domingo, dezembro 13, 2015

Semanada

 photo couves_zpseqhdix42.jpg
  
Antes de ir para Foz Coa Cavaco recebeu o presidente irlandês a quem disse que morria de ciúmes por causa das taxas de crescimento da Irlanda. Mas não lhe disse que há uns tempos atrás provocava a oposição política em Portugal criticando-a por não se referir aos nossos brilhantes resultados, nesse tempo achava que era a oposição que devia ter inveja do seu governo, o governo cujos resultados o levam a ter inveja do governo irlandês.
  
Cavaco foi a Foz Coa mas não o fez para lembrar o papel do seu governo na tentativa de reduzir pinturas rupestres a bonecos desenhados com um canivete de forma a viabilizar uma barragem para a EDP, apoiada por Mira Amaral, o então ministro da indústria e que hoje faz de banqueiro do endinheirados angolanos. Cavaco foi a Foz Coa dar o seu grito de guerra, garantiu que se não forem os credores ou a troika a imporem os bons valores ao país, então será o povo a fazê-lo. O Jumento assegura que Cavaco não está maluco e nada aponta que vá por esse caminho.
  
O PSD e o CDS combinaram apoiar a candidatura do cata-vento a Presidente da República, ainda que não tenham dito que conversas tiveram com o dito para terem manifestado este apoio de forma tão dócil. Não só apelaram ao voto como garantiram que Passos e Portas tudo farão para não prejudicar o cata-vento, evitando aparecer em público nos próximos tempos.
  
Depois do apoio ao cata-vento Passos deu uma entrevista ao Público onde mostrou o seu upgrade para os próximos tempos, deixou de ser o líder da extrema-direita chique que queria reeducar o país, agora é um político tolerante do centro e está por nascer alguém mais social-democrata do que ele.
  
As confederações do patronato estão muito preocupadas com o aumento do ordenado mínimo, depois de a maioria das empresas que empregam trabalhadores com o ordenado mínimo terem beneficiado de uma redução do IVA no sector da restauração devem estar receosos de irem à falência com o aumento do que pagam às suas empregadas domésticas. Se calhar e por causa dos ordenados mínimos que o crédito malparado vai subir para além dos actuais 10%.
  
Como era de esperar já se ouvem as primeiras vozes a pedir que Pacheco pereira seja expulso do PSD, nada que o historiador já não esteja habituado, no tempo de Santana Lopes houve quem defendesse o mesmo. Como era de esperar a tarefa suja coube a um dos homens de Mação que nos últimos tempos marcam o ritmo da política baixa.

blog comments powered by Disqus