terça-feira, fevereiro 02, 2016

Umas no cravo e outras na ferradura


  
 Jumento do dia
    
Pires de Lima, a Santinha da Rua da Horta Seca

Pires de Lima especializou-se em fazer milagres económicos, o guru económico do irrevogável Paulo portas parece que fez mais um milagre dias antes de ser corrido, mas desta vez tudo ficou em segredo, não convinha que os portugueses ficassem a saber do aumento de ordenados para gente com peso na avaliação da privatização da TAP.

«O PS requereu hoje audições parlamentares com caráter de urgência com os ex-ministros das Finanças, Maria Luís Albuquerque, e da Economia, Pires de Lima, sobre aumentos de salários de gestores da Autoridade Nacional de Aviação Civil (ANAC).

Este requerimento, que é dirigido ao presidente da Comissão Parlamentar de Economia, o deputado do CDS-PP Helder Amaral, prevê também uma audição com o presidente da CRESAP (Comissão de Recrutamento e Seleção para a Administração Pública), João Abreu Bilhim.

Em declarações à Rádio Renascença, Pires de Lima diz que não teve qualquer interferência no caso. E garante que a decisão foi da responsabilidade da entidade reguladora que passou a ter uma comissão de vencimentos.» [DN]

      
 Justiça da treta
   
«Das 25 mulheres que em 2015 foram assassinadas por maridos, amantes ou companheiros – ainda juntos ou já separados – nove tinham apresentado queixa junto das forças de segurança. As investigações que visavam o cônjuge ou ex-cônjuge que viria a ser o autor do homicídio estavam a decorrer (em cinco casos) ou tinham sido arquivadas (num caso) por insuficiência de provas.

Também foi solicitada a suspensão provisória do processo, por duas mulheres que viriam a ser assassinadas em 2015. Esses pedidos de suspensão são feitos para que, passado o prazo definido, o processo seja arquivado e o agressor fique livre da qualidade de arguido, se tiver cumprido as obrigações previstas, como, por exemplo, não ameaçar ou aproximar-se da vítima, ou se der prova de alteração do seu comportamento ou de cumprimento de um programa de tratamento.» [Público]
   
Parecer:

Pois, mas algumas das figuras mais mediáticas e ambiciosas da nossa justiça preferem falar de outros temas que dão mais notoriedade política.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se ao MP o que anda a fazer, se tanta morte debaixo das suas barbas não incomoda os nossos magistrados.»
  
 As crianças nunca mentem
   
«A rapariga alemã que disse às autoridades que tinha sido sequestrada e violada por um refugiado este mês admitiu ter inventado a história por medo, noticia este domingo o jornal The Guardian.

Os pais da menor reportaram o seu desaparecimento a 11 de janeiro, quando ela não apareceu na escola no distrito de Marzahn, em Berlim. A rapariga de 13 anos, identificada pela polícia apenas com o nome Lisa, apareceu 30 horas depois com ferimentos no rosto, afirmando que havia sido atacada por homens “do Médio Oriente ou do norte da África”, descreve a publicação.

Segundo o porta-voz do Ministério Público alemão, Martin Steltner, a rapariga foi acompanhada, nos três dias após o incidente, por especialistas em casos de abuso sexual infantil sobre o incidente e acabou por confessar que a história era falsa. A menor admitiu que ficou com medo de ir para casa depois de a escola ligar aos seus pais falando-lhes de “um incidente” no local, descreve o The Guardian sem explicar a que se referia o episódio. Após as investigações, a polícia descobriu que a rapariga – que também tem nacionalidade russa – passou a noite na casa de um amigo.» [Observador]
   
Parecer:

Pois, nunca mentem.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamente-se.»

 Milagres SIMPLEX
   


«Sabia que no Serviço Nacional de Saúde (SNS) realizam-se 85 mil consultas por dia e 114 cirurgias por hora? E que são vacinados 10 mil utentes por dia? Estes são apenas alguns dos muitos dados que a partir de hoje pode encontrar no Portal do SNS, que junta toda a informação que está disponível e até ontem dividida por vários sites. A criação deste agregador faz parte do programa Simplex para a administração pública.

Dividido por quatro áreas, o portal pretende dar toda a informação disponível ao utente. Os tempos de espera na urgência dos hospitais por cada prioridade, quanto tem de aguardar por uma consulta ou uma cirurgia de determinada especialidade. Informação para muitos preciosa que pode ser consultada antes de sair de casa, mas que ainda não está completa. Alguns hospitais ainda estão a atualizar os sistemas informáticos de forma a dar a informação em tempo real. Pode ainda, depois de se inscrever no Portal do Utente, marcar consultas ou pedir receitas sem ter de ir ao centro de saúde.» [DN]
   
Parecer:

Parece que a igreja aderiu ao SIMPLEX e no âmbito deste programa já se fazem milagres na hora. Ainda há poucos dias era anunciada a volta a Portugal para preparar o SIMPLEX, agora somos surpreendidos por um Portal da Saúde novinho em folha e que, de acordo com a notícia, faz parte do SIMPLEX para a Saúde. Se a ministra do SIMPLEX ainda ontem tomou posse e em poucos dias já fez um portal destes começo a acreditar que os americanos têm motivos para recear que Portugal os ultrapasse em três tempos.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»

 Explique lá melhor
   
«“Os salários da função pública correspondem na sua globalidade a despesa estrutural, e a reposição dos salários da função pública, tal como estava previsto pelo governo anterior, previa uma recuperação gradual dos rendimentos, ao mesmo tempo que se mantinha uma lógica de diminuição de despesa nesse sector”, explicou, dizendo que esses aumentos seriam feitos em linha com as aposentações e tendo em conta as novas entradas na administração pública.

“Não tem nada a ver ser estrutural ou ser permanente, o compromisso assumido pelo anterior governo era de repor os salários gradualmente ao mesmo tempo que haveria crescimento económico, dentro de um pacote para a função pública que não geraria aumento da despesa estrutural, que é isso que não vemos no esboço do Orçamento”, argumentou, criticando o governo porque querer fazer tudo de forma abrupta.

A devolução imediata dos salários da função pública e a redução do horário de trabalho para 35 horas, sem “critérios” e “gradualismos”, vai, avisa Assunção Cristas, implicar dificuldades na despesa estrutural.» [Público]
   
Parecer:

A futura líder do CDS devia explicar em que documento do seu governo constava aquilo que agora diz e como é que respeita um acórdão do TC sobre esta matéria. É óbvio que Cristas sabe muito bem que o seu governo nunca teve a intenção de repor a legalidade constitucional.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Vomite-se.»
  
blog comments powered by Disqus