quinta-feira, novembro 27, 2014

Umas no cravo e outras na ferradura



   Foto Jumento


 photo _Folclore_zps9663af2d.jpg

Folclore junto ao Palácio de Belém, Lisboa
   
   Fotos dos visitantes d'O Jumento


 photo _Povinho_zpsa4018eec.jpg

Zé Povinho na Pampilhoa [A. Moura]

 Jumento do dia
    
Rui Cardoso, sindicalista ao lado do MP

O sindicato dos magistrados do ministério Públco confunde a defesa dos trabalhadores coma defesa do MP e reage de forma brutal a Mário Soares, como se justiça portuguesa merecesse a admiração que o sindicalista parece ter. E não será uma vergonha um sindicato de magistrados ter organizado um luxuoso congresso com o alto patrocínio do BES?

Este é um sindicato estranho pois desde que o conheço quase nunca o vi envolvido em questões sindicais, pelo contrário, parece existir para defesa da Procuradoria-Geral da República, neste sentido trata-se de um verdadeiro sindicato soviético qu representa o interesse colectivo dos seus trabalhadores identificados pela instituição. É como se o sindicato dos trabalhadores do comércio estivesse na primeira linha da defesa do Pingo Doce ou se a representação pública de Ricardo Salgado estivesse entregue ao Sindicato dos Bancários do Sul e Ilhas.

Estamos perante um sindicato que para além de organizar faustos congressos para sindicalistas e acompanhantes em hotéis de luxo pertencentes ao BES e com o patrocínio deste, nos bons tempos em que Ricardo Salgado se entretinha a enterrar o banco, se dedica à defesa do MP sempre que os seus casos atingem o maior partido da oposição.

«O presidente do Sindicato dos Magistrados do Ministério Público (SMMP) considerou hoje "absolutamente lamentáveis" e "uma vergonha para o país" as declarações do ex-Presidente da República Mário Soares à saída da cadeia de Évora.

"As declarações do Dr.Mário Soares são absolutamente lamentáveis, são indignas de um Presidente da República, são uma vergonha para o país de que foi o mais alto magistrado", disse à Agência Lusa Rui Cardoso, presidente do SMMP, reagindo às afirmações do antigo Chefe de Estado à saída da cadeia, onde o ex-primeiro-ministro José Sócrates está em prisão preventiva por indícios de corrupção, branqueamento de capitais e fraude fiscal qualificada.» [DN]

 Zenit 1 - 0 Benfica

O imbecil do Jesus já se pode concentrar naquilo que é importante e sua prioridade, os jogos com o Arouca.

 Ridículo

Ainda há poucos dias Paulo Portas colava-se a uma grande empresa portuguesa de obras públicas e foi de propósito ao México, na companhia do Bobo da Horta Seca, para dar ares de ter sido o grande promotor do negócio. Ao mesmo tempo os jornalistas vasculham as viagens de Sócrates para identificarem as empresas que faziam negócios.

 Sugestão à Procuradora-Geral

 photo Dazibao_zpsa92bb45d.jpg

Não seria mais lógico em vez de andar a abrir inquéritos à violação do segredo de justiça, de que resultarão apenas mais perdas do dinheiro dos contribuintes que começa a ser escasso, democratizar as violações de todos os valores da justiça e mandar publicar todo o processo doo Sócrates num dazibao nas paredes da procuradoria-Geral da República.

Para além do recurso aos jornais de parede maoísas ser mais democrático do que dar a informação só à Felícia Cabrita é um método adequado aos objectivos parecem presidir a muito do que se vai passando, lido o dazibao a populaça poderia partir em busca de tudo e de todos os que cheirassem a Sócrates. Até poderia ser o velho maoísta José Manuel Fernandes, agora no Observador, a comandar a horda justiceira.

 Começo a perceber

Se for mesmo verdade que o ex-director do SEF foi acusado e preso por ter recebido duas arrafas de vinho por mera cortesia e o seu nome ter sido referido abusivamente num telefonema só podemos entender a actuação da justiça como uma perseguição com o objectivo de exibir um nome ligado por via de uma nomeação a António Costa.

