sábado, dezembro 19, 2015

Umas no cravo e outras na ferradura


  
 Jumento do dia
    
Cavaco Silva, líder da oposição

Aquele que na verdade foi o chefe do governo, um preço suportado por Passos em sinal de gartidão para com aquele que o levou ao colo para São Bento, assume-se agora inteiramente como líder da oposição. Depois de uns dias a tentar digerir a posse de António Costa eis que Cavaco Silva surge em todo o seu esplendor.

E enquanto Passos vai a Bruxelas pedir aos seus parceiros que sejam benevolentes para com o novo governo, Cavaco anda por cá a fazer exactamente o inverso, não perdendo uma única oportunidade para beliscar o governo. Agora já só falta o seu assessor Fernando Lima inventar uma qualquer mentira, como as famosas escutas a Belém.

«"É matéria que compete totalmente ao Governo fazer as negociações que entende que deve fazer, tendo presente que a TAP é uma companhia muito importante para o nosso país, principalmente pelos turistas que traz para Portugal e para isso tem que ser rentável", afirmou o chefe de Estado, à margem de uma visita que efetuou esta tarde à empresa Science4You, instalada no MARL, no concelho de Loures.

Caso contrário, acrescentou, tal como aconteceu em outros países da Europa, "a União Europeia para autorizar a injeção de fundos requer despedimentos muito elevados e o encerramento de rotas".

"Portanto, eu espero que não aconteça com a TAP aquilo que aconteceu em Chipre, aquilo que aconteceu na Polónia, aquilo que aconteceu na Alitalia e aquilo que aconteceu noutras companhias, é isso que eu desejo", sublinhou.» [Notícias ao Minuto]

 91%

Recorrendo aos truques de propaganda dos tempos de Passos Coelho a deputada da moda Mariana Mortágua, promovida a vedeta pelo Ricardo Salgado, informou que 91% dos contribuintes não pagariam a sobretaxa. O que a deputada não disse é quantos portugueses são contribuintes e qual a percentagem destes não paga IRS ou quantos é que pagavam a sobretaxa. A verdade é que aqueles que mais contribuíam para a receita da sobretaxa vão pagar o mesmo ou quase o mesmo que pagavam. Enfim, parece que os números da base de dados do fisco são agora usados na comunicação politico-partidária.

      
 Passos, o solicitador de moderação
   
«Quem foi que nos salvou, quem foi? Mais uma vez, Passos Coelho. Podemos criticar o homem por coisas passadas cá dentro mas, lá fora, Passos transfigura-se. Lembram-se do "até fui eu que tive a ideia", quando no verão ele salvou a permanência da Grécia na Europa? Agora, de novo, ele iluminou-nos. Como se sabe, o PPE, o grupo dos partidos da direita europeia, quando lhe cheirou a governo socialista em Portugal, perdeu a cabeça. Seria natural a Passos ter atiçado o azedume. É não conhecê-lo. Teve outra ideia e essa ele contou-a, ontem, à TSF: "O PPE reagiu com moderação como de resto eu solicitei que o fizesse." Modesto, Passos conta a coisa já conseguida, não lembra quanto lhe custou acalmar a animosidade da direita europeia. A Merkel, quando ouviu o pedido do amigo, até ficou estupefacta: "Moderação?! Socialistas no governo e fico calma?" E revelou: "Eu tenho seis lá no meu governo e corro-os sempre à pancada. Leva o vice-chanceler Gabriel, leva a Schwesig, ministra da Família, e ao Maas, da Justiça, mando-o comprar-me cigarros..." Seguiu-se igual queixa dos outros do PPE, narrando a indignação pelo despropósito de socialistas a governar, seja quase sozinhos (França), com a direita (Holanda), com o centro (Itália) e, ainda há pouco, com a esquerda radical (Dinamarca)... Experiências sempre a aterrorizar a direita europeia. Em Portugal, porém, o PPE acabou por reagir com moderação. Como? "Como, de resto, Passos solicitou."» [DN]
   
Autor:

Ferreira Fernandes.

      
 Condecorações; restos de colecção?
   
«"Um homem de liberdade, um lutador, um homem de coragem”. Assim falou o Presidente da República sobre o general Ramalho Eanes, ao atribuir-lhe hoje o Grande Colar da Ordem da Liberdade, a máxima condecoração portuguesa, “em reconhecimento da grandeza do seu caráter e dos serviços que prestou para que Portugal seja hoje uma pátria de liberdade e democracia”.

