses. Mas o palerma acha que está acima disso e pode gozar ou humilhar quem bem entende. Mas quando as coisas dão para o torto o rapaz assume-se cmo um cobarde.

Fez o que fez e perante a indinaão colectiva a televisão veio dizer que foi uma confusão, que o jornalista é um gandulo que ão lê os textos com antecedência, que se baralhou porque não saia se a notícia se referia a uma depotada aposentada ou a um deputado idoso.

Mentira, o jornalista não se enganou e para se perceber isso basta ler o que o que ele disse:

"O novo parlamento tem muitas caras novas, o deputado mais velho tem 70 anos e foi eleito ou eleita pelo PS"

José Rodrigues dos Santos sae que é "o", que é "deputado" que é "velho" mas nas hora da eleição faz questão de questionar se o dpeutado mais elho foi eleito ou eleita.

O jornalista até poderia ter corrigido o texto pois quem elegeu o deputado foram os eleitores e não o Partido Socialista, em vez disso optou por afirmar a sua masculinidade com uma piada inaceitável, ofensiva e motivo suficiente para ser corrido de uma televisão europeia. O padrão de jornalista está mais de acordo com o Uganda do que com a Europa e muito menos com a sua Inglaterra.

Se Cavaco fosse rei já teria cognome, Cavaco I da dinastia de Boliqueime, o Estúpido.

 Que estranho

José Sócrates ainda continua a residir na Rua Abade Faria mas desde o domingo que nunca mais se falou dele.

 D'O Lar da Criança para Belém"

 photo _lar_zpsjuuxlsdl.jpg
 
Foto da notícia do Expresso anunciando o chá dançante de Marcelo

 A direita a fazer xixi pelas calças abaixo

A mesma direita que tudo fez para que os eleitores votassem no BE ou no PCP foi surpreendida e agora percebe que está em minoria no parlamento e já oferece tudo e mais alguma coisa antes que o PS se entenda com o Bloco. O enrascanço e tanto que não é difícil adivinhar o Passos a dizer a Cavaco ao telefone. "Ó tio, receba lá o Costa e faça tudo para que ele aceite um acordo connosco, senão lá se vai a manjedoura para os seus e para os meus amigos!"!
  
A direita direita contava com o ovo no cu da galinha e o seu verdadeiro líder, Cavaco Silva ensaiou uma manobra manhosa para forçar o PS a apoiar as alarvidades do se governo. Enganaram-se, a posição do CP trocou-lhes as voltas e quando Cavaco esperava uma "solução de governo" à direita arrisca-se a ser confrontado com uma solução alternativa e ter de engolir os disparates que disse na comunicação oficial que fez.

Cavaco deu um pontapé na Constituição excluindo o PCP e o Bloco da democracia e agora reza para que o Bloco não apoie uma solução com que não contava.

      
 Qual é o género de Alexandre Quintanilha?
   
«Qual o género de Alexandre Quintanilha? Cruzei--me com ele algumas vezes, ele não se deu conta, eu, sim, e vi-o ou li-o em entrevistas. É pouco para a tal questão: qual é o género de Quintanilha? No entanto, apesar da tangencial relação, tenho resposta pronta, como raramente tenho, mesmo para pessoas com quem lido todos os dias. Pois, posso garantir-vos que Quintanilha é do género senhor. É isso, um senhor, género pouco comum. Talvez, admito, possa haver quem queira falar sobre género no sentido gramatical. Aí, a questão é: Quintanilha é gaja? Pois julgo também saber a resposta, apesar da quase nenhuma convivência: é gajo. Mas, lá está, como nesse aspeto, gajo ou gaja, são géneros muito comuns, escapam-me os detalhes. Mas, pelo que vi, li e gramaticalmente ele se apresenta, garanto: ele é gajo, homem, masculino. E mais isto: ele está casado com Richard Zimler, esse conheço-o pessoalmente (e li e ouvi) e é ele. Como foi casamento entre pessoas do mesmo sexo, também deduzo, agora no domínio da lógica, que Quintanilha é ele. Trago o assunto porque anda por aí uma polémica sobre José Rodrigues dos Santos ter dito no Telejornal "ele ou ela", falando de Quintanilha. Foi perguntado a J.R.S.: disse isso de Quintanilha? E ele disse que não, que foi erro e deu explicações atrapalhadas mas plausíveis. Esta poderia ser a crónica sobre um tipo comum que insultou um senhor. Mas não a posso fazer porque não tenho a certeza do insulto, só do senhor.» [DN]
   
Autor:

Ferreira Fernandes.

      
 E não lhe dão uma praia na Messejana?
   
«Como seria previsível, a aliança PS-BE-CDU é vista à direita como um perigo. Nas relações com Bruxelas, por onde têm de passar muitas decisões do país; também pelas “leituras externas”, que podiam levar a um renascer da desconfiança sobre o país e um “disparo nas taxas de juro”, alega a mesma fonte.

