quinta-feira, abril 21, 2016

Difamar a democracia

 photo salazar_zpsiomr2nwk.jpg

Todos os dias recebo emails difamando a classe politica, supostas denúncias de enriquecimento ilícito, comparação com o exemplo vindo de fora, propostas de redução do número de deputados. A mensagem é sempre a mesma, os deputados são inúteis, os políticos são incompetentes, desonestos e corruptos.
  
Todos os dias ouço palavras em programas de televisão onde os nossos políticos são achincalhados, tratados por inúteis e incompetentes, a democracia é tratada como um regime que conduz a más soluções. Ouça, por exemplo, o discurso de Medica Carreira, a forma como rebaixa a maioria dos políticos, como eleva a modelos aqueles com que concorda e reduz a caca aqueles de que discorda e desconsidera. E quem é esse Medina Carreira, alguém que aprendeu os valores da democracia no berço familiar, alguém que marcou o país pela sua competência, alguém habilitado para falar dos temas que comenta?

Todos os dias, umas vezes de forma mais subliminar do que outras, a classe política é achincalhada e a democracia é apontado como um regime gerido por bandidos, incompetentes e corruptos. 
  
Quantos políticos temos em Portugal? Alguns milhares. Governantes, autarcas, deputados e muitos milhares de militantes anónimos que ajudam a manter os partidos na base dos quais funciona a democracia. Quantos destes políticos nada ganham, quantos deles dão horas e horas da sua vida privada à democracia sem pedir nada em troca.  Será justa a forma como os emails e os Medinas os tratam? Será justo que os que não dão um minuto ao país se entretenham a difamá-los de forma sistemática.

Há corruptos em Portugal? Há sim senhor, há na classe política, mas também em todas as profissões. Há banqueiros, gestores, vendedores e muitos outros profissionais que conseguem ganhos de forma ilegítima roubando o Estado, o patrão ou os seus parceiros. Há muito que Portugal tem um problema entranhado chamado corrupção.

Foi à custa da corrupção que os grupos financeiros do anterior regime se formaram, ou não era corrupção chamar a PIDE para calar reivindicações laborais? Não era corrupção entregar a um almirante do regime o exclusivo da pesca de arrasto em toda a costa portuguesa? Não era corrupção a entrega de sectores a empresas de gente ligada ao regime?

Salazar poderá ter feito votos de pobreza construindo a imagem de um político incorruptível, mas a verdade e que o seu regime político era profundamente corrupto e desde o modesto funcionário do fisco ao maio empresário geria os seus esquemas de corrupção consentida pelo regime. E também tinha a sua classe política, incluindo deputados, escolhidos segundo critérios corruptos.

Estou farto de ver difamarem a democracia atribuindo-lhes todos os males do país e elogiando de forma subliminar uma ditadura que alimentou e se alimento de corrupção.

blog comments powered by Disqus