terça-feira, abril 25, 2017

Umas no cravo e outras na ferradura




 Jumento do Dia

   
Arménio Carlos. líder da CGTP

Arménio Carlos é um daqueles sindicalistas que gosta de imitar os esteriotipos dos comunistas duros dos anos 50 e quando fala de um ministro fala de algué que, por definição é inimigo do povo. Só assim se entende a forma agressiva como a propósito de uma luta sindical se referiu a Centeno como um "superministro" quase inimigo dos trabalhadores.

Seria bom que Arménio carlos, um sindicalista com quem é impossível qualquer acordo, perceba que alguma da recuperação dos rendimentos de que os trabalhadores estão beneficiando resultam mais da competência do ministro das Finanças do que das suas presenças televisivas na concertação social.

Quanto mais vejo o Arménio mais me vêm à memórias os antigos líderes da CGTP José Luís Judas e carvalho da Silva. Mas esses ao lado do revolucionários modelo Arménio Carlos são pequeno-burgueses.

 Estranho desaparecimento

O que é feito do


 Para os que não conheceram Portugal antes do 25 de Abril



      
 Refugiados ou emigrantes
   
«Nos últimos dois meses duplicou o número de refugiados, recolocados em Portugal ao abrigo das quotas definidas pela União Europeia (UE), que abandonaram o nosso país. Do total de 1255 acolhidos, principalmente no último ano, 474 deixaram as instituições que os receberam, quase 40%, uma das taxas mais elevadas dos designados "movimentos secundários". Em fevereiro, um levantamento feito pelo DN junto às maiores instituições de acolhimento, dava conta que os abandonos ultrapassavam os 200 casos.

Destes refugiados, a maior parte sírios, atualmente em fuga, 147 foram entretanto detetados, alguns mesmo detidos, pelas autoridades de outros países, principalmente Alemanha e França, mas também a Bélgica, Suécia e Holanda, e estão obrigados a regressar. Um deles já o fez, mas os restantes 326 ainda estão em paradeiro desconhecido. Todas as despesas do retorno - designado retoma a cargo - são da responsabilidade de Portugal.» [DN]
   
Parecer:

refugiados mas, já agora, de preferência emigrantes em países mais ricos.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamente-se.»
  
 Azar!
   
«O ex-líder do PSD, Luís Marques Mendes, disse este domingo à noite que tudo indica que a recapitalização da Caixa Geral de Depósitos não terá impacto no défice. "Boas notícias", disse no seu comentário habitual de domingo no jornal da noite da SIC.

"O que importa é saber se o dinheiro que é injectado na recapitalização da caixa conta ou não para o défice e há duas boas notícias. Uma é que as autoridades estatísticas nacionais já contaram com esta interpretação e a outra, que está prestes a confirmar-se é que, em princípio, Bruxelas irá confirmar esta interpretação das autoridades estatísticas nacionais, ou seja, provavelmente a recapitalizaão da Caixa nao contará para o défice", disse.» [Expresso]
   
Parecer:

Mais um azar para Passos Coelho.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se a Marques Mendes quem o informou.»

blog comments powered by Disqus