sábado, maio 28, 2016

Umas no cravo e outras na ferradura



 Jumento do dia
    
Francisco Assis

Finalmente o país ficou a saber que Assis não votou em António Costa nas directas do PS. Acabou a grande dúvida da Nação.

«Entrevistado pelo DN e pela TSF, Francisco Assis mantém todas as críticas que fez desde o início aos acordos de esquerda em que António Costa assenta o seu Governo

"Não votei em António Costa nas diretas [que a 21 de maio passado reelegeram António Costa como secretário-geral do PS]. Não votei, não participei, seria da minha parte uma grande hipocrisia fazer isso. Não participei neste processo eleitoral - pura e simplesmente não votei", afirma o eurodeputado e ex-líder parlamentar do PS.» [DN]
      
 Vice-presidente do SCP condenado
   
«O antigo vice-presidente do Sporting foi absolvido dos crimes de burla e de branqueamento de capitais mas condenado por dois crimes de peculato, por uso indevido de dinheiro e bens do clube de Alvalade.

Pereira Cristovão foi também condenado por denúncia caluniosa agravada ao árbitro José Cardinal. Estando obrigado a pagar-lhe uma indemnização de 40.000 euros, por danos não patrimoniais.

O antigo vice-presidente do Sporting foi ainda condenado ao pagamento de indemnizações de 500 euros a cada um dos 35 árbitros que se constituíram assistentes no processo, o que perfaz um total de 17.500 euros.» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:

E o SCP não sabia de nada?
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»
  
 O desespero leva à asneira
   
«Esta quinta-feira, o Presidente da República recebeu os representantes do Defesa da Escola Ponto. Após o encontro, que durou hora e meia, o movimento enviou um comunicado às redações onde citava por três vezes o chefe de Estado.

"Marcelo afirmou que 'tem de se encontrar uma solução para o problema dos colégios'" e tomou “boa nota” do parecer jurídico entregue pelos representantes do movimento e encomendado a um constitucionalista que defende a ilegalidade nos cortes às escolas privadas, lê-se no documento.

O Defesa da Escola Ponto escreve ainda que Marcelo disse: "Mal tenham a versão completa, enviem-ma". Além de revelar que o Presidente prometeu que esta sexta-feira abordaria o tema na sua reunião semanal com o primeiro-ministro e que se esforçaria para “encontrar uma solução para o problema”.

Contudo, fonte do gabinete da Presidência da República disse que esta interpretação da conversa é da responsabilidade dos representantes e escolas e que distancia de tais considerações.» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:

Querem a todo o custo transformar um presidente num advogado barato do seu negócio.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Espere-se para ver.»

 E agora?
   
«O que a PGR entende é que “os contratos assinados entre os estabelecimentos de ensino particular e cooperativo e o Estado comportam a totalidade dos ciclos iniciados em 2015/2016, não permitindo a abertura de novas turmas de início de ciclo todos os anos”, além de que “a celebração de contratos de associação tem de ter em conta as 'necessidades existentes’ de estabelecimentos públicos de ensino como pressuposto legal da celebração dos mesmos”.

“O Ministério da Educação foi hoje notificado do parecer do Conselho Consultivo da Procuradoria-Geral da República que corrobora a interpretação do Governo relativamente aos contratos de associação”, informou a tutela em comunicado.

Na mesma nota, pode ler-se que “com este parecer, o Ministério da Educação vê assim confirmada a interpretação contratual de não ser devido o financiamento de novas turmas de início de ciclo no próximo ano letivo em zonas onde exista resposta da rede de estabelecimentos públicos de ensino”.» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:

A estratégia do pessoal amarelo esbarrou na ilegalidade.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se conhecimento aos interessados.»

 Oportunistas
   
«Deputados, autarcas e dirigentes das distritais dos dois maiores partidos de direita vão juntar-se à manifestação de domingo dos colégios contra os cortes nos contratos de associação. Oficialmente nem PSD nem CDS-PP se associam ao movimento, mas várias caras dos dois partidos vão estar no protesto que vai começar na Avenida 24 de Julho, em Lisboa, e acaba junto à Assembleia da República. Do lado dos colégios já estão registadas 19 mil pessoas e a organização acredita que pode chegar às 25 mil, o objetivo inicial.

"Alguns colegas que são deputados e presidentes de distritais vão estar a acompanhar os diretores dos colégios e os presidentes de câmara. Eu não estarei, mas sei que algumas pessoas do partido vão estar", explicou ao DN a deputada do PSD Nilza de Sena. Um desses casos será o do deputado de Castelo Branco Manuel Frexes, que é presidente da distrital laranja e estará a apoiar as direções dos colégios da zona. Presente "como apoiante da causa" vai estar também a deputada centrista Ana Rita Bessa. "O CDS não estará como partido, embora seja apoiante da causa, porque acredita que as coisas não se resolvem na rua. Mas há uma forte probabilidade de alguns dirigentes e elementos do partido estarem presentes, a título pessoal, na manifestação", acrescentou a deputada.» [DN]
   
Parecer:

Nunca se fizeram ouvir em defesa da "liberdade de escolha", agora tentam fazer surf numa batalha que visa sacar dinheiro dos contribuintes.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Vomite-se.»
  
blog comments powered by Disqus