quinta-feira, fevereiro 18, 2016

Umas no cravo e outras na ferradura




 António Aleixo

(Vila Real de Santo António, 18 de fevereiro de 1899 — Loulé, 16 de novembro de 1949)



 Jumento do dia
    
Carlos Costa

Depois do que António Costa disse sobre a forma como o BdP tem tratado os lesados do BES é de estranhar que o seu governador ainda não tenha apresentado o pedido de demissão, parece que está agarrado ao lugar como uma lapa.

      
 Garoto de 12 anos foi traído e é assunto nosso
   
«O essencial deste texto já foi escrito. A jornalista Isabel Stilwell publicou-o no Jornal de Negócios, anteontem, e só o li ontem. Repito o essencial dele, aqui e hoje, porque não sei de nada mais importante que possa ser dito. Talvez haja uma só pessoa que ainda não o tenha lido. Seja, essa tem também de ser avisada. Eis o que Isabel Stilwell escreveu, em texto que eu encurto. Há um processo de regulação de responsabilidades parentais de Bárbara Guimarães e Manuel Maria Carrilho. O filho de ambos, de 12 anos, foi ouvido. Uma criança vai a tribunal falar sobre os seus pais. Adivinha-se a angústia. A juíza garante, o que é óbvio, que aquilo que a criança disser será guardado com cuidado. Na sala de audiência só estão três pessoas, nem os advogados das partes. Só o juiz, um representante do Ministério Público e um representante do Instituto de Medicina Legal. A criança falou. Depois, revistas fizeram capa, com discursos em direto, atribuídos ao garoto. "A minha mãe..." E: "(...) o meu pai." Houve uma revista que titulou: "Saiba tudo o que a criança disse em tribunal." Na TV falou-se do que o garoto "disse." Eis parte do que Isabel Stilwell escreveu e a que considero necessário dar eco. Porque um garoto de 12 anos foi traído. Publicamente traído pelas revistas que não sabem o que fazem ou não se importam. E por alguém mais que teve acesso às palavras do garoto e as espalhou. Um garoto de 12 anos foi traído e é um assunto nosso.» [DN]
   
Autor:

Ferreira Fernandes.

      
 Cozer em lume brando
   
«O primeiro-ministro atirou esta manhã com todas as culpas sobre a situação dos lesados do BES para o Banco de Portugal. António Costa lamentou “a forma como o Banco de Portugal tem vindo a arrastar uma decisão”, acusa a administração de Carlos Costa de estar a atrasar a implementação da solução encontrada pelo Governo e termina dizendo que tem “esperança que tão rapidamente quanto possível , o Banco de Portugal assuma definitivamente a posição responsável que tem faltado nesta matéria”, disse.

A guerra entre António Costa e o governador do Banco de Portugal já é antiga, mas hoje, o primeiro-ministro fez questão de atacar a administração do regulador. Para António Costa, todas as entidades públicas e privadas aceitam a solução do Governo, menos o Banco de Portugal que com isso está a impedir o Novo Banco de apresentar a solução aos lesados do BES.

Tenho de lamentar a forma como o Banco de Portugal tem vindo a arrastar uma decisão sobre esta matéria, a impedir que rapidamente esta solução proposta pelo Governo e aceite pela maioria dos lesados do BES pudesse estar implementada. E tenho esperança que tão rapidamente quanto possível, o BdP assuma a postura responsável que todas as entidades públicas, como o Estado e a CMVM, ou privadas como o BES ou Novo Banco estão disponíveis para assumir”, disse.» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:

O lógico seria o primeiro-ministro sugerir a demissão do governador do BdP em vez de entrar por um caminho de bocas.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Auarde-se pela demissão do governador do BdP.»
  
 Que amigos que nós somos
   
«As jornadas parlamentares do PSD e as jornadas parlamentares do PS realizam-se este ano quase em simultâneo: as primeiras são esta quinta e sexta-feira, em Santarém; as segundas são esta sexta-feira e sábado, em Vila Real. António Guterres, o ex-primeiro-ministro socialista que se está a candidatar a secretário-geral da ONU com o apoio de todos os partidos, está de volta à cena política e vai ser o convidado-estrela de um dos eventos: do PSD.

É na quinta-feira à noite, num jantar/conferência na Casa do Campino, em Santarém, que o ex-alto comissário das Nações Unidas para os refugiados vai discursar para uma plateia de militantes e dirigentes sociais-democratas. O tema é os “Fluxos migratórios: das palavras à realidade” e encerra o painel do dia, depois de o economista João Moreira Rato e do gestor António Nogueira Leite falarem sobre “finanças saudáveis”.




No final de janeiro, o Governo de António Costa avançou com as diligências necessários ao patrocínio da candidatura de Guterres ao cargo de secretário-geral da ONU, tendo esta candidatura recebido depois o apoio de todos os grupos parlamentares, da esquerda à direita. No início de fevereiro, a Comissão Permanente do PSD declarou o seu “inequívoco apoio” à candidatura, deixando claro que tinha sido o próprio Passos Coelho a informar António Costa dessa decisão.» [Observador]
   
Parecer:

Grande António Guterres, quando quis ser primeiro-ministro usou o PS, quando quis ir tratar dos refugiados inventou um pântano e agora que quer ir para ONU até vai às jornadas parlamentares do PSD. Isso de diferenças ideológicas é para as bases, para o pessoal que serve café nas concelhias ou que colam cartazes, para a alta burguesia partidária as diferenças são facilmente superadas.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Vomite-se.»
  
blog comments powered by Disqus