segunda-feira, maio 18, 2015

Uma centena de Centenos

Há muito que o PS devia ter feito um balanço da política económica destes anos rompendo com a ditadura ideológica que tem sido tecida pelo governo em torno da política de austeridade. Aliás, não é apenas no domínio da Política Económica que as opções ideológicas deste governo devem ser questionadas, o mesmo pode e deve ser feito em muitos outros domínios como a saúde, o ensino, a justiça, as universidades, a cultura, a energia, os transportes e muitos outros domínios da vida do país.

O governo, com a ajuda de um enxame de jornalistas que trabalham a recibos laranjas, de falsos comentadores e de alguns empresários dados a financiarem esquemas do tipo Tea Party ou Observador, tem vindo a passar a ideia de que cumpriu um memorando, que a política de austeridade não tem alternativa e que tudo foi feito com competência. A verdade é que o governo usou o memorando para disfarçar a sua agenda extremista, há políticas económicas alternativas e em muitos domínios o governo tem pautado pela incompetência.

Sem oposição às suas políticas para a saúde o dr. Paulo Macedo pode fechar enfermarias, desnatar o SNS em favor do sector privado e no fim vir dizer que o SNS está melhor agora do que estava. O mesmo podem fazer todos os ministros deste governo porque a oposição de esquerda não existe, o PCP faz oposição ao governo e à oposição, o BE faz oposição a tudo e a todos e o PS pouca oposição tem feito.
  
Foi óbvia a surpresa que provocou no governo a apresentação dos cenários macroeconómicos apresentados pelos economistas convidados pelo PS e o Mário Centeno tem conseguido destroçar uma parte do discurso da discurso. O que seria se os mesmos economistas tivessem ido mais longe e destruíssem as mentiras que têm vindo a ser promovidas pelo governo como a tese da saída limpa, o pagamento antecipado aos credores, o sucesso das exportações como uma consequência do ajustamento e muitas outras.
  
Infelizmente António Costa convenceu-se de que tudo seria fácil e optou por não fazer oposição durante cerca de cinco meses, dando à direita todo o espaço para recuperar. O que o país precisava era de muitos Centenos, não apenas nos cenários macroeconómicos mas todos os domínios da sociedade, para demonstrar as mentiras, denunciar a incompetência e responsabilizar o governo pelo mal que tem feito ao país.

PS: Isto não é uma intervenção policial, é uma acção criminosa a coberdo de uma farda e a ministra da Administração Interna já devia ter feito uma de duas coisas, ou desaprovava de forma clara este tipo de intervenção policial ou pede a demissão pois é mais do que óbvio que esta ministra não está em condições de ter a pasta da Amdinistração Interna.

blog comments powered by Disqus