quarta-feira, março 30, 2016

Umas no cravo e outras na ferradura



 Jumento do dia
    
José Matos Correia

É preciso ter uma imaginação muito fértil para ver a comunicação de Marcelo povoada de dúvidas e de recados ao governo e Marcelo parece ter essa qualidade. Deve ter sido muito difícil digerir a comunicação do Presidente da República ao ponto de terem de a elogiar. Até parece que ainda estamos no consulado cavaquistas, quando cada discurso obrigava a complexas interpretações.

Mas o mais curioso é o "vá lá, vá lá", sinal de que o pessoal de Passos Coelho está com muito medo de Marcelo, daquele que Passos designou de forma jocosa como cata-vento.

«Vá lá, vá lá!” Foi esta a expressão que correu nos bastidores da direção do PSD depois de terem ouvido Marcelo Rebelo de Sousa falar do Orçamento de Estado de António Costa. A comunicação do Presidente da República ao país não chegou onde o partido sonhava - Marcelo manteve o benefício da dúvida ao Executivo socialista - mas reconfortou os “laranjinhas” ao deixar uma série de dúvidas sobre os resultados do modelo socialista que o PR diz só ter a prova dos nove lá mais para 2017.

“Sem se comprometer, o Presidente defendeu-se. E ao defender-se reforçou a sua independência política face ao Governo”, ouviu o Expresso. A reação oficial do partido, pela voz de José Matos Correia, ainda que seca, traduziu isso mesmo. Considerando que a promulgação do OE era absolutamente “expectável”, o vice-presidente de Passos Coelho preferiu salientar os dois pontos da comunicação presidencial que mais colam com o discurso do PSD. A saber: a “exigência” de boa execução orçamental e de “rigor”; e a defesa da estabilidade política.» [Expresso]

 Ante-visão do binómio presidencial

 photo binomio_zpsezaobrej.jpg

Esta imagem é uma ante-visão do binómio presidencial recebendo aulas no colégio interno, onde é educado quando não está de visita ao Palácio de Belém.

A presidência de Marcelo começa a ter alguma graça, já se sabia que é mais ou menos casado mas a mulher fica de fora da presidência, agora ofereceram-lhe um cão mas o bichano em vez de ir paa Belém parece que vai para uma espécie de colégio interno e o próprio Marcelo umas vezes parece ser um comentador armado em presidente e outras faz de presidente armado em comentador. E como se tudo isto não bastasse quando a direita esperava que ele fosse dessa direita fala como se tivesse virado à esquerda.

Enfim, a Presidência da República não vai ter um cão, vai ter um binómio educado num colégio interno que de vez em quando será levado a Belém para ver o dono. Por este andar a GNR ainda vai criar os Pupilos Caninos da GNR e um dia destes veremos Marcelo embevecido enquanto vê o seu binómio marchando numa parada militar.

 O 112

O sistema político português passou a ter um 112, um serviço a que recorremos em caso de calamidade nacional, é esse o papel assumido pelo traste de Massamá, Passos Coelho sabe que não regressará a não ser que ocorra algum desastre financeiro e no pressuposto de que Marcelo convoca eleições e que será a direita a ganhá-las com maioria absoluta. Isto é, Passos assume-se como líder do PSD para o caso de suceder alguma calamidade, o que não é nada bom pois se o líder do PSD deseja ser poder é porque deseja mal ao país.

     
 Tadinho
   
«Depois de ter elogiado os cães das equipas cinotécnicas da Força Aérea na parada militar de Mafra, na passada segunda-feira, dia 21 março, o Presidente foi presenteado com um cachorro, depois de, segundo a Renascença, já ter manifestado o desejo de ter um cão. Asa apenas fez uma breve visita ao Palácio de Belém, mas tal como Marcelo Rebelo de Sousa, não vai viver na residência oficial do Presidente da República a tempo inteiro, confirmou ao Observador fonte da presidência.

O presente foi apreciado e agradecido mas o Palácio não tem condições nem espaço adequado para receber o animal de estimação, da forma a ser tratado e educado de forma correta, disse a mesma fonte. O animal está agora ao cuidado da GNR, apesar de continuar a ser o “cão do Presidente”, que o visitará sempre que possível.

Com a oferta, Marcelo entrou para a lista dos vários presidentes têm cães como animais de estimação, sendo os cães de água de Barack Obama, presidente dos EUA, os mais conhecidos. Mas Vladimir Putin também é apreciador da companhia canina e deixa mesmo um dos seus cães, Koni, assistir a reuniões com outros chefes de estado. » [Observador]
   
Parecer:

Tadinho, foi a tristeza que se viu porque não tinha um programa de televisão.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»

 Vida de cão
   
«Antonio José Seguro considerou esta terça-feira que “os partidos já não são os espaços privilegiados da promoção de candidaturas eleitorais”, referindo-se concretamente às últimas eleições legislativas e presidenciais. Segundo o ex-secretário-geral do PS, este fenómeno "não é só fruto da sociedade de informação e das sociedades que são mais abertas", mas é "culpa também dos próprios partidos e de muitos políticos desses partidos”, nomeadamente do seu comportamento, devido “às promessas feitas e nao cumpridas, à corrupção” que levou a um afastamento dos eleitores em relação aos partidos.

Nesta conferência, intitulada “As dinâmicas eleitorais em Portugal”, inserida no segundo dia do II Encontro Nacional de Estudantes de Ciência Política, Antonio José Seguro não resistiu em atirar a farpa a António Costa, ao abordar as ultimas eleições primárias do PS, para dizer que liderou o partido durante três anos e que o atual primeiro-ministro "o que fez foi estar na Quadratura do Circulo, na SIC, onde foi projetando e formando a sua imagem”. » [Expresso]
   
Parecer:

Pobre bicho, vai ser educado numa espécie de pupilos para caninos.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»
  
 Vítor Gaspar goza com Portugal
   
«O antigo ministro das Finanças do executivo PSD/CDS-PP Vítor Gaspar não prevê vir a Portugal "nos próximos meses", reconheceu hoje o presidente da comissão de inquérito ao Banif, António Filipe.

Gaspar, a residir em Washington, nos Estados Unidos, entrou em contacto com a comissão de inquérito - onde deveria ser ouvido em abril - para "manifestar a sua disponibilidade" para colaborar com os trabalhos, mas lembrando a "limitação" de residir no estrangeiro e não prever vir a Portugal em breve.

"É uma situação que oportunamente consideraremos", vincou António Filipe no arranque dos trabalhos desta manhã, acrescentando o deputado comunista que o pedido de um depoimento por escrito é uma hipótese a considerar.» [DN]
   
Parecer:

É inaceitácel que um qualquer badameco do FMI goze com Portugal como o está fazendo Vítor Gaspar ao dizer que nos próximos meses não poderá vir a Portugal por estar em Nova Iorque. A isto chama-se cobardia pois num par de horas está em Lisboa e ninguém acredita que não disponha de dois ou três dias.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sugira-se a Gaspar que não seja cobarde e à directora do FMI que lhe um chuto no traseiro.»
  
blog comments powered by Disqus