sexta-feira, novembro 18, 2016

Umas no cravo e outras na ferra




 Jumento do Dia

   
Teodora Cardoso, candidata a ministra das finanças do governo sombra

Com Passos Coelho quase enterrado e Maria Luís Albuquerque aparentemente mais ocupada com os seus afazeres no privado, o protagonismo na oposição é cada vez mais assumido por Teodora Cardoso, que parece comportar-se mais como uma ministra de um governo sombra da direita do que como uma técnica independente.

Teodora Cardoso devia ter apresentado a demissão no dia em que  excedeu tudo o que era imaginável e ofereceu-se, na sequência de uma exigência de Passos Coelho, para avaliar as propostas económicas do PS, em plenas legislativas. Alguém que acha que em democracia o povo só pode escolher e opinar depois de as propostas passarem pelo seu crivo pessoal, não sabe muito bem o que anda a fazer.

Mas Teodora não desistiu e depois de quase um ano a liderar a direita nas críticas ao Centeno parece ainda não ter desistido. O espetáculo proporcionado por Teodora Cardoso começa a ser deprimente, porque por mais razão que possa ter é cada vez mais evidente que a sua postura é mais ideológica do que técnica e mais partidária do que institucional.

«A presidente do Conselho de Finanças Públicas (CFP) admitiu hoje que a parte da recapitalização da Caixa Geral de Depósitos (CGD) relativa a prejuízos passados que ainda não foram contabilizados no défice orçamental terão de ser incluídos nesse apuramento.

"A regra do Eurostat não diz respeito à recapitalização da Caixa diretamente, mas diz respeito ao facto de a parte da necessidade de recapitalização que resulta de prejuízos passados e que ainda não foi compensada por aumentos de capital - que esses já foram ao défice - terá de ir ao défice", explicou Teodora Cardoso aos deputados da Assembleia da República, onde está hoje a ser ouvida, no âmbito da apreciação na especialidade da proposta orçamental para o próximo ano.

"Se vamos descobrir novos prejuízos acumulados no passado que justificam e que tornam necessária a recapitalização e que ainda não foram ao défice, a regra será a de o serem", afirmou ainda a presidente do CFP.» [DN]

 Rip Mundo - Teka Balluthy

 Dúvidas que me atormentam

Os que agora desvalorizam o crescimento económico por ter sido impulsionado pelo turismo não serão os meses que se queixaram das taxas e taxinhas e que há um ano e tal atrás avisavam para a fuga dos turistas. Calculo que agora o turismo tenha sido impulsionado pelos veraneantes de Outubro ou pelos espanhóis de Ayamonte que visitaram Vila Real de Santo António.

      
 Teodora ainda não perdeu a esperança
   
«Os prejuízos da Caixa Geral de Depósitos que ainda não foram reconhecidos nas contas irão penalizar o défice público quando forem registados, admitiu esta quinta-feira a presidente do Conselho de Finanças Públicos.

Teodora Cardoso diz que as regras do Eurostat, organismo de estatística da União Europeia, são claras. “A parte das necessidades de recapitalização que resulta de prejuízos passados e que ainda não foi compensada por aumentos de capital terá de ir agora ao défice público. Se vamos descobrir novos prejuízos acumulados do passado que ainda não foram levados ao défice,, a regra será o de serem agora”.

Em resposta à deputada do CDS, Cecília Meireles, Teodora Cardoso explica que estará em causa calcular esses prejuízos e a parte que já foi levada ao défice. “E se houve um remanescente, esse terá de que ser levado ao défice. Isto está claro nas regras europeias. Pode haver é dúvidas sobre o número.” A presidente do Conselho de Finanças Públicas foi ouvida esta quinta-feira no Parlamento sobre o parecer à proposta de Orçamento do Estado de 2017.» [Observador]
   
Parecer:

Teodora mais a Cecília Meireles é como juntar a fome à vontade de comer.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»
  
