quarta-feira, outubro 05, 2016

Umas no cravo e outras na ferradura


  
 Jumento do dia
    
João Bilhim, presidente da CRESAP

Se a CRESAP foi um erro a nomeação de Bilhim para a presidir parece ter sido um desastre e para a memória ficam muitos concursos que deixarão muito a desejar, a começar por aqueles que ficaram a nu com as investigações do caso dos vistos. A verdade é que em muitos concursos mais pareceu que foi ao PSD e o CDS o jurí do que a CRESAP:

«Margarida Proença foi o nome escolhido por João Bilhim para o substituir na presidência da comissão que organiza os concursos para altos dirigentes do Estado. A até agora vogal permanente da Cresap foi nomeada representante legal do anterior presidente, que cessa funções a 12 de outubro, por motivo de reforma.

A notícia da substituição, avançada pelo Jornal de Negócios e pelo Público, foi confirmada ao Observador por fonte da Cresap. A ideia é que Margarida Proença substitua João Bilhim até haver decisão por parte do Governo. Em causa está o facto de o até agora único presidente daquela instituição estar prestes a atingir a idade limite de reforma no Estado e o Governo não ter aprovado até à data qualquer despacho para o manter em funções. Não o tendo feito, o mandato de Bilhim acaba automaticamente por fazer 70 anos.

Tal como noticiou o jornal Público na edição desta terça-feira, o professor universitário poderia continuar à frente da comissão que organiza os concursos para cargos de dirigentes de topo do Estado desde que o Ministério das Finanças o autorizasse especificamente por despacho invocado interesse público. A questão foi colocada ao Ministério das Finanças, mas não houve ainda resposta. Segundo sublinhou o próprio João Bilhim ao jornal Público, a secretária de Estado da Administração Pública, Carolina Ferra, terá dito que pretende que Bilhim “deixe a Cresap com toda a dignidade”. Certo é que o Governo já sabia da aposentação de Bilhim desde abril, mas o despacho nunca foi emitido.» [Observador]

 Falando com um jornalista


 Profissão: marido

 photo marido_zpsh6cclxsc.jpg

Por cá também tivemos um artista que na EDP teve como profissão marido da ministra e que depois de ser dispensado se entretinha a ameaçar quem criticasse a esposa. lembram-se?

      
 Bilhim dispensado
   
«Margarida Proença foi o nome escolhido por João Bilhim para o substituir na presidência da comissão que organiza os concursos para altos dirigentes do Estado. A até agora vogal permanente da Cresap foi nomeada representante legal do anterior presidente, que cessa funções a 12 de outubro, por motivo de reforma.

A notícia da substituição, avançada pelo Jornal de Negócios e pelo Público, foi confirmada ao Observador por fonte da Cresap. A ideia é que Margarida Proença substitua João Bilhim até haver decisão por parte do Governo. Em causa está o facto de o até agora único presidente daquela instituição estar prestes a atingir a idade limite de reforma no Estado e o Governo não ter aprovado até à data qualquer despacho para o manter em funções. Não o tendo feito, o mandato de Bilhim acaba automaticamente por fazer 70 anos.

Tal como noticiou o jornal Público na edição desta terça-feira, o professor universitário poderia continuar à frente da comissão que organiza os concursos para cargos de dirigentes de topo do Estado desde que o Ministério das Finanças o autorizasse especificamente por despacho invocado interesse público. A questão foi colocada ao Ministério das Finanças, mas não houve ainda resposta. Segundo sublinhou o próprio João Bilhim ao jornal Público, a secretária de Estado da Administração Pública, Carolina Ferra, terá dito que pretende que Bilhim “deixe a Cresap com toda a dignidade”. Certo é que o Governo já sabia da aposentação de Bilhim desde abril, mas o despacho nunca foi emitido.» [Observador]
   
Parecer:

É um senhor de quem a Administração Pública vai ter saudades, nem dele, nem dos seus concursos.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Deixe-se o homem partir.»
  
 Marcelo arrefece a direita
   
«O presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou nesta terça-feira que o valor das receitas fiscais de Setembro “talvez possa ser uma surpresa boa”. Uma surpresa positiva “no sentido de que as receitas permitam atingir” o objectivo do Governo de manter o défice das contas públicas abaixo dos 2,5%.

Marcelo reagia assim às dúvidas manifestadas pela Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO) quanto à capacidade do Governo em cumprir as metas relativas à receita fiscal. “Acredito que o défice vai ficar em 2,5%”, afirmou o Presidente da República  aos jornalistas, à margem da inauguração do Museu da Música Mecânica, no Pinhal Novo.

Se as receitas fiscais crescerem em Setembro, esse é um padrão que o Presidente espera ver repetir-se em “Outubro, Novembro e Dezembro”. “Como as despesas estão muito contidas, vai dar para manter os 2,5%”, adiantou Marcelo Rebelo de Sousa. “Não estou nesse ponto preocupado”, assegurou o chefe de Estado.» [Público]
   
Parecer:

Um banho de água fria.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «»
  
blog comments powered by Disqus