sábado, dezembro 10, 2016

Umas no cravo e outras na ferradura




 Jumento do Dia

   
Vieria da Silva, ministro do Trabalho Solidariedade e Segurança Social

O ministro não esclareceu se em 2016 houve cidadãos sem recursos que devido ás suas opções políticas ficaram em situação de carência alimentar.

«O ministro do Trabalho Solidariedade e Segurança Social garantiu hoje que Portugal não vai perder qualquer verba do Fundo Europeu de Auxílio às Pessoas Mais Carenciadas (FEAC), apesar de este ano não ter sido distribuída ajuda alimentar no âmbito deste programa.

Vieira da Silva, que falava à margem da conferência "O combate à fraude e à corrupção", que decorre em Lisboa, acrescentou que em 2016 o programa não esteve no terreno por ter sido necessário o Governo alterar o modelo de financiamento, já que o modelo de programa tinha terminado em 2013.

"Em 2014 e 2015 [o programa] pôde funcionar sob regras que eram próprias e um pouco mais ligeiras do que as do modelo anterior, que durou até 2013, sendo que a partir daí para ter acesso a esses fundos foi necessário construir um novo modelo, mais exigente, com um sistema de informação mais exigente que pudesse acompanhar desde a compra do alimento até ao beneficiário final", referiu.» [DN]

      
 Azar de Passos
   
«A primeira fase do processo de recapitalização da Caixa Geral de Depósitos já recebeu a luz verde do Banco Central Europeu e do Banco de Portugal e passa pela redução do capital social para cobertura de prejuízos, seguida de um aumento de capital.

Esta operação designada harmónio tem como objetivo a cobertura dos prejuízos acumulados do passado. O dinheiro fresco do Estado só vai entrar na Caixa em 2017 depois de fechadas as contas deste ano que vão reconhecer já as imparidades (perdas) adicionais na carteira de crédito, participações e imóveis.

Este primeiro aumento de capital é concretizado através da transmissão para o banco do Estado de 490 milhões de ações da Parcaixa e da conversão em capital de instrumentos de dívida subscritos pelo Estado (CoCos) com um valor nominal de 900 milhões de euros.» [Observador]
   
Parecer:

Andou a lançar dúvidas sobre a recapitalização da CGD, insinuando que não tinha sido adporvada. Passos anda com azar.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se conhecimento ao exilado.»
  
 Marcelo esclarece
   
«Marcelo Rebelo de Sousa defendeu, nesta sexta-feira, que discutir a renegociação da dívida é "completamente prematuro". O Presidente da República sublinha que "estar a especular sobre cenários europeus, num ano em que vai haver eleições em várias das economias fundadoras da União Europeia (até praticamente daqui a um ano), sobre o que será a Europa e fazer um debate sobre a matéria da dívida é completamente prematuro e não faz sentido". 

O Presidente da República desvalorizou os números das exportações, que apontam para uma queda de 3,5% em Outubro e garantiu que tem "um feeling" de que vão voltar a crescer em Novembro. "Veremos se o feeling se confirma. É uma convicção que tenho de que as exportações, nomeadamente para fora da Europa, possam crescer muito em Novembro. Se for assim, ficamos todos mais felizes", disse.» [Públco]
   
Parecer:

Tudo muito bem explicadinho,
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se conhecimento à Catarina.»

 Rei morto, rei posto
   
«Aos 62 anos, José Maria Ricciardi está de saída do Haitong Bank, apurou o PÚBLICO junto de fonte do sector financeiro. Uma informação que acabou por ser confirmada oficialmente a meio da manhã desta sexta-feira. 

Tudo indica que o accionista chinês do Haitong Bank deverá, nas próximas semanas, anunciar várias alterações nos órgãos sociais da instituição, que é hoje liderada por Hiroki Miyazato, o chairman, e por José Maria Ricciardi, o principal executivo. É o que se percebe das movimentações que decorreram nas últimas semanas, uma vez que o mandato de Ricciardi como número um do banco de investimento termina já este mês. E o Haitong Bank já deu sinais de até final de Dezembro pretender apresentar às autoridades portuguesas a composição da nova gestão.  

Os motivos que podem estar por detrás da não recondução de Ricciardi e de alguns dos actuais gestores não são conhecidos. E também está por esclarecer se houve conversas com o supervisor financeiro.  » [Público]
   
Parecer:

Parece quie o último Espírito Santo não vai resistir à queda do seu amigo de Massamá.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Aguarde-se para ver.»

blog comments powered by Disqus