sábado, dezembro 31, 2016

Umas no cravo e outras na ferradura




 Jumento do Dia

   
António Domingues

parece qe António Domingues não considera apenas que ele está acima das exigências que a lei coloca aos gestores públicos, também acha que a gestão da Caixa está acima dos interesses financeiros e orçamentais do país, considerando que os poderes de um presidente do banco estão acima dos do ministro das Finanças. Lamentável.

Pela forma pouco elegante como se aproveita de uma despdida dos funcionários que mal conheceu talvez tenha sido melhor que Domingues não tenha ficado á frente da CGD.  Um dia destes poderia querer mandar na Caixa e no país.

«António Domingues, que renunciou à liderança da Caixa Geral de Depósitos (CGD), acusa o Governo da derrapagem na calendarização do processo de capitalização do banco, cujo arranque está agora previsto para 4 de Janeiro. O presidente demissionário afirma ainda que cumpriu os prazos na entrega do plano de capitalização elaborado pela sua administração, mas que o calendário final da injecção de capital “resulta de decisão accionista”.

“O plano de capitalização da CGD e o Plano Estratégico, construído pelas equipas da CGD, apresentado e negociado com o accionista e com as autoridades europeias, são os produtos visíveis de um programa de trabalho muito intenso que nos ocupou nos últimos meses, com vista a criar as condições para o crescimento sustentado da Caixa Geral de Depósitos”, pode ler-se no documento a que o PÚBLICO teve acesso.

O Governo guardou para 2017 toda a recapitalização necessária da Caixa Geral de Depósitos com o propósito de salvaguardar o défice orçamental previsto, tendo já o executivo português tido a aprovação para tal do Banco Central Europeu (BCE). "Cumprimos com os objectivos, a capitalização da empresa fora das ajudas de Estado, e com os prazos definidos. O calendário final da capitalização resulta de decisão accionista", refere o presidente demissionário na carta.» [Público]

blog comments powered by Disqus