quarta-feira, novembro 30, 2016

Umas no cravo e outras na ferradura




 Jumento do Dia

   
Sérgio Sousa Pinto, deputado do PS

Se não fossem as batalhas travadas pro Sérgio Sousa Pinto em defesa da democracia o que seria feito de nós...

«O deputado do PS e presidente da Comissão de Negócios Estrangeiros saiu da sala no momento de votação dos textos de pesar sobre a morte de Fidel Castro. Sérgio Sousa Pinto foi um dos vários deputados que não se associaram aos textos de homenagem e em declaração ao Expresso justificou: "Devo ao 25 de Abril ter crescido em liberdade e democracia. Não me vou prostrar em homenagem a um ditador que negou ao seu povo o que eu prezo acima de tudo".

No voto de pesar, o PS diz que Fidel Castro foi "uma figura de importância central na leitura do século XX" e cujo legado na história latino-americana e internacional, segundo os socialistas, "será certamente objeto de extensa análise historiográfica nas décadas vindouras e, tal como hoje já sucede, de intenso e apaixonado debate entre os que aderem ou se opõem ao seu percurso ideológico e político".» [Expresso]

 Coisa estranha

Sempre que aprece um tacho alguém sugere o Paulo Macedo, até prece que o homem é a mão atrás do arbusto para muitas destas notícias.

      
 Ser hackeado
   
«Quando recebi um mail da amazon-co.uk a dizer que eu tinha mudado o meu mail para outro esquisitíssimo cheio de pontos, pensei que estava a ser phishado. Reencaminhei o mail para o stop-spoofing@amazon.co.uk e enchi-me de satisfação.

Durou para aí dois segundos. Fui logo a correr para ver a minha conta Amazon. Não me deixava entrar. Fui copiar o mail do hacker e, por sorte, ele não tinha mudado a password. Vi logo que ele tinha encomendado um novo iPhone e escolhido um endereço duma empresa no Reino Unido que reenvia para Portugal compras feitas no Reino Unido.

Lê-se online que acontece muito. Vão à morada à espera que chegue a embalagem e roubam-no das mãos do funcionário da empresa de transportes. Outros, mais audazes, andam fardados e batem à porta dizendo que houve uma entrega errada para roubarem a encomenda.

Felizmente eu não tinha dinheiro no cartão para comprar uma capa para um telemóvel e muito menos um telemóvel. Cancelei o cartão e fui aos Amazons todos recuperar as minhas contas e mudar as passwords. Só lhes faltou ir ao Amazon japonês.

Foi assustador mas a lição saíu-me barata. O serviço de apoio da Amazon foi formidável. Aconselhou-me bem e ajudou-me. Os hackers gostam de esconder as encomendas: tem de se ir ver os hidden orders. Cuidado: há muitas histórias de terror com contas da Amazon. A conclusão a tirar é que é facíl hackear uma conta. Deve-se ter passwords diferentes e complicadas para cada site e mudá-las uma vez por mês. E estar atento. E ter muito medo.» [Público]
   
Autor:

Miguel Esteves Cardoso.

      
 Passos desorientado
   
«O líder do PSD exigiu segunda-feira explicações ao primeiro-ministro sobre a demissão da administração da Caixa Geral de Depósitos, sublinhando que será "puro desrespeito para com os portugueses" se António Costa insistir em nada dizer.

"Mas o primeiro-ministro acha que pode não dar uma explicação a Portugal e aos portugueses sobre o que se está a passar no maior banco público?", questionou o presidente social-democrata, Pedro Passos Coelho, numa intervenção no encerramento das "Jornadas Consolidação, Crescimento e Coesão", organizadas pelo partido a propósito do Orçamento do Estado para 2017.

Falando num hotel em Lisboa, Passos Coelho sublinhou que, por mais que custe a António Costa, o primeiro-ministro deve essa explicação e, caso insista em não a dar, "então já não se trata de uma questão nem de sobranceria, nem de uma questão de estilo, nem de habilidade, trata-se de puro desrespeito para com os portugueses".» [Expresso]
   
Parecer:

No dia da aprovação final do OE para 2017 seria de esperar que a principal preocupação do líder da oposição fosse esse mesmo OE. Até porque desta fez Passos Coelho fez um especial favor ao país, ao contrário do ano passado, em que fez de conta de que não houve OE; desta vez fez questão de apresentar muitas propostas, e até chegou a anunciar que ia fazer suas as propostas dos parceiros sociais.

Parece que se esqueceu da importância das suas propostas e das opiniões que ouviu dos parceiros sociais, o tema que mais o preocupa é a emissão do presidente da CGD, uma demissão que em grande parte se deve à peixerada que o presidente do PSD promoveu.

O desespero está levando Passos de asneira em asneira e por este andar o PSD vai passar um mau bocado.
   
Despacho do Diretor-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»
  
 A propósito de democracias e de ditadores
   
«Apesar disso, Donald Trump não perdeu tempo e agarrou-se mais uma vez ao Twitter para disparar uma série de acusações à sua adversária, acusando-a de hipocrisia ao participar na recontagem depois de ter concedido a derrota – e depois de se ter mostrado indignada quando Trump disse, no final da campanha, que não sabia se iria aceitar os resultados.

Mas foi ainda mais longe – no meio de uma série de 13 mensagens no Twitter sobre o assunto, em que acusou os Verdes de quererem "encher os cofres" com o dinheiro angariado para a recontagem e o Partido Democrata de estar a dar o dito por não dito, Trump afirmou que houve "uma grave fraude eleitoral na Virginia, no New Hamphire e na Califórnia", e perguntou por que é que os jornalistas não estão a falar sobre isso.» [Público]
   
Parecer:

Há quem diga que os EUA são u modelo de virtudes democráticas.
   
Despacho do Diretor-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»

 A culpa é dos soldados
   
«Os cinco militares a quem foram diagnosticadas patologias graves no Hospital das Forças Armadas (HFAR) incorrem em processos disciplinares se tiverem omitido essa informação aquando dos exames para o curso de Comandos, informou o Exército.

O porta-voz do ramo, tenente-coronel Vicente Pereira, disse esta terça-feira ao DN que os inquéritos em curso vão permitir saber se aqueles cinco instruendos assumiram - na declaração que assinaram - desconhecer as doenças que lhes tinham sido detetadas no HFAR e cujos dados estão abrangidos pela confidencialidade da relação médico-doente.» [DN]
   
Parecer:

Há aqui qualquer coisa de errado, o Exército ignora os resultados que ele próprio faz com os seus hospitais e depois acus dos instruendos de esconder esses mesmos resultados? É óbvio que os instruendos poderão ter algum responsabilidade, mas não haverá irresponsabilidade por parte d instituição que ignora ou desconhece os resultados dos exames que manda fazer?
   
Despacho do Diretor-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»
blog comments powered by Disqus