sexta-feira, novembro 14, 2014

Umas no cravo e outras na ferradura



   Foto Jumento


 photo _Carmo_zps2dacc5dc.jpg

Igreja do Carmo, Lisboa

 Imagens dos visitantes d'O Jumento
  
 photo _Mono_zpsa6848b14.jpg

Chafariz do Mono, Monsanto [A. Santos]
  
 Jumento do dia
    
Maria Luís, ministra e esposa de um rapazola dado à violência

A ministra Maria Luís que é tão dada à austeridade poderia aplicar essa mesma austeridade à agressividade do seu marido que anda armado em Tontom Macoute da esposa. Esta mistura entre ministras e maridos agressivos é mais próprio do Haiti do 'Papa Doc' Duvalier do que do protugal europeu. A ministra devia obedecer ao velho princípio segundo o qual o que se come em casa não se diz na rua e esconder o seu marido dos olhos do povo, não vá um dia destes o povo imitar-lhe os métodos agressivos e violentos.

É a segunda vez que este senhor é notícia, da primeira tinham-lhe dado um tacho na EDP, agora aparece a enviar mensagens ameaçadoras a jornalistas que incomodam a esposa, um dia destes ainda se radicaliza e cria alguma milícia de defesa da austeridade. Uma imagem que não condiz com a da ministra, mas nisto como em tudo na vida o princípio é sempre o mesmo, diz-me com quem andas que dir-te-ei quem és.

«“Metes a minha mulher ao barulho e podes ter a certeza que vais parar ao hospital”, foi assim que começaram as ameaças que António Albuquerque fez a um jornalista do Diário Económico e que levaram Filipe Alves a apresentar uma queixa contra o marido da ministra das Finanças.

As mensagens, confirmadas por António Albuquerque à revista Sábado, começaram depois de um artigo de opinião do jornalista com o título “O que acontece se o Novo Banco for vendido com prejuízo?”. No artigo, Filipe Alves admitia a possibilidade de os portugueses virem a pagar a decisão de resolução do BES, uma hipótese na altura não admitida pelo Governo nem pela própria ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque.

Na sequência do artigo, o marido da ministra terá enviado a mensagens a ameaçar o jornalista que, num primeiro momento sem saber de quem se tratava, respondeu de forma irónica. Mas mais tarde, sabendo tratar-se de António Albuquerque, respondeu dizendo que iria dar conhecimento da situação à direção do jornal. Foi aí que António Albuquerque estendeu os insultos ao diretor do jornal, António Costa.» [Observador]

 António Costa e os vencimentos da Função Pública

Quando Passos Coelho prometeu e depois retirou a promessa de repor os vencimentos dos funcionários públicos António Costa mandou a sua deputada Ana Catarina Mendes garantir em pleno parlamento que a reposição será mesmo feita em 2016. Disse a deputada:

"Há uma coisa que o PS quer dizer: que o Orçamento do Estado para 2016, se os portugueses, como espero, confiarem no PS, será respeitador da Constituição e não afrontará o Tribunal Constitucional (TC). É por isso, senhoras e senhores deputados, que a reposição integral dos salários é mesmo para 2016"

Uns quantos dias depois António Costa descobre que, afinal, o TC permite cortar os vencimentos durante mais algum tempo e entrevista à RTP o quase líder do PS veio agora concluir que não foi fixado qualquer limiar ou qualquer timing pelo que promete devolver o máximo possível em 2016. Por outras palavras, o que Costa promete é exactamente a mesma coisa que Passos, não promete nada pois o máximo vai de 0% a 100%. Pior, Passos prometia a reposição dentro de um determinado prazo e Costa nem isso promete.

Como um dos mais fervorosos apoiantes de António Costa é Vital Moreira e família não seria de admirar mais uma cambalhota do quase líder do PS pois como é sabido o antigo militante do PCP tem defendido que os cortes dos vencimentos são constitucionais.

Costa é contra os cortes nos vencimentos mas já que os funcionários públicos estão habituados a suportar esta sacanice dá jeito a qualquer político que queira votos contar com esta "folga" orçamental.
 