Destruir a vida de uma pessoa, atingindo toa a sua família sem qualquer prova de crime é uma sacanice sem limites .
  
 Para que serve o segredo de justiça

Serve apenas para que aqueles que gostam de ser carrascos possam condenar na praça pública misturando mentiras com algumas peças processuais que até serem provadas não são nem verdades nem mentiras.

 Jornalistas sempre, sempre ao lado das polícias

É preocupante, mesmo muito preocupante ver a quase totalidade dos nossos jornalistas estarem ao lado das polícias e fazerem todos os fretes que estas lhes pedem.

 Rússia: como atravessar a estrada em segurança





 A PGR está de parabéns
   
«O Ministério Público (MP) comunicou a abertura de um inquérito a uma eventual violação de segredo de justiça no âmbito da investigação que levou à detenção do ex-primeiro-ministro José Sócrates e de outros três arguidos. “O MP, sempre que tem conhecimento de factos suscetíveis de integrarem o crime de violação do segredo de justiça, age em conformidade. Nestes termos, e na sequência de notícias veiculadas por diversos órgãos de comunicação social, foi decidido instaurar um inquérito onde se investiga toda esta factualidade”, refere uma resposta da Procuradoria-Geral da República enviada à Lusa.

José Sócrates, indiciado de fraude fiscal qualificada, corrupção e branqueamento de capitais, foi detido na sexta-feira, no desembarque do avião que o transportou de Paris até Lisboa, encontrando-se em prisão preventiva no Estabelecimento prisional de Évora. O motorista do ex-governante, João Perna, o advogado Gonçalo Trindade Ferreira e Carlos Santos Silva foram detidos na quinta-feira, igualmente suspeitos da prática de crimes económicos.» [Observador]
   
Parecer:

A PGR está de parabéns pois a partir do momento em que mandou abrir um inquérito à óbvia violação do segredo de justiça limpou a sua honra, bem como dos seus subordinados. O habitual processo já pode seguir o seu curso habitual e agora já se aceitam apostas sobre quanto tempo vai decorrer até ser arquivado por falta de provas.

O problema é que o leitor já não sabe se estamos perante mais uma fuga ao segredo de justiça pois os jornalistas estão tão habituados a saber tudo por portas travessas que antes de saírem os comunicados é bem provável que já estejam na posse das competentes fotocópias.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se a merecida gargalhada.»

 Polícia sofisticada
   
«O ex-primeiro-ministro, José Sócrates, preso preventivamente por indícios de corrupção, fraude fiscal qualificada e branqueamento de capitais, tencionaria destruir provas fulcrais quando regressou de Paris na noite da passada sexta-feira. Trata-se de documentos que mais tarde foram apreendidos durantes as buscas.

Esta é a convicção dos investigadores, alicerçada em indícios detectados durante as escutas ao ex-governante, que saberia que estava a ser investigado e que podia vir a ser detido. Foi, nomeadamente por essa razão que foi detido de imediato mal aterrou em Lisboa.» [Público]
   
Parecer:

As nossas polícias não fazem apenas escutas e limpezas de computadores, também tem aparelhos capazes de ler o pensamento À distância que vai daqui a Paris. O juiz Alexandre e o homem do MP sabiam que Sócrates vinha para Lisboa para destruir documentos. Felizmente a nossa justiça foi esperta, apanhou-o no aeroporto e levou-o a casa para lhe dar os documentos.

Esta informação é muito preciosa para o esclarecimento na verdade, agora percebe-se que Sócrates só não fugiu porque tinha os tais documentos por destruir. Sabemos também que Sócrates é um grande palerma, sabia que estava sob escuta e a ser investigado e mesmo assim foi para París sem ter destruído os tais documentos que acabaram por lhe impedir a fuga.

O que seria de nós e da nossa tranquilidade sem a inteligência e sagacidade dos nossos procuradores e Garzons tugas.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Mandem-se os parabéns ao MP.»