Na dúvida, Passos Coelho e Paulo Portas fecharam-se ontem a procurar estratégias de abordagem, sabendo que Costa leva a mesma equipa que foi à sede dos comunistas (Carlos César, Mário Centeno e Pedro Nuno Santos). Desde domingo que se sucedem os pequenos passos para abrir as portas a objetivos do PS. O maior dos quais ficou escrito (e assinado) no acordo de Governo PSD-CDS: vago nas propostas para a governação, integrou os quatro princípios que Costa anunciou como centrais na noite eleitoral — “defesa e reforço do Estado Social”, “promoção da competitividade da economia”, “investimento privado e inovação”, compromisso europeu. A questão chave é saber como concretizar isto em propostas. Dito de outra forma, saber o que precisa a direita de dar a Costa que o convença (a desistir de formar governo à esquerda e a aprovar, pelo menos, o primeiro orçamento da legislatura).» [Observador]
   
Parecer:

parece que para continuar junto à manjedoura a direita está disposta a abdicar das grandes bandeiras de Passos Coelho, andam, andam e ainda propõem um TGV  e o novo aeroporto.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»
  
 Ridículo
   
«Após o encontro com Passos Coelho, o Presidente da República fez uma comunicação ao país onde anunciou que encarregou o líder do PSD de desenvolver diligências para avaliar as possibilidades da constituição de uma "solução governativa que assegure a estabilidade política e a governabilidade do país". Na comunicação, Cavaco Silva reiterou também que não se substituirá aos partidos no processo de formação do Governo, mas sublinhou que este "é o tempo do compromisso", onde a cultura da negociação deverá estar sempre presente.

No dia seguinte ao encontro com o Presidente da República, Passos Coelho assinou com o presidente do CDS-PP um acordo de Governo e colaboração mútua, no qual propõem ao Presidente da República um executivo de coligação entre os dois partidos, liderado pelo atual primeiro-ministro.» []
   
Parecer:

Dias depois Cavaco percebeu que se portou como presidente da junta de freguesia de Belém e não como um PR e na verdade nunca  foi. Só que chega tarde e a ida de António Costa a Belém só serve para que os portugueses percebam a pequenez daquele em que em má hora votaram paraum cargo para o qual não estava à altura.

É ridículo que Cavaco só anuncie que recebe Costa depois deste se ter reunido com os seus fafiosos. a sorte dele é que o líder do PS está empenhado em dignificar o cargo do PR não fazendo o que Cavaco merecia, faltar ao encontro inútil e que apenas foi convocado para salvar o que nada resta da boa imagem do senhor da Quinta da Coelha.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Vomite-se.»

 O mijadinho pede desculpa
   
«"Ontem, por equívoco, referi que o deputado mais velho eleito para o parlamento era uma mulher. Na verdade, o deputado mais velho é Alexandre Quintanilha”, lamentou na noite desta quinta-feira José Rodrigues dos Santos (pode ver o vídeo AQUI a partir dos 22m05s). A polémica instalou-se quando no telejornal de quarta-feira o pivot da RTP disse “o deputado mais velho [do parlamento] tem 70 anos e foi eleito - ou eleita - pelo PS.”

Esta quinta-feira à noite, Rodrigues dos Santos usou o mesmo meio onde cometeu o “equívoco” para se desculpar. “As devidas desculpas são endereçadas ao dois deputados”. O jornalista usou a expressão “eleito - ou eleita” quando se referia a Alexandre Quintanilha, deputado do PS, homossexual assumido e casado com o escritor norte-americano Richard Zimler.» [Expresso]
   
Parecer:

Ainda nesta Quinta-feira este mijadinho dizia que “Não sabia que Quintanilha era homossexual nem me interessa” e a RTP justifica-o dizendo que o jornalista nem estuda antes o que vai ler. Agora que percebeu a merdinha em que se meteu já pede desculpa, mas insiste no erro. Mentira, a nossa Maria José Rodrigues dos Santos não cometeu nenhum erro gramatical como mais acima se explicou.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sugira-se à nossa Maria José Rodrigues dos Santos que tenha mais cuidado com a gramática pois isso é inaceitável numa reputada escritora, ainda que influenciada pela língua inglesa..»

 Finalmente vai encher a mula
   
«O Presidente do Tribunal de Contas, Guilherme d'Oliveira Martins, apresentou o pedido de exoneração de funções ao Presidente da República, que assinou o despacho de exoneração pelas 17h00 desta sexta-feira.

Oliveira Martins passa a fazer parte da administração-executiva da Fundação Calouste Gulbenkian, instituição que é presidida por Artur Santos Silva.

O homem que presidiu aos destinos do Tribunal de Contas nos últimos dez anos, e está à frente do Centro Nacional de Cultura desde 2003, tem uma vasta experiência na área da cultura. O seu nome chegou a ser avançado como potencial candidato da área socialista às eleições presidenciais de 2016.» [Expresso]
   
Parecer:

Eh, Eh, Eh.... finalmente um bom tacho para este príncipe da nobreza social-democrata, depois de uma longa transumância do PSD para o PSD, com passagem no grupo BPN vai sentar-se na merecida manjedoura dourada da FCG, um lugar tranquilo e sem preocupações até aos 70 anos. Enfim, como diria o Jorge Jesus vai poder ajudar muitos pobrezinhos com os 60% de impostos que irá pagar.
     
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sugira-se a Artur Santos Silva que para além do pelouro das jacarandás do Jardim Gulbenkian tão distinto financeiro fique com o pelouro das aplicações financeiras da Fundação, depois do sucesso das acções de Cavaco Silva o país e a FCG teria muito a ganhar com os vastos conhecimentos bancário adquiridos pelo Guilherme na administração do muito bem sucedido Banco Efisa.»
blog comments powered by Disqus