segunda-feira, fevereiro 15, 2016

Umas no cravo e outras na ferradura


   
 Jumento do dia
    
António Costa

O PS perdeu a batalha da comunicação no debate em torno do OE, explicou mal, o seu secretário de Estado dos Assuntos Fiscais decidiu considera que há por aí uns ricos que ganham 2.000 euros que não merecem ficar sem austeridade, o próprio primeiro-ministro enterrou-se com piadolas de gosto duvidoso sobre como pagar menos impostos. Agora que percebeu que a batalha está perdida António Costa está convencido de que alguém o vai ver ao Youtube para mudar de ideias.

Veremos se os vídeos terão impacto, se vão trazer-nos à memória outras comunicações periódicas de um conhecido primeiro-ministro de outros tempos bem diferentes do prometido tempo novo ou se vão dar lugar ao humor como as piadolas dos impostos sobre o consumo.

«O primeiro-ministro aliou-se às redes sociais para explicar aos portugueses a proposta de Orçamento de Estado para 2016. Para além do Portal do Governo, António Costa irá utilizar a conta de Twitter do Executivo para partilhar vídeos publicados no Youtube onde dará a sua “explicação pessoal” sobre os vários temas previstos nesta proposta: a forma como “influi no rendimento das famílias, diminui a carga fiscal, cria condições para as empresas poderem investir.”

Os dois primeiros vídeos já foram disponibilizados esta tarde, um dia depois de 16 ministros do Governo terem estado em vários pontos do país em sessões de esclarecimento com militantes e simpatizantes socialistas. “Um orçamento responsável” e “um orçamento de escolhas” foram os motes lançados pelo chefe de Governo português nestas primeiras 'lições' online.


“Este é um orçamento muito exigente, que cumpre os nossos compromissos eleitorais, os nossos compromissos com os parceiros parlamentares e os nossos compromissos com os parceiros da UE”, diz António Costa. “É um orçamento responsável, para podermos dar ao país três desígnios: mais crescimento, melhor emprego, maior igualdade.”» [Expresso]



 Ainda que mal pergunte

Porque é que a autarquia do Porto não se candidatou à compra da TAP, assim podia ter voovos desde o Porto para todos os destinos, incluindo Vila Nova de Gaia, e a defesa dos interesses da capital do norte seria assegurada pelos autarcas da região que seriam presidentes da empresa em regime de rotatividade.

E já que a autarquia do Porto não comprou a TAP quem manda nesta empresa é um tal Fernando Pinto, de que o Coelhone se orgulha muito de ter sido uma escolha sua, este senhor quer decidir tudo o que respeita a aviação em Portugal, desde a gestão da TAP à construção de aeroportos e no entretanto vai afundando a empresa em negócios duvidosos no Brasil.

 Uma boa oportunidade para o CSD e o PSD

Quando ocorreram enxurradas em Lisboa o CDS e o PSD consideraram terem sido responsabilidade da autarquia. Num tempo em que tudo vale para fazer oposição eis que os partidos da direita têm uma excelente oportunidade, podem acusar o António Costa de todas as cheias no país.

      
 A Turquia volta a ajudar o DAESH
   
«Entre o anúncio de uma possível ofensiva e a caída dos primeiros projécteis passou pouco mais de uma hora. A artilharia turca bombardeou este sábado zonas sob o controlo do grupo armado curdo mais forte da Síria, incluindo um aeródromo a partir do qual estas forças planeavam lançar ataques contra os jihadistas do Daash, o autodesignado Estado Islâmico.

“Se for necessário, quando houver uma ameaça real à Turquia, podemos tomar na Síria as mesmas medidas que tomámos no Iraque e em Qandil”, dissera num discurso transmitido pela televisão o primeiro-ministro turco, Ahmet Davutoglu. Como já fizera no passado, em 2015 a Turquia lançou ataques contra as bases do PKK (Partido dos Trabalhadores do Curdistão) nas montanhas de Qandil, na região autónoma iraquiana do Curdistão, perto da fronteira iraniana.

“Esperamos dos nossos amigos e aliados que nos apoiem”, acrescentou Davutoglu. Nada menos provável. Afinal, o alvo da Turquia são as Unidades de Protecção do Povo (YPG), a milícia do Partido da União Democrática (PYG), as mesmas forças que reconquistaram a cidade de Kobani aos jihadistas em Janeiro do ano passado, com o apoio aéreo dos Estados Unidos e dos seus aliados na coligação formada meses antes para combater o Daash.» [Público]
   
Parecer:

Enquanto o DAESH controlava toda a sua fronteira com a Síria a Turquia não mexeu uma palha, tinha o lucro dos fornecimentos aos terroristas e apoiava a entrada de terroristas estrangeiros. à medida que os terroristas perderam o controlo da sua fronteira Turquia assumiu-se como aliado dos terroristas e lançou os refugiados no mar Egeu enquanto bombardeia os curdos. O DAESH não é mais do que milícia da Turquia apoiada pela Arábia Saudita.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Espere-se para ver.»
  
 Vítima da mesquinhez de Cavaco
   
«Dos episódios que conduziram à sua expulsão, após ter contrariado a posição oficial dos sociais-democratas, apoiando Soares e não Freitas do Amaral, Rui Oliveira e Costa critica ainda hoje a falta de magnanimidade revelada na altura por Cavaco Silva, então líder do partido, mas destaca em contraponto a solidariedade que lhe foi manifestada pelo fundador e militante "número um", Francisco Pinto Balsemão.

"Interpretei a Constituição no espírito e na letra, já que nas eleições presidenciais os partidos podem apoiar candidatos, mas não podem fazer mais do que isso e nem sequer podem propor candidatos. Na sequência das presidenciais, foi com surpresa e desgosto que recebi a notícia que o então líder do PSD, Cavaco Silva, decidiu colocar a questão ao Conselho de Jurisdição que, por maioria, aplicou-me a pena máxima, a pena de expulsão. Eu, que era militante fundador, o número 25, passei a deputado independente, mas a vida continuou", conta.» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:

Este país foi marcado pela mesquinhez dessa triste personagem.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamente-se.»
  
blog comments powered by Disqus