segunda-feira, abril 11, 2016

Umas no cravo e outras na ferradura



 Killer drone




      
 Quem parte e reparte...
   
«A PSP tem 320 oficiais, desde o diretor nacional aos comandantes de Divisão, com direito a carro de serviço. Ao que o CM apurou, estes oficiais têm a primazia na entrega dos carros novos descaracterizados que a PSP recebe. As viaturas usadas por estes oficiais seguem, depois, para a investigação criminal. 

Estas 320 viaturas fazem parte do parque de 4808 veículos (números oficiais relativos ao final de 2015) cuja gestão está entregue à direção nacional. Na semana passada, a ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, entregou mais 13 viaturas descaracterizadas à PSP de Lisboa. As cúpulas da Polícia garantiram, na altura, que os carros seguirão para a estrutura de investigação criminal. No entanto, fontes policiais dizem ao CM que a necessidade de renovação do parque de automóveis destinados aos oficiais é constante. 

O despacho interno, datado de 2000, e que ainda rege a atribuição de carros de serviço, determina que além do diretor-nacional e de quatro adjuntos, devem receber viaturas, entre outros, 44 comandantes e segundos-comandantes dos comandos, os 10 comandantes e segundos-comandantes da Unidade Especial da PSP, os quatro responsáveis das escolas e ainda 53 comandantes de Divisão, 26 oficiais de Investigação Criminal e alguns responsáveis de secção. A PSP considera que "todos os veículos são de uso funcional, face à especificidade das funções, disponibilidade e tipologia do serviço ao qual são adstritas, sendo utilizadas pelos dirigentes e por outro pessoal".» [CM]
   
Parecer:

As notícias sobre viaturas da PSP pardas por falta de gasolina ou porque não há dinheiro para reparações são recorrentes. Ainda há pouco tempo vimos os sindicalistas nas televisões a dizer que o dinheiro do OE não chegava para a gasolina. Agora sabe-se que os 320 oficiais têm primazia na utilização das viaturas descaracterizadas e que estas só são usadas na investigação quando já estão usadas, muito provavelmente quando os seus detentores têm carro novo. Isto é uma vergonha e os sindicalistas da PSP deveriam explicar porque têm mantido segredo.

Na Administração pública só os directores-gerais têm viatura de serviço, na PSP parece que tudo quanto é gato pingado tem esse direito. Compreende-se agora o porquê de tanto empenho da PSP na caça à multa, é para que os seus oficiais possam justificar os seus confortos.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Vomite-se.»
  
 No melhor pano
   
«A Cofina Media, que entre outras publicações detém o "Correio da Manhã" e o "Record", está penhorada ao Estado por dívidas ao Fisco e à Segurança Social no valor de cerca de 12,5 milhões de euros, tendo em 2015 constituído provisões de 1,1 milhões para fazer face às divergências com o Estado.

Segundo o relatório e contas de 2015 da Cofina SGPS, a empresa deu como garantia da dívida ao Estado a totalidade das ações da Cofina Media, também dona da revista "Sábado" e do "Jornal de Negócios".

"Em 31 de dezembro de 2015, o Grupo Cofina tinha constituído garantias cujo detalhe é como segue: a) Penhor de 112 268 150 ações da Cofina Media, S.A., a favor da Autoridade Tributária e Aduaneira dadas como garantia de processos de execução fiscal", refere o documento.» [Jornal de Notícias]
   
Parecer:

As dívidas dos jornais colocam em questão as relações entre a comunicação social e os governos.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Observe-se com atenção.»
  
blog comments powered by Disqus