sexta-feira, dezembro 16, 2016

Umas no cravo e outras na ferradura




 Jumento do Dia

   
Passos Coelho

Passos Coelho está com sentido de humor, mas esqueceu-se de dizer para que cargo o governo devia convidar uma das vedetas do PSD no sector da saúde, um tal Cunha Ribeiro.

«“Muita conversa, muita propaganda, que afinal iria haver recursos, que iam contratar tudo o que era preciso, que não ia faltar nada, nós é que andávamos a desmantelar o Serviço Nacional de Saúde (SNS). Já chamaram o ex-ministro que estava a desmantelar o SNS para tratar da Caixa Geral de Depósitos, ainda não nomearam o Nuno Crato para coisa nenhuma, ainda não chegaram lá”, ironizou Pedro Passos Coelho.

O líder do PSD, que falava em Fronteira, no distrito de Portalegre, durante o jantar de Natal da Comissão Política Distrital de Portalegre do PSD, criticou o Governo pelas dívidas existentes no setor da saúde, defendendo que os pagamentos devem ser feitos “a tempo e horas”.» [Expresso]

      
 O destino tem destas coisas...
   
«O veterinário Luciano Ponzetto, que no ano passado provocou a fúria dos defensores dos animais nas redes sociais, morreu durante uma caçada nos arredores de Turim. O italiano ficou conhecido por publicar uma fotografia sua ao lado de um leão morto, que ele próprio tinha caçado.

Segundo a imprensa italiana, Luciano Ponzetto morreu enquanto andava à caça de pássaros selvagens, no sábado, ao escorregar numa camada fina de gelo. O veterinário caiu de um penhasco a mais de 30 metros de altura.» [Público]
   
Parecer:

Salvaram-se os pássaros.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamente-se.»
  
 Passos candidato a Lisboa
   
«O nome do líder do PSD, Pedro Passos Coelho, começa a ser cada vez mais falado à boca pequena entre militantes do concelho de Lisboa como “o mais bem colocado para enfrentar o desafio de uma candidatura à câmara da capital”.

Uma fonte do PSD de Lisboa, que pediu para não ser identificada, assegurou ao i que esse sentimento “está a crescer entre os militantes sociais-democratas do concelho”, depois da recusa de Pedro Santana Lopes em avançar para uma candidatura a Lisboa.

“Desde a saída de cena de Pedro Santana Lopes – sem dúvida, o nome mais forte para roubar a câmara aos socialistas –, o PSD ficou assim como que órfão daquela que seria a solução mais desejada para a capital. Entre os militantes começou então a surgir, dentro de uma lógica de que só a vitória interessa, o nome do líder do partido. Só ele tem condições para chegar, ver e vencer”, adiantou.» [i]
   
Parecer:

Terá coragem?
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Espere-se para ver.»

blog comments powered by Disqus