sábado, abril 08, 2017

Umas no cravo e outras na ferradura




 Jumento do Dia

   
Dias Loureiro

Quem ouve Dias loureiro fica com a impressão de que este pobre senhor é uma vítima da sociedade, o pobre até perdeu um amigo, aliás, um amigo com um conceito de amizade que já deixou muitas gente atropelada pela sua carreira política.

«Dias Loureiro deu a primeira entrevista desde que o Ministério Público (MP) arquivou o inquérito de que tinha sido alvo no Caso BPN. Ao Diário de Notícias, o ex-ministro dos Assuntos Parlamentares e da Administração Interna de Cavaco Silva, disse que durante os oito anos em que decorreram as investigações, cortou com “um só amigo, um grande amigo”, o ex-presidente da República.

Cortei com um só amigo, um grande amigo. Em amigo a quem devotei uma amizade incondicional dos últimos 32 anos. Um amigo a quem dei, em tudo, o melhor de que fui capaz. Admirava-o como pessoa e como político. Continuo a admirar a sua obra política como primeiro-ministro. Falo do professor Aníbal Cavaco Silva”, afirmou Dias Loureiro.
O ex-administrador do BPN esclareceu que durante o segundo mandato presidencial não falou com Cavaco Silva, mas que quando este deixou de ser presidente, o procurou para lhe dizer o porquê do seu afastamento. “Disse-lhe que fui sempre leal à amizade que lhe dediquei. Disse-lhe que ele não o foi em relação à amizade que eu esperava dele”, afirmou, sem querer tecer comentários sobre o segundo mandato de Cavaco Silva e os seus níveis de impopularidade.» [Observador]

 Trump mandou bombardear a Síria

F~e-lo depois de ver os vídeos produzidos pela Al Qaeda e com base em autópsias mandadas fazer por Erdogan, merecendo os aplausos de Israel. Trump é acusado de andar amancebado com a Rússia e os sírios é que pagam.
      
 PSD sobre e PAF desce
   
«O Partido Socialista (PS) mantém-se na liderança da intenção de voto dos portugueses, de acordo com os resultados do estudo de opinião que a Eurosondagem fez para o Expresso e para a SIC. Apesar de o PSD ter recuperado votos face à sondagem anterior, a diferença entre os dois maiores partidos é de 10 pontos percentuais: se o PS consegue arrancar 39,3% das intenções de voto dos portugueses, o partido liderado por Pedro Passos Coelho capta 29,3%.

Desde julho de 2016 que o PSD não subia nas sondagens, mas os 0,5% que conseguiu agora não foram suficientes para diminuir o buraco de dois dígitos que ainda separa Passos Coelho de António Costa.

Atrás do PSD, manteve-se o Bloco de Esquerda, com 9% das intenções de voto (perdeu 0,2 pontos percentuais), seguido da CDU, com 7,5% das intenções de voto (perdeu 0,5 pontos percentuais) e do CDS, com 6,4% das intenções de voto (perdeu 0,8 pontos percentuais). O PAN também perdeu terreno face à última sondagem e capta agora 1,4% das intenções de voto. Já o número de pessoas que votaria em branco ou noutro partido subiu 0,4 pontos percentuais para 7,1% (acima do CDS).» [Observador]
   
Parecer:

Digamos que o PSD roubou uns quantos voos à Assunção cristas, um sinal de que o PAF está sendo vítima do canibalismo eleitoral.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»
  
 Um rapaz que se choca com pouco
   
«O secretário de Estado das Finanças exigiu esta sexta-feira um pedido de desculpas público ao presidente do Eurogrupo sobre as declarações sobre os países do Sul da Europa, sendo que Jeroen Dijsselbloem também se mostrou “chocado” com a reação portuguesa.

Anteriormente ao início da reunião do Eurogrupo, que hoje decorre em Valletta, capital de Malta, o secretário de Estado Adjunto e das Finanças, Ricardo Mourinho Félix, dirigiu-se ao presidente do Eurogrupo para lhe transmitir a posição do Governo português sobre as declarações feitas por Jeroen Dijsselbloem sobre os países do Sul da Europa.

“Quero dizer-lhe que foi profundamente chocante aquilo que disse dos países que estiveram sob resgate. E gostaríamos que pedisse desculpas perante os ministros e a imprensa”, disse Mourinho Félix ao presidente do Eurogrupo, segundo as imagens captadas pelas televisões portuguesas no ’tour de table’, um momento anterior ao início formal da reunião e em que podem ser recolhidas imagens pela comunicação social.» [Observador]
   
Parecer:

Grande cabresto!
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Mande-se o senhor à bardamerda.»

blog comments powered by Disqus