terça-feira, outubro 04, 2016

Umas no cravo e outras na ferradura


  
 Jumento do dia
    
Duarte Pacheco, deputado do PSD

Alguns deputados estavam tão seguros de que em Setembro acontecia uma desgraça que andaram todo o verão confiantes de que o ovo estava no cu da galinha. Mas parece que a Execução orçamental os desiludiu, pelos vistos não correspondeu ao que os seus consultores fiscais tinham previsto.

Em vez  de fazerem acusações absurdas ao governo a propósito da execução não seria mais lógico que Passos e os seus divulgassem os estudos que os deixaram tão confiantes de que em Setembro os resultados orçamentais seriam tão maus que viria aí o segundo resgate?

Que informação vinda das bases de dados do fisco tinham os deputados do PSD para ficarem tão desiludidos ao ponto de falarem em mentira?

«Num requerimento ao presidente da comissão de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa que será entregue esta manhã na Assembleia da República, os sociais-democratas consideram que os dados da execução orçamental divulgados na semana passada e as declarações posteriores de Mário Centeno, bem como a situação da Caixa Geral de Depósitos, exigem a "presença imediata no Parlamento" do ministro das Finanças.

Em declarações à Lusa, o deputado do PSD Duarte Pacheco adiante que foram essas questões que "precipitaram o pedido" de audição parlamentar, que deverá ocorrer "no máximo no início da próxima semana", já que não pode esperar pelo processo orçamental.

Recordando que na semana passada foram divulgados resultados da execução orçamental que mostram "uma quebra muito grande na receita fiscal e uma economia estagnada", Duarte Pacheco diz não compreender "a inverdade de todo o tamanho" que Centeno transmitiu sobre esses mesmos números.

"O ministro disse que os dados estavam em linha com o que estava no Orçamento, quer do lado da despesa, quer do lado da receita", lembra, considerando que Mário Centeno tem de explicar "o equívoco e corrigir as suas declarações".» [Expresso]

 Fernando Lima e o Jumento


 photo Lima_zpsfdbzlag0.jpg

À medida que avanço na leitura do livro "Na sombra da presidência", da autoria de Fernando Lima, do ex-assessor de Cavaco Silva, fico cada vez mais abismado pelo papel que ali é atribuído ao Jumento na vida política portuguesa durante o cavaquismo presidencial.

O livro mistura mentira, imaginação criativa para manter uma narrativa aparentemente lógica e coerente. O delírio chega a um ponto que, como explicarei, quase concluo que o famoso email que desencadeou o caso das escutas a Belém tinha o Jumento como tema ou como um dos temas. Nesse email estava em causa um dossier sobre um assessor de Sócrates a quem Fernando Lima atribuía a autoria deste blogue. aliás, de todo o livro de Fernando Lima a importância dada a esse assessor resultava unicamente no facto de ser o suposto autor do Jumento, um blçogue que para Fernando Lima tinha um importante papel nos ataques de Sócrates a Cavaco Silva.

Brevemente começarei aqui a dar o meu contributo para esclarecer a verdade e como penso que o próprio Fernando Lima está muito baralhado, poderá tirar algumas dúvidas que ainda deverá ter, até porque se contradiz com frequência no seu livro.



 O jogo sujo da Kristalina

Kristalina esquivou-se a avaliação e preparou-se para uma entrevista ouvindo previamente as entrevistas dos outros candidatos.

      
 Até tu Marques Mendes?
   
«ís Marques Mendes está “perplexo” com o desempenho dos sociais-democratas neste primeiro ano de Governo socialista. No seu habitual comentário no "Jornal da Noite" da SIC, considerou que existe um "vazio" de ideias da parte do PSD que "praticamente não tem iniciativa sobre nada".

"O CDS ainda tem alguma iniciativa política. A candidatura de Cristas em Lisboa e algumas iniciativas no Parlamento. Ainda esta semana, uma iniciativa positiva contra os cortes nos fundos europeus", disse. Já o PSD, "é difícil entender", continua, dizendo que não tem tomado qualquer tipo de posição sobre o Orçamento do Estado ou qualquer outra questão, até nas autárquicas.

"Estamos a um ano de eleições e o PSD ainda não tem coligações pré-eleitorais definidas. Nas últimas autárquicas, a um ano de eleições, já havia 60", disse. Além disso, "estamos a um ano de eleições e o PSD ainda não tem candidato em nenhuma grande cidade".

"Isto é relativamente inédito", comentou. "Desde Sá Carneiro, o PSD sempre deu grande atenção ao Poder Local. E então, quando se está na oposição, os líderes sempre se empenharam muito nas autárquicas".» [Expresso]
   
Parecer:

Começaram as cerimónias fúnebres da liderança de Passos Coelho.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Espere-se para ver.»
  
 Acabou o folhetim dos fundos
   
«A comissária europeia para a Política Regional, Corina Cretu, disse hoje, em Estrasburgo, que se houver suspensão dos Fundos Estruturais e de Desenvolvimento (FED), esta só terá efeito em 2020 e apenas se não houver medidas corretivas.

"Se decidirmos suspender os FED em 2017, esta só tem impacto em 2020 e isto se o país não corrigir o défice orçamental", disse Cretu, numa audição no Parlamento Europeu (PE), no âmbito do 'diálogo estruturado' sobre a suspensão parcial de fundos estruturais a Portugal e a Espanha.

A comissária sublinhou ainda que, a ser decidida, "a suspensão é temporária" e não atinge os pagamentos, mas sim "às novas autorizações a partir de 2017" e que só terão que ser pagas em 2020.» [DN]
   
Parecer:

E não foi necessária a carta da Assunção Cristas.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Informe-se a líder do CDS que pode poupar no papel e no envelope.»
  
blog comments powered by Disqus