segunda-feira, março 21, 2016

 photo Slagueiro_zpsecw1dnru.jpg

O roteiro da direita quando está na oposição é sempre o mesmo, os exames na educação, o encerramento de serviços de saúde, o desemprego dos jovens e os centros de decisão. Como ainda não forram encerados centros de saúde e ainda e cedo para que os portugueses se esqueçam dos jovens que emigraram resta à direita o velo tema dos centros de decisão. 

Primeiro vendem o que compraram a bom preço ou levam as empresas à falência, depois vão ao governo pedir que defenda a presença em Portugal dos centros de decisão. No cento do debate está sempre essa imensa máquina de “sacar” aos portugueses, a banca, já no tempo em que Guterres era primeiro-ministro o DDT e os seus amigos foram em  procissão reunir com o então primeiro-ministro.

Enquanto Passos vendeu tudo o que por mero ódio ideológico decidiu vender não apareceu ninguém do Compromisso Portugal e arredores defender os centros de decisão, parece que o facto da rede de toda a energia eléctrica, produção e rede, estar nas mãos do Partido Comunista da China não e problema, talvez porque os chineses souberam calar a direita dando uma gorjeta choruda ao famoso professor catedrático a tempo parcial 0%, o problema é a Espanha ter mais um banco.

Os mesmos que ainda ontem eram ultra liberais deixam agora o primeiro-ministro exilado em Massamá a falar sozinho e pedem a António Costa, as seus aliados extremistas e a Marcelo que defendam a manutenção dos centros de decisão em Portugal. Os que apoiaram todas as sacanices que Passos fez aos portugueses com o argumento do consumo acima das possibilidades comportam-se como cata-ventos ideológicos e defendem agora a intervenão política do Estado.

Daqui a uns tempos, depois de o Estado ter enterrado muitos milhões nos tais centros de decisão, vão dizer cobras e lagartos do governo intervencionista e estarão ao lado do traste de Massamá ou que qualquer outro traste que consigam fazer eleger para vender a anca aos amigos. O mesmo Salgueiro que ia fazer comícios contra a esquerda no Palácio de Belém, que foi um firme defensor das políticas de Passos, que esteve calado perante os escândalos na anca, anda agora armado em padeira de Aljubarrota, combatendo os castelhanos que se querem apropriar dessa grande coisa que designam por centros de decisão. Mas que pena que não tenham levado o centro de decisão do BES, do BANIF, do BPN, da EDP, da REN e muitos outros.


blog comments powered by Disqus