sexta-feira, março 11, 2016

Umas no cravo e outras na ferradura



 Jumento do dia
    
Pierre Moscovici, comissário europeu

è uma pena que o comissário europeu não tenha concorrido à liderança do PSD, dessa forma faria todo o sentido comportar-se como líder da oposição, marcando há muitas semanas a agenda política do maior partido da oposição. O problema é que Moscovici tem mais credibilidade internacional do que o degredado em Massamá e não é possível dissociar as suas intervenções do comportamento dos mercados em relação `*a dívida portuguesa.

«De visita a Portugal, Pierre Moscovici garantiu esta quinta-feira que não discutiu quaisquer medidas adicionais com o Governo, remetendo para maio uma decisão sobre esse assunto.


“Não discutimos quaisquer medidas por uma razão simples: primeiro a discussão do Orçamento do Estado para 2016 ainda está a decorrer - na especialidade - e depois porque o Governo ainda tem que entregar em abril o Programa nacional de reformas e de Estabilidade”, afirmou o comissário europeu dos Assuntos Económicos numa conferência de imprensa conjunta com o ministro das Finanças, Mário Centeno.» [Expresso]

 O Dia da Mulher em Portugal

 photo Dia_zps65xhqpsa.jpg

Em Portugal o Dia Internacional da Mulher parece ser uma iniciativa de uma revista feminina, é só glamour, jornalistas com boa perna e muito sucesso, ferozes defensoras dos bons valores que chegam a líderes partidários sem concorrentes, empresárias de sucesso, políticas levadas ao colo pela comunicação social. Em Portugal não á mulheres que ganham miseravelmente, mulheres a quem são retirados filhos porque não têm recursos para lhes proporcionar o que as senhoras da Segurança Social exigem para que se se possa ser mãe, mulheres assediadas por patrões, mulheres assassinadas quase todos os dias.

Dir-me-ão que se optou por esconder as misérias, um hábito muito nosso, em vez de mostrar as situações que no final do século XIX levou a que o dia fosse institucionalizado e que em Portugal ainda são muito comuns, opta-se por mostrar os exemplos bem cheirosos da nossa sociedade, como se fossem um guia para alcançar o sucesso, como se o que está em causa não fosse a defesa de direitos mas sim a preguiça de quem não luta por mais na vida.

A mensagem que se passou e que uma jovem nascida em Rabo de Peixe numa família sem recursos pode chegar a líder do CDS, a dar nas vistas no BE ou a ter um programa de televisão, para tal basta ter boas pernas, cabeça e ambição. O Dia Internacional da Mulher é o dia das Cristas, das Catarinas e da Dadinhas. Por aquilo que vimos não faz sentido a comemoração do Dia Internacional da Mulher, mas sim o Dia Nacional Das Mulheres Bem Sucedidas.

 Educação oblige

A  direita jornalística ficou muito indignada porque o PCP e o BE não aplaudiram o discurso do Marcelo, como se em democracia fosse de bom tom aplaudir ideias com que não se concorda. Mas ninguém se indignou porque um presidente do PSD em vez de ir à posse de outro presidente do PSD no cargo de Presidente da República, o candidato supostamente apoiado pelo partido, optou por ir dizer umas baboseiras a uns bifes promissores em vez de aceitar o convite ara o almoço qe lhe foi dirigido pelo Presidente da República.

Esta nossa direita do Observador é mesmo muito rigorosa e exigente com o protocolo.

 Um plano B para o OE ou um plano B para Passos Coelho

O plano A de Passos Coelho era o derrube do governo às boas, com eleições antecipadas, ou às más, com um segundo resgate. à medida que o temo passa parece qe o degredado de Massamá adopta um segundo plano, o plano BE que consiste em forçar o governo a adoptar medidas de austeridade adicionais não para que sejam aplicadas, mas para que Passos Coelho tenha como fazer oposição. Se a coisa não correr como espera é fácil de perceber que Passos vai pedir aos seus amigos do Eurogrupo e da Comissão que comecem a pedir um plano C.

Fica-se com a sensação de que este degredado de Massamá em um qualquer fetiche sexual.

      
 Quero lá saber do Benfica!
   
«O FC Porto foi a São Petersburgo ganhar ao Zenit e passar à fase seguinte da Champions. O treinador do Zenit é o português André Villas-Boas, facto que faz do Zenit o único clube russo em que os portugueses conhecem o treinador.

No fim do jogo, Villas-Boas, que é sobrinho-neto do 2º barão de Paçô Vieira e trineto do 1º barão de Paçô Vieira (o que faz, ao André, no campeonato da genealogia, estar quase a apanhar o sr. Silva, dono do meu café, que é Silva há cinco gerações), no fim do jogo, dizia eu, o treinador do Zenit disse uma coisa que me encanita.

Disse ele, quando lhe perguntaram o que poderia ser a carreira do FCP na Champions: "Não me preocupa muito, como devem calcular. Não sou portista. Apesar de ser português, não me interessa muito até onde o FCP pode chegar na Liga dos Campeões." E acrescentou: "Peço desculpa mas é a minha sinceridade."