 Uma pergunta ao comendador Barroso

De certeza que nunca teve conhecimento dos esquemas duvidosos do governo kuxemburguês de Juncker?

 Coisas estranhas

A auditoria conduzida pelos homens da ministra da Justiça chegou num instante aos jornais e ao MP e num ápice foi arquivada. Já a auditoria ao BdP ao BES só chegou aos jornais.
  
 IVA dos restaurantes

O mesmo António Costa que volta com aa palavra atrás e descobre que lhe pode dar jeeito continuar a sacrificar os funcionários públicos está muito proecupado com o IVA nos restaurantes. EM vez de se preocupar com a taxa do IVA dia era estar incomodado com a evasão fical generalizada num sector onde a regra é a fraude e a evasão fiscal. Mas o eleitoralismo vale mais do que os valores da justiça e da equidade.

 Guterres candidato a Belém

Parece que a Presidência da República é um emprego a que determinados políticos podem candidatar-se e sugerir que a sua candidatura fica suspensa durante o tempo necessário para que o candidato arranja melhor emprego noutro lugar qualquer.

A Presidência da República de Portugal é um cargo demasiado importante para o país, para os portugueses e em especial para os que estão fartos de Cavaco Silva que é inaceitável a forma como Guterres está lidando com o assunto, não sabe muito bem o que quer mas enquanto não arranja melhor deixou a presidência a marinar e fica-se com a impressão de que uma candidatura será um favor ao país.

Por mim dispenso os favores deste tipo e a candidatura de Guterres morreu aqui, estou-me borrifando para saber se é candidato, se não é candidato ou se mudou de ideias. Estou fartos dos Guterres, dos Barrosos e de políticos que vivem à custa do país e ainda se comportam como faz Barroso que parece o homem do fraque a pedir a toda a hora para que o país pague o que lhe deve.

 Muito estranha

Esta paixão dos nossos governantes, familiares, amigos e sócios por chineses da China comunista.


 Juncker enrascado
   
«Berlim lançou mais achas para a fogueira no caso Lux Leaks e marcou posição no debate que está a colocar em causa a capacidade de Jean-Claude Juncker de continuar a liderar a Comissão Europeia, presidência que assumiu há menos de 15 dias.

Um dia depois de Jean-Claude Juncker aparecer publicamente para se defender e tentar dar a volta ao escândalo em torno dos acordos fiscais entre centenas de multinacionais e o Luxemburgo, que lhes permitia reduzir a quase zero (ou mesmo zero) a fatura fiscal, o Governo da Alemanha mostrou que não vai facilitar a vida ao agora presidente da Comissão, mas que durante 19 anos foi primeiro-ministro do Luxemburgo.

“Nem tudo o que é legalmente possível corresponde à necessidade de justiça”, afirmou o ministro das Finanças da Alemanha, Wolfgang Schäuble, que, apesar de não referir por nome Jean-Claude Juncker, atacou aquela que tem sido a principal linha de defesa do responsável.

Esta quarta-feira, Jean Claude-Juncker surgiu na conferência de imprensa diária na sede da Comissão Europeia em Bruxelas, quando não estava previsto que o fizesse, para se defender. Juncker diz que foram sempre cumpridas as leis nacionais e internacionais, mas assumiu que era “politicamente responsável” no caso.» [Observador]
   
Parecer:

O ainda presidente da Comissão não percebeu que "já foi".
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sugira-se ao senhor que se demita e regresse ao governo do Luxemburgo para promover esquemas internacionais de evasão fiscal.»

 Detido o director nacional do SEF
   
«O diretor nacional do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), Manuel Jarmela Palos, foi detido esta quinta-feira pela Polícia Judiciária por estar, alegadamente, envolvido num esquema de corrupção de atribuição ilegal de “vistos gold”, segundo avançam o Expresso Diário e o Correio da Manhã. O presidente do Instituto de Registos e Notariado foi, também, detido na mesma operação.

As detenções ocorreram na sequência de buscas feitas à sede do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) em Porto Salvo, concelho de Oeiras, por elementos de Polícia Judiciária, revelou à Lusa fonte do organismo.

