quarta-feira, junho 10, 2015

Umas no cravo e outras na ferradura



   Foto Jumento


 photo _Bica_zpsbhpiwrob.jpg

Bairro da Bica, Lisboa
  
 Jumento do dia
    
Família Moniz

Em menos de 24 horas a família Moniz mostrou as versões feminina e masculina daquilo que são, primeiro foi a esposa a fazer a encenação num programa em directo (quando já sabia que o programa acabava este mês), a seguir veio o esposo mostrar o seu conceito de lealdade. Uma sonha ainda ser o que não conseguiu ser numa televisão, o outro sonha ser dono de um clube.

«O vice-presidente do Benfica, José Eduardo Moniz, escusou-se a comentar a saída de Jorge Jesus do Benfica e remeteu para Luís Filipe Vieira as explicação sobre os motivos que levaram à saída do treinador português para o Sporting.

"O assunto do Jorge Jesus tem estado a ser tratado diretamente pelo presidente do Benfica, é a ele que compete resolver e tratar destas questões".

"Estive fora até hoje, cheguei a Lisboa eram 5 horas da manhã. Têm de perguntar ao Luís Filipe Vieira ", afirmou ao Público.» [Sapo]

 "Querida, encolhi Portugal"

 photo encolhi_zpseocek2nh.png
  

 O Lilliput de Massamá

 photo Lilliput_zpsnvvsonf5.png

 As comemorações do 10 de Junho

Cheira-me que vão marcar a entrada oficial de Cavaco Silva na campanha eleitoral para as legislativas.

 Ele não disse

Houve um tempo em que quase todo o governo comentou de forma simpática a emigração, foi o caso de Miguel Relvas e de Passos Coelho. Agora o primeiro-ministro esconde-se atrás de truques de linguagem, mas a verdade é que nunca desautorizou os membros do seu governo que sugeriram aos jovens que emigrasse. Foi o caso do titular da pasta da Juventude, o secretário de Estado Miguel Mestre, que em Outubro de 2011 não podia ser mais claro:

«"Se estamos no desemprego, temos de sair da zona de conforto e ir para além das nossas fronteiras", disse o governante, que falava para uma plateia de representantes da comunidade portuguesa em São Paulo e jovens luso-brasileiros.

Segundo o mesmo responsável, o país não pode olhar a emigração apenas com a visão negativista da "fuga de cérebros".

Para Miguel Mestre, se o jovem optar por permanecer no país que escolheu para emigrar, poderá "dignificar o nome de Portugal e levar know how daquilo que Portugal sabe fazer bem".» [DE]

Não foi um mito urbano, foi uma solução abraçada por um governo que criticava os que queriam crescimento e receava as consequência do desemprego dos jovens.

 PAF

 photo _PAF_zps6pea6std.jpg

      
 E a Joana também é um mito urbano?
   
«Somos maus caçadores de mitos urbanos. Treslemos demasiado nas palavras. E ainda vai ser pior. Temos um ministro da Educação que para o segundo ano (miúdos de 8 anos) deixa haver testes assim: "A massa da Ana, do Rui e do gato é no total, 76 kg. A massa do Rui é 36 kg e a massa do gato é 5 kg." Massa? O ortorrômbico do ministro torna-nos secante o gosto pelas palavras desde pequeninos. Por falar nestes, o nosso primeiro esteve no Portugal deles, ontem. Há um mito urbano sobre Passos: ele seria encantador com as mulheres. Talvez dos olhos pestanudos. Ontem, Joana Vasconcelos inaugurava um bule no Portugal dos Pequenitos. Passos entrou para o bule e convidou a artista a acompanhá-lo. E mal ela entrou, ele lançou: "Digo-lhe uma coisa, isto é muito mais amplo do que parece." Estaria Passos a chamar gordinha à Joana? Seria talvez outro mito urbano considerá-lo grosseiro. Ele é só um produto do ministro Crato avant la lettre. Passos tropeça nas palavras. E mandar emigrar os portugueses é outro mito urbano? Queria mandar? Não sei. Mandou? Mandou. Mas que querem que vos diga de quem é peco a falar? O facto é que, em dezembro de 2011, ele convidou os professores a emigrar para o Brasil e Angola. Escrevi, então: "Para político, "ide embora!", é curto." E acrescentei, para ele perceber: "Para professores emigrarem é preciso acordos prévios. Já fez acordos com o Brasil e Angola?" A resposta que Passos me deu é um mito urbano.» [DN]
   
Autor:

Ferreira Fernandes.

