sexta-feira, março 25, 2016

Umas no cravo e outras na ferradura


  
 Jumento do dia
    
Cecília Meireles

Se o CDS é tão defensor da austeridade e vota contra tudo o que seja inverter essa política do governo anterior o que leva Cecília Meireles a querer que Portugal saia do procedimento de défices excessivos? Enquanto não sair será mais fácil ao CDS impor os seus extremismos.

«A deputada do CDS Cecília Meireles afirmou esta quinta-feira, ser essencial perceber se Portugal sairá ou não do procedimento por défice excessivo, sublinhando que os dados divulgados sobre o défice são provisórios.

"Para nós, o essencial é perceber se o facto de o défice aparentemente ter ficado nos 3% tem efeitos ao nível do procedimento por défice excessivo", afirmou a deputada, em declarações aos jornalistas, no parlamento.


O défice das administrações públicas, em contas nacionais, foi de 4,4% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2015, um desempenho que foi penalizado pelo impacto negativo da resolução do Banif que corresponde a 1,4% do PIB.» [DN]
  
 José Manuel Fernandes desonesto

Um dos argumentos usados por José Manuel Fernandes num programa de debate na RTP 3 para que se ignorem os direitos constitucionais dos funcionários públicos, reduzindo-os a semi-escravos foi o facto destes funcionários beneficiarem da ADSE, até deu um exemplo de uma consulta da especialidade, em que um utente da ADSE pode escolher o especialista e pagar menos do que uma taxa moderadora. Quem ouviu este pequeno canalha ficou a pensar que a ADSE é uma benesse.
  
JMF usou a saúde para denegrir os funcionários públios escondendo que a ADSE não é paga pelos impostos dos contribuintes, mas sim por descontos sobre os vencimentos dos funcionários e que o sistema até está a gerar excedentes, isto é as contribuições são maiores do que as despesas. É óbvio que o antigo redactor da Voz do Povo sabe muito bem disto mas de forma desonesta escondeu a verdade para poder difamar os funcionários públicos e defender as posições de Passos Coelho. 

 O ideólogo de xanatas

 photo havaianas_zpsq5vcu3n2.png

Depois de Marx, Lenine e Mao e quando pensava que o mundo os ideólogos tinham dado lugar aos religiosos com a guerra fia a ceder o lugar a uma guerra religiosa eis que em Portugal aparece um novo ideólogo, o antigo falhado do canto (porque será que os grandes imbecis europeus começam sempre por tentar uma carreira nas artes?) assume-se como o grande ideólogo da nação.
  
Não importa a independência nacional, não vale a pena ver o que acontece na economia, a solução está nos bons princípios que ultraliberais que Passos leu algures e cuja aplicação rigorosa conduzirá o país ao progresso. A economia portuguesa é tão poderosa, os empresários portugueses são tão dinâmicos, o país tem tantos recursos naturais e mão-de-obra qualificada que é o Estado e a decisão política que está a mais.
  
Se a Constituição está em conflito com o que os búzios do mercado dizem ignorem-se as suas regras, se a tendência do mercado vai num sentido que os empresários e políticos receiam não ser o melhor ignorem-se esses velhos do Restelo, a optimização dos recursos o equilíbrio dos mercados, o livre curso da economia levará o país por bons caminhos, conduzirá Portugal ao sucesso.
  
O BES foi à falência? Não há crise, eu vou ali com a minhas xanatas dar um mergulho na Manta Rota e fiquem descansados que o mercado resolve o problema. Foi com mercado que se resolveu o problema do BPN, do BES e, mais recentemente, do BANIF.
  
O governo francês intervém na economia francesa, o inglês na economia inglesa, o alemão na alemã, o espanhol na espanhola e a Comissão em todos eles. Mas a economia portuguesa é a economia da aldeia gaulesa que a todos resiste e o seu mercado é tão forte que não se deixará influenciar por tantos poderes políticos, parta tal basta que os governos portugueses em vez de se dedicarem a intervir nos mercados optarem por passar o tempo a lixar os funcionários públicos e a destruir o estado social.

Fisco abismado como tantos portugueses votaram neste rapaz e anda por aí tanta gente dita inteligente que ainda o apoia, como é possível que Portugal tenha tido um primeiro-ministro que enquanto o maior banco privado se desmoronava ia tranquilo de xanatas na mão para a Praia da Manta Rota.
  

 Sem a Turquia o ISIS não existia

Sem os abastecimentos que recebe via Turquia, sem a fronteira turca por onde os seus jiahdistas e sem os compradores turcos para o petróleo, peças do património histórico e outros bens traficados pelos terroristas o ISIS seria derrotado. A Turquia é o grande apoiante e intermediário dos apoios que o ISIS recebe da Arábia Saudita e de outros "amigos" da Europa.

Os atentados do ISIS na Turquia não passam de encenações montadas para fazer de conta que são vítimas, não admira que as vítimas do último atentado tenham sido iranianos e israelitas, até parece que alguém disse ao bombista suicida "rebenta-te junto daqueles".