 Passos ainda sonha com a desgraça
   
«Os ventos estão a soprar a favor do Governo. A maré favorável começou na semana passada, com o Instituto Nacional de Estatística a divulgar dados positivos ao nível da descida do desemprego e da subida das exportações, e continuou esta semana: Bruxelas deu luz verde à proposta de Orçamento do Estado para 2017, sem pedir alterações ou medidas adicionais, disse que Portugal deverá mesmo sair do procedimento por défices excessivos este ano; decidiu não sancionar o país com a suspensão dos fundos comunitários. E, surpresa das surpresas, a estimativa rápida do INE revelou que a economia cresceu 0,8% no terceiro trimestre deste ano, alcançando o melhor resultado dos últimos três anos e o melhor resultado de toda a zona euro. Então, onde anda o Diabo invocado por Pedro Passos Coelho, que chegaria em setembro?

Não anda, nem parece prestes a chegar, mas não é por isso que o PSD vai mudar a narrativa de que “é a economia que vai provar que o modelo do PS não funciona”. Só que para isso tem que dar algumas voltas e afinar os detalhes do argumento. A direção do PSD reconhece que as boas notícias “são sempre melhor para o país do que as más” mas lembra que o bom resultado do crescimento económico do terceiro trimestre foi acelerado pelo crescimento das exportações, que aumentaram 6,6% face ao ano passado, e não pelo investimento e o consumo interno — que era a fórmula mágica dos socialistas.» [Observador]
   
Parecer:

Nunca foi tão evidente a esperança de Passos de ver o país ficar pior.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Enterre-se este defunto que já morreu e ficou esquecido.»

 A UE no seu melhor
   
«O UKIP deverá ser obrigado a devolver mais de 170 mil euros de fundos europeus ao Parlamento Europeu por ter gasto mais de 450 mil euros, ilegalmente, a fazer campanha…contra a União Europeia.

A notícia é avançada esta quinta-feira pelo jornal britânico The Guardian, que teve acesso a uma auditoria do Parlamento Europeu que chega a esta conclusão.

A Aliança para a Democracia Direta na Europa, um veículo político dominado pelo UKIP, terá de pagar 173 mil euros em fundos europeus que foram usados com fins irregulares e ser-lhe-á vedado o acesso a mais 501 mil euros de fundos que estavam previstos. Dos mais de 500 mil euros usados ilegalmente pelo veículo, 450 mil foram gastos pelo UKIP.

Segundo a lei europeia, estes fundos não podem ser usados em campanhas eleitorais ou referendos nacionais, mas a auditoria terá concluído que o UKIP usou os fundos na campanha para as eleições legislativas de 2015 a tentar garantir, sem um sucesso, um lugar no Parlamento para o então líder do partido Nigel Farage.» [Observador]
   
Parecer:

A extrema-direita inglesa usa dinheiro da UE para a destruir.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamente-se.»

 Proposta da treta
   
«A bancada parlamentar do PSD vai propor a criação de uma comissão de peritos independentes, em que terão assento os parceiros sociais, para avaliar as necessidades e riscos do sistema de Segurança Social. A proposta faz parte de um pacote de alterações que o PSD pretende apresentar ao Orçamento do Estado (OE) para 2017, na área da Segurança Social, e que considera ir ao encontro do que está escrito no programa do Governo socialista, segundo fonte social-democrata.

Num orçamento que prevê o aumento extraordinário de dez euros para pensionistas até 628 euros e que deixa de fora as mais baixas, o PSD também deverá ter uma proposta sobre essa norma mas que ainda não quer revelar. Na Segurança Social, as medidas que propõe – anunciadas pelo líder do partido como “estruturantes” – incidem na criação de uma comissão, no reforço da transparência dos dados divulgados e numa maior confiança no sistema.

