sexta-feira, dezembro 25, 2015

Umas no cravo e outras na ferradura




 Foto Jumento
  
 photo _Tuga_zpseaokt24d.jpg

O Pai Natal é Tuga, Rua Augusta (2004)

 Imagem do Dia
  
 photo _Dia_zpsfajkogyb.jpg


TERMINAN LAS OBRAS EN EL RASCACIELOS MÁS ALTO DE COREA DEL SUR

Operarios surcoreanos permanecen en la planta 123 del rascacielos Lotte World Tower durante la fase de finalización de las obras. El exterior del edificio se ha completado tras cinco años y dos meses de obras y se espera que el interior esté terminado para el próximo año. El rascacielos, de 550 metros de altura, es el más alto de Corea del Sur y el quinto del mundo. (Jeon Heon-Kyun / EFE)

  
 Jumento do dia
    
Paulo Macedo

A coragem nunca foi a praia do Opus Macedo, esta figurinha que fez carreira à custa do trabalho alheio ´mais especializada em manobras de propaganda do que em dar a cara pelas suas políticas. A Maria Luís perante o escândalo do BANIF foi a correr dar uma entrevista, mas as mortes nos hospitais não levam o Opus Macedo a sair do seu esconderijo, nem mesmo quando aqueles que o nomeou se demitem endereçando-lhe a responsabilidade.

 O primeiro-ministro no exílio


  
O primeiro discurso público do primeiro-ministro no exílio

Com a realidade miserável do país deixado pelos pafiosos a prejudicar a imagem do primeiro-ministro no exílio este desdobrou-se em intervenções passando a mensagem do político que se preocupa com o país, só olhe faltou ter o desplante de ir ao funeral do jovem que morreu no hospital de São José à espera de um dia útil.

Passos Coelho tenta sobreviver na liderança do PSD e receoso de que as sondagens conduzam à sua demissão no próximo congresso do PSD, abrindo caminho à liderança de Rui Rio, tenta sobreviver à custa de doses sucessivas de propaganda.

      
 Tenham aneurismas à terça-feira
   
«Temos interesse em ver o caso do jovem deixado morrer no Hospital de São José como isso mesmo, um caso. Assunto público, como a saúde. Na carta da namorada duas frases contam a história. Ao ir de ambulância, ela disse-lhe: "Eles vão cuidar de ti." Leia-se, para tirarmos das palavras a carga sentimental: o Estado, nas obrigações que lhe cabem de saúde dos cidadãos, vai cumprir o que deve. Na segunda frase, ao chegar ao hospital, a namorada ouviu: "Infelizmente calhou numa sexta-feira." Leia-se: as obrigações do Estado, neste caso, interrompem-se ao fim de semana. Enfim, tenham aneurismas às terças ou quintas. Ao fim das duas frases, depois da esperança ("vão cuidar") e da resignação ("calhou"), matou-se um homem. Os cortes foram longe de mais nos hospitais, diz-se agora. E também se diz que, apesar dos cortes cegos, havia mecanismos que, no caso de David Duarte, não foram seguidos. Os entendidos vão (vão?) tirar conclusões e os responsáveis decidiram que haverá, já, equipas de neurocirurgia nos hospitais adequados, aos fins de semana. Nós, os que sofremos de não saber o que é organizar a saúde pública (e acreditem, somos muitos, apesar do que vão ler nos jornais por estes dias), nós, os leigos, deveríamos ficar pelo essencial. E o essencial é: aquela frase - qual é a parte de "não há dinheiro" que não entendeu? -, tão batida a partir de 2011, era criminosa. Cheia de bom senso, mas prenhe de crimes. Este foi mais um.» [DN]

      
 Grande filho da ...
   
«Reposição de salários. Esta é a principal promessa da carta de boas-festas que o presidente da TAP enviou aos trabalhadores. Fernando Pinto afirma que tal é possível num tempo “em que a empresa não mais depende das limitações impostas pelo Orçamento de Estado”, cita o Diário de Notícias. Ou seja, a reposição salarial é possível devido à privatização da companhia aérea.

“Tenho consciência de que as dificuldades sentidas nos últimos anos não impediram que todos continuassem a dar o seu melhor. É justo que, existindo agora condições para garantir um futuro que todos desejamos, haja também um sinal de que o esforço individual e coletivo serão compensados”, afirma o presidente da TAP. Assim sendo, o aumento dos salários fica dependente da permanência da TAP nas mãos de David Neelman e Humberto Pedrosa.

Além da reposição dos salários, Fernando Pinto refere ainda na carta a reposição das regalias perdidas, mais aviões e renovações, e melhores serviços. Mas ressalva que estas reposições e melhorias terão de ser feitas de forma cuidadosa para que a que se assegure a estabilidade da TAP.» [Observador]
   
Parecer:

Um dia vamos conhecer este Fernando Pinto. Este canalha sabe muito bem que mesmo pública a TAP deixaria de estar sujeito às restrições salariais.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Espere-se pela oportunidade de responder a este maroto.»
  
 Deixem o Costa governar, diz o primeiro-ministro no exílio
   
«O presidente do PSD defende que "é altura de deixar governar aqueles que quiseram assumir essas responsabilidades", transmitindo que não deixará de colocar Portugal e os portugueses à frente nas suas decisões enquanto líder da oposição.

"Agora que há também um novo Governo é altura de deixar governar aqueles que quiseram assumir essa responsabilidade, dando-lhes tempo para que afirmem as suas políticas e contribuam para resolver os problemas mais relevantes que sempre surgem no caminho", declarou Pedro Passos Coelho num mensagem de Natal divulgada em vídeo nesta quinta-feira.

O líder social-democrata transmite, nessa mensagem, que não deixará, "como no passado, de colocar Portugal e os portugueses à frente em todas as escolhas que vier a fazer como líder do maior partido da oposição, procurando contribuir, nesta nova fase, com uma atitude igualmente responsável e construtiva que vá ao encontro das necessidades dos portugueses".» [Público]
   
Parecer:

Ridículo.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se a merecida gargalhada.»

   
   
 photo Sam-Lim-1_zps98ymqkaq.jpg

 photo Sam-Lim-3_zpskdlfcqof.jpg

 photo Sam-Lim-4_zpsrvxkbocz.jpg

 photo Sam-Lim-5_zpsrw0csxiu.jpg

 photo Sam-Lim-2_zpsfalkczmr.jpg
  
blog comments powered by Disqus