A mesma fonte adiantou que as buscas da PJ estão relacionadas com a emissão de autorizações de residência para investimento superiores a 500 mil euros, os denominados “visto gold”.


Manuel Jarmela Palos, que é diretor nacional do SEF desde 2005, preparava-se para viajar para fora do país antes de ser detido pela PJ, de acordo com a SIC.» [Observador]
   
Parecer:

Digamos que teve direito a um mandato gold.

Curiosamente Miguel Macedo que tem agora o menino das mãos tinha exigido a sua demissão em 2005 [DN]. Deve estar arrependido de ter mudado de ideias.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «»

 PS volta à treta do IVA dos restaurantes
   
«Estas posições foram transmitidas aos jornalistas pelo vice-presidente do Grupo Parlamentar do PS Vieira da Silva no final da reunião semanal da bancada socialista, que debateu as propostas que serão apresentadas na especialidade no âmbito do Orçamento do Estado para 2015.

Vieira da Silva disse que as propostas do PS serão conhecidas na sexta-feira, data limite para a entrega de alterações ao Orçamento do Estado, mas que os socialistas não têm expetativa que a maioria PSD/CDS as aceite viabilizar.» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:

Como se o problema dos restaurantes estivesse na taxa eles que escapam a quase tudo o que é impostos.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamente-se.»

 O sucesso dos vistos gold
   
«O diretor nacional do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), Manuel Jarmela Palos, foi detido esta quinta-feira pela Polícia Judiciária por estar, alegadamente, envolvido num esquema de corrupção de atribuição ilegal de “vistos gold”, segundo avançam a edição online do Expresso e o Correio da Manhã. Além Jarmela Palos, foram também detidos o presidente do Instituto de Registos e Notariado, António Figueiredo, e a secretária-geral do Ministério da Justiça, Maria Antónia Anes, esta última confirmada pela SIC.

As detenções ocorreram na sequência de buscas feitas à sede do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) em Porto Salvo, concelho de Oeiras, por elementos de Polícia Judiciária, revelou à Lusa fonte do organismo.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) já emitiu um comunicado onde informa que estão ainda em curso 60 diligências em diversos pontos do país e foram emitidos outros mandados de captura, pelo que se espera que outros responsáveis sejam detidos ao longo do dia. A Unidade Nacional de Combate
à Corrupção (UNCC) da Polícia Judiciária (PJ) está a investigar suspeitas de crimes de corrupção, tráfico de influências, peculato e branqueamento de capitais.» [Observador]
   
Parecer:

Com tanto chinês duvidoso a emigrar para Portugal e a especular nas habitações de luxo era de esperar esta bandalheira.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Expurgue-se o cancro extinguindo o SEF e distribuam-se as suas competências pelas forças policiais já existentes.»
  
 A anedota da semana
   
«A ministra das Finanças recusou esta quinta-feira no Parlamento rever já as previsões económicas em que a proposta de Orçamento do Estado assenta, argumentando que não é razoável ajustar previsões “a cada duas semanas” e diz que as previsões até têm uma margem de prudência.


“Nós não podemos ajustar previsões a cada duas semanas, não é razoável e não faz sentido. (…) Isso não é forma de fazer orçamentos e não é de todo razoável. Estamos a falar de previsões”, afirmou a ministra das Finanças na audição que fecha as idas dos ministros à comissão parlamentar de Orçamento, Finanças e Administração Pública para discutir o orçamento.» [Observador]
   
Parecer:

A ministra erra ou aldraba as previsões da forma que mais lhe convém e depois vem dizer que não pode corrigi-las de duas em duas semanas. Pois, o melhor é ter um orçamento errado para todo um ano!
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se a merecida gargalhada.»
  

   
   
 photo Roeselien-Raimond-3_zps959bfbcc.jpg

 photo Roeselien-Raimond-4_zpsced5bca4.jpg

 photo Roeselien-Raimond-1_zps8ff31f4f.jpg

 photo Roeselien-Raimond-5_zps04f2d913.jpg

 photo Roeselien-Raimond-2_zpsd7a95c4d.jpg
  
blog comments powered by Disqus