Os sociais-democratas insistem na criação de uma comissão para estudar o sistema da Segurança Social – avaliar necessidades e riscos para o futuro –, com peritos independentes, representantes dos parceiros sociais (dos trabalhadores e entidades patronais) e elementos do Conselho de Finanças Públicas. Desta vez, a comissão não é parlamentar – essa proposta do PSD já foi chumbada este ano –, mas funcionaria no âmbito da Assembleia da República, com o apoio da Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO). Este grupo, com 12 elementos, terá um prazo de 180 dias para apresentar conclusões. E terá aceitação no PS? A mesma fonte social-democrata lembra que o próprio programa de Governo prevê uma avaliação rigorosa da evolução do sistema nos últimos anos e dos novos desafios que se colocam.» [Público]
   
Parecer:

O que Passos quer é substituir o parlamento pelas Teodoras Cardoso. Ao criar estas comissões Passos põe ideólogos da dirieta a governar de forma indireta, é o que sucede com Teodora Cardoso que parece ser uma ministra das Finanças na sombra e só não manda porque Centeno a ignora.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Mande-se o senhor bugiar.»

 Recordar os deveres de Passos? Só fora do Parlamento
   
«O tribunal condenou, esta quinta-feira, a ativista Ana Nicolau a seis meses de prisão que será substituída por uma multa de 1.440 euros.

Ana Nicolau, dos Precários Inflexíveis, foi julgada pelo crime de perturbação de funcionamento de órgão constitucional.

Os factos de que é acusada remontam a 11 de março de 2015 quando no plenário da Assembleia da República a arguida interrompeu a intervenção do então primeiro-ministro Pedro Passos Coelho pedindo que se demitisse devido às dívidas que este tinha acumulado à Segurança Social entre 1999 e 2004.

Na leitura da sentença, o juiz do Tribunal de Instância Central destacou que Ana Nicolau é uma cidadã empenhada e que devia ser elogiada por isso, já que “há falta dessas pessoas”.

“Agora o que a sociedade não pode permitir é que essa atuação se faça dentro da Assembleia da República”, acrescentou.» [Observador]
   
Parecer:

Imaginem que a mesma sentença tivesse ocorrido devido a uma manifestação no tempo de Sócrates. Mas já com Passos e os seus deputados a regras é clara, quem se mete com eles leva, porque os deputados e presidentes do Parlamento do PSD não brincam.

Quanto à pena e se considerarmos o que vai por esses tribunais o mínimo que se pode dizer é que se trata de um exagero.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «mandem-se os "parabéns" à antiga presidente do parlamento.»

 A TAP manda
   
«A TAP espera que no Verão de 2018 já exista alguma estrutura temporária no Montijo, onde está a ser estudada a criação de um aeroporto de apoio à Portela. David Neeleman, accionista da companhia aérea, diz estar a fazer “muita pressão” para que o assunto se resolva “e que o Governo chegue a um entendimento com a Força Aérea”.

Em declarações aos jornalistas, à margem do congresso da Associação da Hotelaria de Portugal, David Neeleman exortou o executivo a resolver de uma vez o assunto. “Têm de se sentar à mesa e resolver isso logo, montar algo temporário para que possamos abrir, não neste Verão, mas no Verão que vem. Tem de ser algo aberto lá”, disse.

Neeleman voltou a criticar os custos no aeroporto de Lisboa. “A ANA já aumentou o nosso custo 20 vezes desde que o aeroporto foi privatizado. E é inacreditável ver que quanto mais o aeroporto cresce, mais aumenta o custo por passageiro. Cerca de 80% das pessoas que visitam Portugal vêm de avião e, por isso, precisamos de um aeroporto aberto, barato para trazer mais gente”, disse.» [Público]
   
Parecer:

Nem quando a TAP era inteiramente pública os seus responsáveis falavam desta forma. O aeroporto está nos limites ou é a TAP que quer "despachar" a concorrência para longe de Lisboa?
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se.»

blog comments powered by Disqus