quarta-feira, maio 29, 2013

Jumento do Dia


Miguel Frasquilho

O discurso da mendicidade em nome do bom comportamento agora em voga nas personalidades da direita/extrema-direita ligadas ao governo é um discurso miserável, cobarde e que visa iludir as responsabilidades no desastre económico resultante das políticas que adoptaram e que desde a primeira hora iam muito além do exigido pelo memorando.
 
A direita tentou usar a excepção resultante da ajuda externa para reformar o país, impondo um programa de reformas de extrema-direita que ainda vai a meio, da agenda de Vítor Gaspar ainda faltam reformas como o despedimento dos funcionários públicos, uma redução generalizada dos salários, um aumento do horário de trabalho, uma redução da protecção social e uma diminuição da qualidade dos serviços públicos.

Perante o desastre eminente estes verdadeiros talibans da política económica andam agora a insinuar que a situação da economia resulta da recessão europeia e dos excessos de rigor do memorando. Mas isso é uma mentira de gente que queria ser mais troikista do que a troika, que apresentou a austeridade como um castigo que os portugueses mereciam, que sugeriu aos jovens que abandonassem o país e que chamava piegas aos portugueses.
  
«O social-democrata Miguel Frasquilho lembra o empenho de Portugal em cumprir os objectivos impostos pela troika e diz que é chegada a hora de os parceiros europeus reconhecerem isso.

Para o deputado do PSD, “era altura de nós dispormos da boa vontade dos nossos parceiros europeus”. No entanto, Frasquilho acrescenta que vê realmente boa vontade, mas que agora é a sua “vez de dizer: vi nas palavras, não vi nos actos”.

O vice-presidente da bancada parlamentar do PSD lembra que “Portugal tem estado a cumprir tudo” e que “o Governo tem feito todos os esforços para cumprir todas as metas”.» [Notícias ao Minuto]
blog comments powered by Disqus