segunda-feira, maio 09, 2016

Umas no cravo e outras na ferradura


  
 Jumento do dia
    
Passos Coelho, traste de Massamá

Parece que Passos Coelho está de volta igual a si próprio, já se deixou da pantominice do primeiro-ministro no exílio e saiu da câmara ardente, voltou a ser o mentiroso e político de baixo nível que sempre conhecemos.

«O secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Pedro Nuno Santos, exigiu hoje que o líder do PSD, Pedro Passos Coelho, "rapidamente" fundamente as "acusações graves" que dirigiu no sábado ao ministro da Educação.

No sábado à noite, o líder do PSD e também ex-primeiro-ministro acusou o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, de estar a tomar decisões influenciado pelos partidos de esquerda que sustentam o Governo no parlamento e disse que começa "a ter dúvidas" de que o governante "seja mesmo ministro da Educação".

Hoje, o Governo convocou os jornalistas para exigir explicações ao líder do PSD, pelas palavras do secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares: "Uma coisa é um líder da oposição de forma inteiramente legítima fazer críticas ou estar em desacordo com a política educativa do Governo, outra coisa completamente diferente é o que Pedro Passos Coelho fez, lançando acusações graves sobre a idoneidade de um membro do Governo", afirmou Pedro Nuno Santos.» [DN]

      
 Americana burra
   
«Quando um avião da American Airlines se preparava para descolar, uma das passageiras estranhou o facto de o seu vizinho – de pele morena e cabelos castanhos encaracolados – estar a rabiscar freneticamente numa folha de papel. As sequências de números e letras pareceram-lhe ser árabe. E mandou parar o aparelho por recear estar perante um terrorista.

Fingindo sentir-se mal, a mulher chamou a hospedeira e o avião, que já se encontrava na pista, voltou para trás. Uma vez no exterior revelou aos seguranças do aeroporto a sua suspeita e pediu para mudar de voo.

Os seguranças retiraram o passageiro suspeito do aparelho e interrogaram-no, concluindo que se tratava de Guido Menzio, um prestigiado economista italiano que dá aulas na Universidade da Pensilvânia, e que aproveitava o momento antes da descolagem para resolver um problema matemático.

Menzio contou o sucedido a alguns jornais norte-americanos, revelando que quando lhe pediram para sair do avião pensava que era para tentar perceber as razões do mal-estar da pessoa que viajava ao seu lado. Afinal, ficou a saber que a sua vizinha suspeitava que ele era um terrorista, porque estava escrever uma coisas aparentemente estranhas numa folha de papel.» [Público]
  
blog comments powered by Disqus