 Soares em Évora
   
«Mário Soares já se encontra no interior do Estabelecimento Prisional de Évora, onde se deslocou esta manhã com o intuito de visitar José Sócrates, preso preventivamente desde a noite de segunda-feira por suspeita de fraude fiscal qualificada, branqueamento de capitais e corrupção.» [Expresso]
   
Parecer:

De que lado está a cobardia? Do lado de Mário Soares e da esquerda não está certamente, a cobardia está do lado dos que se sentem inseguros e recorrem à violação do segredo de justiça para manipularem a opinião sem terem a coragem de dar a cara.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»

 O procurador falhado
   
«À volta de Jorge Rosário Teixeira já foram criados quase todos os tipos de mitos: um dos homens mais poderosos do país (chegando a integrar uma lista do Jornal de Negócios), especialista em crime económico, um "monge" que passa os dias e as noites no Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), um investigador meticuloso... Porém, o magistrado de 52 anos tem contra si a sempre desconfortável estatística: nos últimos anos, não há memória de uma condenação em tribunal de um processo, sobretudo mediático, por si investigado.

É óbvio que, dada a complexidade dos "seus" processos, as acusações sejam poucas. Mas o último caso que teve origem numa investigação sua, o Portucale (no qual estavam em causa suspeitas de tráfico de influências para a aprovação de um projeto do Grupo Espírito Santo) acabou com absolvições, entre as quais a de Abel Pinheiro, antigo dirigente do CDS-PP.» [DN]
   
Parecer:

Parece que até aqui o super-procurador se ficou pelas investigações e as únicas condenações conseguidas foram os julgamentos na praça pública alimentadas pelas habituais violações do segredo de justiça.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Mais uma gargalhada.»
  
 Ridículo
   
«O advogado João Araújo acabou com o mistério: José Sócrates ficou em prisão preventiva porque o juiz Carlos Alexandre temeu que caso fosse libertado, o ex-primeiro-ministro poderia fugir, continuar a atividade criminosa ou destruir provas do processo.

Em declarações ao "Diário Económico", João Araújo confirmou que o juiz Carlos Alexandre invocou todos estes motivos para justificar a prisão preventiva. O advogado de Sócrates revelou ainda que a defesa "não foi confrontada" com indícios do crime de corrupção. Apesar disso, o ex primeiro-ministro é suspeito deste crime por atos que terá praticado enquanto era governante.

Carlos Alexandre acedeu ao pedido do procurador Rosário Teixeira e invocou quase todos os pressupostos da lei para aplicar a medida de prisão preventiva a Sócrates. Só faltou o alarme social.» [Expresso]
   
Parecer:

Digamos que na cadeia Sócrates está mais silenciado para tranquilidade da falsa justiça portuguesa.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Vomite-se.»
  
 MP não tem meios para tanta escuta
   
«A Procuradoria-Geral da República (PGR) considera que a Polícia Judiciária não dispõe de meios técnicos nem humanos que lhe permitam dar resposta a uma concentração das escutas neste órgão de polícia criminal. Para a PGR uma medida deste género – defendida pela ministra da Justiça, Paula Teixeira da Cruz – poderia ter “consequências nefastas” para a “eficácia da investigação”.

A concentração das escutas (intercepção de comunicações telefónicas, correio electrónico ou mesmo gravação de conversas entre presentes) na PJ chegou a integrar o texto de uma proposta de lei que altera o Código do ProcessoPenal (CPP), mas a medida teve a oposição do ministro da Administração Interna, Miguel Macedo (que saiu do cargo há pouco mais de uma semana) e acabou por ser retirada antes de o diploma ir a Conselho de Ministros, a 13 de Novembro último. Mas antes disso, o texto do Ministério da Justiça foi enviado a várias entidades, para que emitissem um parecer – e foi neste âmbito que a PGR alertou que não há condições práticas para que a PJ possa ficar com o monopólio das escutas.» [i]
   
Parecer:

As escutas telefónicas em Portugal são tantas que se o MP as fizesse sem o apoio de muitos organismos teria de paralisar.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se à OGR o porquê de tanta devassa,»
  

   
   
 photo Jonathan-3_zps9ad491ab.jpg

 photo Jonathan-2_zps18121b4f.jpg

 photo Jonathan-1_zps00f7bd4e.jpg

 photo Jonathan-4_zpsf62a87bf.jpg

 photo Jonathan-5_zps3e91e8b3.jpg
  
blog comments powered by Disqus