Qualquer treinador de outro clube russo teria desejado boa sorte ao clube adversário que limpamente acabara de o derrotar. Mas, lá está, vai para cem anos que a Rússia acabou com condes e grão-duques e ela ficou sem a patine do que parece ser a sinceridade casca grossa, apanágio dos Paçô Vieira há séculos.

Sobre educação, é tudo. Mas o que me preocupa, e muito, é o erro a que pode chegar um emigrante apaparicado pela Nação. Acontece que a condição de português, não de adepto dum clube, deu e dá a André Villas-Boas um eco que lhe permite ser conhecido, por cá, como o treinador português que treina clubes estrangeiros, e, lá fora, como treinador que é de um país que dá bons treinadores.

O eco (jornais, televisões, conversas de café...) dessa condição de português, de alguma forma terá contribuído para alindar os contratos que AVB tem assinado, mundo fora. Muitos adeptos fanáticos de clube português gritam o seu desprezo por outros clubes portugueses, mesmo quando estes estão em competições internacionais. É o direito duma opinião livre. Eles podem tê-la porque não ganham nada do futebol português. Ora, AVB tem ganho.

AVB começou aprendendo num clube português, encostou-se na carreira internacional a um treinador português e quando começou a carreira sozinho veio para um clube português. Os jornais portugueses oferecem-lhe um destaque contínuo que ele não tem pelos países por anda anda. Não seria pedir-lhe muito que, no estrangeiro, ele não apoucasse um clube português, um dos dois únicos, com o Braga, que continuam em provas europeias.

No fundo, o AVB deveria aprender alguma coisa, por exemplo, com Alfredo Vieira Coelho Peixoto Pinto de Vilas-Boas (1860-1926), 2º barão de Paçô Vieira, seu tio-avô. Este nasceu no norte, em Braga. Mas não cuspiu em outras regiões do país, porque reconheceu nelas o todo em que ele fez a carreira: juiz em Portalegre, deputado pelos Açores, administrador da Companhia de Moçâmedes... Não lhe viria à cabeça, pelo amor especial a uma parte do norte, menosprezar, publicamente e no estrangeiro, o resto.

E o que Alfredo não podia fazer, André faz, porque é futebol? Dou de barato, talvez sim. No futebol pode ser-se tolo à vontade. A contar com isso, troquei nos primeiros parágrafos o FC Porto pelo Benfica (foi o Benfica que jogou na Rússia, e André Villas-Boas é portista, desprezou o Benfica e não o FC Porto). A troca foi para sublinhar que qualquer que fosse o clube (aliás, esses ou outros) a tolice seria a mesma.» [DN]
   
Autor:

Ferreira Fernandes.

      
 O PCP e as "esganiçadas"
   
«O PCP publicou esta quarta-feira no seu site oficial uma carta que enviou à direção de Informação da TVI onde reclama do tratamento dado pela estação ao Dia Internacional da Mulher.

O partido questiona a razão pela qual as suas iniciativas levadas a cabo no dia 8 “por todo o território nacional” - incluindo um “almoço organizado pela Célula dos trabalhadores comunistas na Câmara Municipal da Moita, com a presença do Secretário-Geral” - tiveram apenas direito a 8 segundos de tempo de antena no Jornal das 8 da estação, quando figuras de outros quadrantes políticos tiveram direitos a segmentos inteiros.

Destas personalidades, convidadas a falar da ‘liderança no feminino’ e ‘política no feminino’, é destacado: a peça de 2 minutos assignada à “iniciativa promovida pela candidata, ainda não-líder, à liderança do CDS” na Assembleia da República e “Catarina Martins e Mariana Mortágua para uma entrevista no Jornal das 8 de 12 minutos, seguindo-se mais 20 minutos na TVI 24 com Mariana Mortágua e Marisa Matias”.» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:

O PSD que não se preocupe, pode ser que quando o tema for enriquecimento a TVI convide Cavaco, dias Loureiro e Oliveira e Costa.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»
  
 Este Draghi anda a estragar os planos ao degredado
   
«Depois de várias semanas de subidas progressivas que fizeram renascer o medo de uma nova escalada rumo a taxas pré-resgate, os juros da dívida portuguesa estão a aproveitar a ajuda crucial do Banco Central Europeu para entrar em queda livre. O aumento do dinheiro disponível para comprar ativos na zona euro, incluindo dívida portuguesa, teve como consequência um regresso do otimismo e está a levar os investidores a esquecer o contexto político nacional.

Ao longo dos últimos dias, desde o Parlamento ao outro lado do mundo, têm-se multiplicado os receios de um regresso ao difícil contexto anterior ao resgate do BCE, FMI e Comissão Europeia, mas no espaço uma hora, tudo mudou. O discurso de Mario Draghi onde foi anunciado o corte das taxas de juro e o aumento do montante do programa de compra de dívida provocou um colapso nas taxas de juro, que desceram mais de 7% a dez anos e mais de 8% a cinco anos entre as 12h30 e as 13h30.

Com o passar dos minutos, a tendência equilibrou-se, mas ainda assim as quedas a cinco anos estão acima dos 5% em relação ao valor de abertura e a dez anos já ultrapassam os 4%, tendo em conta as trocas entre investidores.» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:

Percebe-se a razão porque Passos era contra qualquer intervenção do BCE nos tempos em que queria ir muito além da austeridade.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»
  
blog comments powered by Disqus