 "Johan" Cruyff (25-04-1947 — 24-03-2016)

 photo Cruyff_zpskt1pmi1b.jpg

      
 Acabem com a lamechice das velas e "je suis..."
   
«O simbolismo fácil já não aborrece. Aquilo de marchar batendo tambores e a tocar gaita-de-foles, que serviu aos britânicos para se galvanizar e ganhar batalhas, já ninguém usa. Justamente, deixou de ser útil. O ato simbólico é como os iogurtes, tem prazo de validade. E aqui chego ao que venho: não ponham velinhas por mais um atentado. Às tantas já nem sabemos se é para saudar o atentado ou para o criticar. Não serve para nada. O "je suis..." foi outro derrotado. Dizer que se é "belge" até ofende metade deles, que o são, mas gostam que se diga em flamengo. A "foto símbolo", então, é de acabar de vez. Apanha as vítimas em situação de derrotadas - e isso é precisamente o que não se deve mostrar. Concluindo: atos simbólicos só os proativos, não os lamechas. E até podem ser a chorar, logo que combatentes. Quando dos atentados em Bruxelas, a chefe da diplomacia da União Europeia, a italiana Federica Mogherini, estava na Jordânia. Em público e recebida pelo ministro jordano dos Estrangeiros, chorou e encostou-se a dele. Ele hesitou (não queria ofender alguns beduínos), mas lá lhe ofereceu o ombro. Uma lição! No próximo atentado (que vai haver), espero que a Mogherini seja enviada a Riade e se mostre a chorar no ombro do rei saudita, Salman bin Abdulaziz. O general MacArthur só considerou que ganhou ao Japão quando obrigou o imperador Hirohito a ser fotografado ao seu lado. Os simbolismos só valem a pena quando são úteis.» [DN]
   
Autor:

Ferreira Fernandes.

      
 Um padre com bom gosto
   
«O padre que preside a Casa do Gaiato, em Loures, foi constituído arguido por suspeitas de peculato na sequência de uma operação esta quarta-feira levada a cabo pela Polícia Judiciária. Os inspetores da Unidade Nacional de Combate à Corrupção constituíram ainda um outro suspeito arguido, que trabalhava diretamente com aquele sacerdote.

A investigação, coordenada pelo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) desde 2014, levou os inspetores da PJ a passarem a pente fino as casas das cinco Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) por onde o padre Arsénio Isidoro passou entre Loures e a região Oeste. Foram feitas dez buscas — em locais pertencentes às instituições e a uma residência — e foi recolhido diverso material de prova. A polícia suspeita que o padre tenha desviado fundos destas instituições para proveito próprio.

Era uma coisa muito ostensiva. Comprava carros de luxo de alta gama, que depois vendeu porque terá sido avisado. Falamos de quantias muito avultadas, mas o valor certo só será determinado após a investigação”, disse fonte da PJ ao Observador.
Ainda assim, não foram reunidos os pressupostos para aplicação de uma medida preventiva da liberdade, por isso o padre foi constituído arguido e sujeito a Termo de Identidade e Residência.» [Observador]
   
Parecer:

Enfim, mais um pecador que com um par de rezas será perdoado.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»
  
 Marcelo dá mais uma lição a Cavaco
   
«O presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, vai participar na primeira reunião do Conselho de Estado convocada pelo Presidente da República, a 7 de abril.

Segundo uma nota publicada no site da Presidência da República, Marcelo Rebelo de Sousa convidou Mario Draghi "para apresentar uma exposição ao Conselho de Estado sobre a situação económica e financeira europeia". O responsável europeu aceitou o convite.

Ainda segundo a mesma nota, neste ponto da agenda participa também como convidado o governador do Banco de Portugal, Carlos Costa.

No segundo ponto da ordem de trabalhos, os conselheiros de Estado vão discutir o Programa Nacional de Reformas e Programa de Estabilidade que o governo terá de apresentar no final de abril, início de maio, mas também questões orçamentais.» [DN]
   
Parecer:

A diferença entre Marcelo e Cavaco é mais ou menos a mesma que há entre o inverno e a primavera.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»

 Uma boa notícia vinda da Síria
   
«"As forças do regime (de Bashar al-Assad) entraram no bairro Hayy al-Gharf, no sudoeste de Palmira. Estão a avançar muito devagar por causa das minas colocadas pelo EI", disse o diretor da organização não-governamental (ONG) Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), Rami Abdel Rahman.

"O regime também está avançar a partir da zona norte da cidade", acrescentou.

Uma fonte militar, que pediu o anonimato, confirmou o avanço à agência noticiosa France Presse (AFP).

"O exército entrou na cidade a partir de noroeste, depois de tomar o controlo de parte do Vale dos Túmulos", afirmou.» [Notícias ao Minuto]
  
blog comments powered by Disqus