      
 Descobertos os culpados do terramoto na Malásia
   
«O terramoto na região do Monte Kinabalu "foi causado pelos actos sacrílegos" de um grupo de turistas que "se despiram no cume do monte, segundo disse o ministro-chefe adjunto [da região] Tan Sri Joseph Pairin Kitingan". É assim que o jornal malaio MalayMail noticia o acontecimento e as suas causas.

"Quer as pessoas acreditem ou não, é nisto que acreditam os Sabahs", os residentes do Sabá, estado da ilha do Bornéu, onde se encontra a montanha. "Quando o terramoto ocorreu, foi como uma confirmação das nossas crenças", disse o responsável durante uma conferência de imprensa sobre o terramoto, cuja última contagem de vítimas ia em 19. "É uma montanha sagrada e não pode ser encarada levianamente", sublinhou. Não em vão, a polícia quer impedir a saída do país dos turistas e um já foi detido para ser interrogado, informa o jornal local New Strait Times. As autoridades terão identificado dois canadianos, dois holandeses e um alemão.» [Público]
   
Parecer:

Se calha até têm razão...
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Vamos tirar uma fotografia em pelota junta da parede da residência oficial de São Bento!»
  
 Ministra tira à GNR para dar à PSP
   
«Depois de ter cedido a todas as reivindicações das polícias no novo estatuto da PSP, a ministra da Administração Interna abriu uma nova frente de guerra com a GNR. Na primeira reunião com as cinco associações representativas da Guarda, também sobre um novo estatuto, não foi prevista qualquer atualização salarial e estão contemplados 22 dias de férias, 40 horas semanais de trabalho e um regime de aposentação aos 60 anos, após 40 de serviço.

Anabela Rodrigues avançou assim com uma proposta de negociação com a GNR muito mais desfavorável do que aquela que acabou por acordar com as estruturas representativas das polícias.» [DN]
   
Parecer:

Esta mulher é maluca.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamente-se.»

 Sinais do sucesso
   
«O crédito malparado das famílias continua a aumentar em Portugal. Segundo os dados mais recentes do Banco de Portugal, 4,44% do total dos empréstimos concedidos a particulares em abril eram creditos dados como vencidos. Qualquer coisa como 5,4 mil milhões de euros. A parcela maior é a do crédito à habitação, com 2,5 mil milhões de euros de malparado» [DN]
   
Parecer:

A verdade é que aqueles que foram alvo do ódio de Passos Coelho continuam a suportar a austeridade sem que esta sofra qualquer alívio.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Denuncie-se a canalhice.»

 Está aberta a campanha eleitoral
   
«O Presidente da República disse hoje que se está a iniciar uma nova fase na vida nacional, considerando que há razões de confiança no futuro do país, "apesar de muito haver ainda a fazer". O Presidente elogiou também a capacidade do país se reinventar e a "fibra e garra" dos portugueses que não se resignam, não baixam os braços e arregaçam as mangas.

"Portugal cumpriu um exigente Programa de Assistência Económica e Financeira que, numa altura de emergência nacional, foi obrigado a estabelecer com as instituições internacionais. Encerrado esse programa, uma outra página se abre. Iniciámos uma nova fase da vida nacional e temos razões de confiança no futuro do país", afirmou o chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva, numa mensagem dirigida às comunidades portuguesas no estrangeiro por ocasião do Dia de Portugal.» [DN]
   
Parecer:

Quando comecei a elaborar este post lancei uma adivinha. Não foi necessário esperr pelo fim do dia para se verificar a previsão, o discurso de Cavaco é um discurso de alguém que já está em campanha eleitoral pelo seu partido. Cavaco quer ser o líder da direita por achar que os seus subordinados são demasiado desastrados.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Vomite-se.»

 Silêncio oportuno
   
«O presidente da Câmara do Porto, o independente Rui Moreira, disse hoje que nas eleições legislativas de setembro ou outubro não apoiará qualquer candidato ou candidatura.

"O presidente da Câmara do Porto não apoiará nenhum candidato nem nenhuma candidatura. Com certeza que as legislativas [deste ano] vão absorver os portugueses e, com certeza haverá algumas pessoas que estiveram na minha candidatura que apoiarão partidos diferentes. Eu, no dia dos votos votarei, mas manterei o meu silêncio. A nossa candidatura disse que se candidatava pelo Porto. Portanto, estamos cá pelo Porto. Eu estou cá pelo Porto", vincou.» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:

Assim não prejudica a sua imagem.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»

   
   
 photo Spitsin-Alexander-1_zpsok0oxxij.png

 photo Spitsin-Alexander-2_zpse6spmimp.png

 photo Spitsin-Alexander-3_zpsxej8ej8y.png

 photo Spitsin-Alexander-5_zpsfzdrd6yh.png

 photo Spitsin-Alexander-4_zpsaqiuy2tt.png
  
blog comments powered by Disqus