sexta-feira, março 18, 2016

Umas no cravo e outras na ferradura


  
 Jumento do dia
    
João Miguel Tavares

Desde h´+a cinco anos que os funcionários públicos sofreram cortes brutais, aumentos de horários de trabalho e de descontos e na hora da reposição este senhor em vez de reconhecer que estes portugueses foram sacrificados tem lata para os considerar beneficiados. É preciso não ter vergonha na cara.

«Mas os grandes beneficiados deste orçamento de Estado são as classes média e média-alta, sobretudo os funcionários públicos e os pensionistas – mais de 60% dos 1,4 mil milhões de euros acima referidos vão para a devolução da sobretaxa e para as reposições salariais na função pública. Não há volta a dar: este é o orçamento em que a esquerda compra os votos dos funcionários públicos e dos reformados com o dinheiro de todos os portugueses.» [Público]

 Campeonato das beijocas :  Cavaco 1 - 0 Marcelo
  
 photo Beijo-cavaco_zpsy8amqn2j.jpg

 photo Beijo-Marcelo_zps7jfe8ly4.jpg

«A César o que é de César, a Deus o que é de Deus…»

Quando o que é de César se mistura com o que é de Deus ficamos sem saber se é o Marcelo católico praticante que beija a mão do papa ou se é o Presidente da República de um Estado laico que em representação dos seus concidadãos que o faz. Da parte que me toca neste momento Marcelo não foi
Presidente da República.

Enfim, entre a chupadela de Cavaco e o beija-mão de Marcelo terei de admitir que neste campeonato das beijocas foi Cavaco que marcou, ainda que aquele beijo foi mais uma chupadela e em termos futebolísticos o pontapé seria designado por rosca.

 Tratar o cão com o pêlo do próprio cão

Durante quatro anos a direita usou o consenso como estratégia política, com a maioria absoluta nunca aceitou qualquer diálogo e ao mesmo tempo mandava Cavaco promover consensos. Está na hora de tratar o cão com o pêlo do próprio cão e agora que o traste de Massamá decidiu votar contra tudo faz todo o sentido propor-lhe consensos.

      
 Marcelo adere à contra-revolução do traste de Massamá?
   
«O Presidente da República anunciou que irá promulgar nesta sexta-feira o diploma que repõe os quatro feriados suspensos, dois dos quais religiosos, o que "suscitou o agrado da Santa Sé".

Depois de um encontro de cerca de meia hora com o Papa Francisco, Marcelo Rebelo de Sousa esteve na residência da embaixada portuguesa junto da Santa Sé, onde conversou com os jornalistas portugueses e deu conta da sua intenção de promulgar o diploma de reposição dos feriados assim que regresse a Lisboa.» [Público]
   
Parecer:

O que dirá o primeiro-ministro exilado em Massamá deste atentado do Presidente Marcelo à competitividade da economia conseguida à custa das suas reformas?
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se conhecimento ao dito.»
  
 A anedota do dia
   
«Pedro Passos Coelho afirmou esta quinta-feira em Bruxelas que os sociais-democratas estão “muito disponíveis para discutir as reformas”, mas salientou que para tal é necessário que o Governo “ande para trás” na sua política de as “desfazer”.

À entrada para uma reunião do Partido Popular Europeu (PPE), o líder do PSD foi questionado pelos jornalistas sobre a disponibilidade do seu partido para discutir com o Executivo socialista o programa nacional de reformas e respondeu que o seu partido nunca fica de fora de nenhum debate, tendo salientado a “conhecida divergência” em matéria de estratégia económica. E lembrou: “Durante os anos das dificuldades”, o seu Governo nunca contou “com o apoio do PS para vencer nenhuma das dificuldades”.» [Observador]
   
Parecer:

Tentar dialogar com o traste de Massamá é perder tempo, além disso as únicas reformas que ele conhece são aquelas que nos fazem regressar à escravatura, a única reversão que o rapaz aceita.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Mande o senhor à fava.»
  
blog comments powered by Disqus