sábado, setembro 10, 2016

Modelo de virtudes

Apegados aos valores do ruralismo, valores que representam pureza, abnegação, capacidade de sacrifício, vida humilde e honesta, gente dura como o clima, que cresceu na vida rude, que nunca foi poluída pelos pecados citadinos, são assim os modelos de virtudes cultivadas por algumas das nossas personagens. Tem sido assim desde esses modelo de nome Salazar, Cavaco Silva também soube explorar esta herança do Estado Novo, Vítor Gaspar chegou a ser elogiado por ser o neto da avó Prazeres, mulher cheio de bons princípios e crente a Deus, que bebeu as virtudes nacionais na Serra da Estrela.

Mas nem é preciso que sejam brilhantes, até porque esse não é o valor mais importante, que o diga Luís Filipe Menezes quando afirmou os seus tiques grosseiros face aos “sulistas, elitistas e liberais” como Marcelo Rebelo de Sousa. O que vale a inteligência ou o elitismo das grandes universidades estrangeiras perante a honestidade, a verticalidade, a capacidade de sacrifício pelo país do que comeram o pão que o diabo amassou? 

Olhamos para ele e vemos aquela posse digna de um agricultor que olha de frente para a tempestade que se aproxima, ou do pescador que fica impávido quando a proa mergulha no mar. Um olhar firme, em cima de uns ombros ligeiramente arqueado pelo peso dos seus valores. Não importa que seja bem-falante, mas se enriquecer a sua linguagem com citações é prova de cultura, é quanto basta para dispensar o brilhantismo intelectual de outros.

Uma cultura conseguida com sacrifícios, calças remendadas, sapatos na mão para os poupar, caminhadas sob sol e chuva a caminho de uma escola distante, trabalhos de casa feitos à luz de um candeeiro a petróleo. Os professores eram para respeitar e queixa aos país significavam castigos que apuravam a dureza da vida, como sucedeu ao jovem Cavaco condenado a trabalhar na horta.

É gente que não quer enriquecer, que compra tudo com sacrifício, que trabalha anos sem férias, sem feriados e sem fins de semana, com os filhos a serem educados por uma mulher de armas e dedicada ao homem que Deus em boa hora lhe deu, gente que não tem dinheiro em contas bancárias de terceiros, que não enriquece, que não ambicionam promoções, que tudo fazem em nome da verdade e da dedicação ao país.

È desta massa que foram feitos alguns dos nossos políticos, é esta a massa que todos os ambiciosos gostam de exibir para disfarçarem os valores e qualidades que não têm, é esta a massa do ruralismo português tão querida a uma certa direita que de salazarista passou a populista, são estes os valores de uma certa extrema-direita portuguesa.


blog comments powered by Disqus