O general era o único ex-Presidente que não foi agraciado com esta condecoração, pelo que Cavaco Silva resolveu restabelecer a igualdade entre todos. Mário Soares foi o primeiro a recebê-lo das mãos de Sampaio, e este de Cavaco Silva.» [Expresso]
   
Parecer:

É lamentável que Cavaco tenha esperado pelos últimos dias do seu mandato para condecorar Ramalho Eanes, o primeiro Presidente da República eleito em democracia e cujo nome merece o consenso da sociedade portuguesa. Até parece que Cavaco esperava que o ex-presidente morresse e já que isso não sucedeu atribui a condecoração mais para evitar mais uma mancha no seu currículo.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamente-se.»
  
 Nova moeda holandesa
   
«Quem o diz são dois ministros do Governo holandês, da Justiça e dos Transportes, em resposta à acusação feita pela Oposição de que se trata de "prostituição ilegal". Os dois ministros entendem que oferecer aulas a troco de sexo não é prostituição porque não implica a venda de sexo. Contudo, oferecer sexo a troco de aulas já seria uma ofensa. Em todo o caso, entendem que a prática não é desejável, noticiou esta quinta-feira o site Dutchnews.

A posição do Governo holandês vem beneficiar todos os (sobretudo homens) técnicos de informática, trolhas ou professores de condução que usam a Internet para oferecer os seus serviços a troco de favores pessoais. O fenómeno já levou a polícia de Roterdão a investigar os "negócios de sexo", em 2014, mas as conclusões ainda não foram divulgadas.» [JN]
   
Parecer:

Digamos que na Holanda há uma nova moeda em circulação, é a "Queca".
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se a merecida gargalhada e pergunte-se como é que são feitos os trocos.»

 O regresso do Bloco Central
   
«Este diploma é assim a primeira matéria considerada importante para o PS que os socialistas conseguem aprovar no parlamento por terem os votos favoráveis do PSD e do CDS, uma vez que tanto o BE, como o PCP e o PEV votaram contra. O deputado do PAN também votou favoravelmente.

A proposta do PS para a CES propõe uma redução para metade desta contribuição, estabelecendo que, em 2016, seja de 7,5% para o montante de pensões que exceda os 4.611,42 euros mas que não ultrapasse os 7.126,74 euros, e que seja de 20% para o valor das pensões acima deste valor. Em 2017, a CES deixa de se aplicar.» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:

O PSD deu o dito por não dito e parece que a esperança de voltar ao poder está numa crise na coligação da esquerda.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Espere-se para ver.»

 Podemos dormir descansados
   
«Os serviços de segurança não têm indícios da presença de jihadistas relacionados com os atentados de 13 de Novembro de Paris em Portugal. O PÚBLICO apurou que, desde há meses, são comuns os alertas preventivos entre vários serviços de segurança europeus e do espaço Schengen, incluindo os serviços de informações de diversos países, sobre indivíduos suspeitos de envolvimento com o autoproclamado Estado Islâmico (EI) e de terem actuado directa ou indirectamente na capital francesa.

“Há centenas de alertas preventivos em relação a determinados indivíduos difundidos pelas autoridades francesas e espanholas, trata-se de um modus operandi comum”, comentou um especialista. Em relação à existência de um alerta sobre o território nacional relativo a três indivíduos, entre os quais poderia estar o cabecilha dos massacres da noite de sexta-feira, 13 de Novembro, na capital francesa, tal informação não foi confirmada.» [Público]
   
Parecer:

Parece que não anda por aí ninguém com uma camisola a dizer "sou jiahdista".
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»

 Membro do CE eleitos democraticamente pela primeira vez
   
«Com 226 dos 230 parlamentares presentes, a lista A (PSD/CDS-PP) obteve 104 votos e a lista B (PS, BE, PCP) conseguiu 116, verificando-se ainda um voto nulo e cinco em branco.

Assim, o líder parlamentar e presidente socialista, Carlos César, o fundador e ex-deputado bloquista Francisco Louçã e o também fundador do PSD e antigo primeiro-ministro Francisco Balsemão foram escolhidos, tal como o "senador" do CDS-PP Adriano Moreira e o "histórico" do PCP Domingos Abrantes, em virtude da aplicação do Método d'Hondt.» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:

Goste-se ou não das escolhas foi a primeira vez que os representantes do parlamento no Conselho de Estado foram eleitos sem recurso ao cambalacho.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Aprove-se.»

   
   
 photo Alex-Wesche-3_zpsfkctzzyl.jpg

 photo Alex-Wesche-5_zpsitdcoqj7.jpg

 photo Alex-Wesche-1_zpsghoozrb8.jpg

 photo Alex-Wesche-4_zpspysa3uga.jpg

 photo Alex-Wesche-2_zpsh6jysvor.jpg
  
blog comments powered by Disqus