quinta-feira, novembro 19, 2015

Umas no cravo e outras na ferradura

 Jumento do dia
    
Hugo Soares

Sempre que o PSD quer que se digam algumas alarvidadces costuma escolher Hugo Soares para o fazer. Como perderam as eleições e estão em minoria no parlamento tentam agora desvalorizar a democracia e falar de excesso de parlamentarização, como se tal fosse possível ou mesmo negativo. As competências de todos os órgãos de soberania estão claramente definidas, pelo que falar de excessos é ridículo e próprio de quem é ridículo.

Ainda por cima se há algum excesso neste momento é de presidencialização.

«"O diploma, sobretudo o do PS, onde queria colocar o foco, não reporta nada à concertação social. Temos assistido, no momento político que Portugal atravessa, a uma lógica excessiva de parlamentarizar a vida política. Parece também que o PS quer substituir a concertação social pelo parlamento, tirando aquilo de bom que tem, que é o diálogo entre todos os parceiros sociais em questões tão relevantes", afirmou, à saída da conferência de líderes, no parlamento.» [Notícias ao Minuto]

 Cavaco em campanha


 photo _Cavaco-banana_zpsmws7ku4v.jpg

Inspirado nos argumentos do representante das empresas familiares Caco foi para a Madeira retomar a campanha eleitoral no ponto em que a deixou no início da campanha das legislativas onde, apesar da sua ajuda a direita foi derrotada pela esquerda, perdendo a maioria parlamentar ainda que por uma questão de geometria política o maior partido da direita seja maior do que o maior partido da esquerda.
  
Cavaco sabe que o tempo corre contra a direita e como sempre o fez alinha com a estratégia politica de Passos Coelho, manter a direita unida em torno de Passos e de Portas, promovendo um ambiente de crise política permanente para forçar a realização de eleições antecipadas. Como não o pode fazer Cavaco adia o mais possível as soluções para condicionar o próximo presidente e para ajudar Passos e Portas a condicionar Marcelo Rebelo de Sousa.
  
Cavaco aproveitou o facto de se sentir em território libertado da direita para fazer um comício muito idêntico aos que Maria Luís fez em Setúbal, usando argumentos falsos e irresponsáveis, falando em almofadas que não existem. O mesmo presidente que para forçar Sócrates a pedir ajuda internacional, agora que Portugal tem uma dívida galopante e vive de balões de oxigénio do BCE já sugere que nos borrifemos nos mercados porque temos dinheiro emprestado a juros para brincar às crises.
  
Este é o mesmo Cavaco que na campanha para as residências dizia querer ajudar o país com os seus conhecimentos de economia?
  
Um bom exemplo da sua ajuda foi o que em campanha deu a Passos Coelho manifestando alegria pelo reembolso da sobretaxa, confirmando que o seu gabinete já esperava por esse sucesso de Paulo Portas, o que só pode ser mentira pois em momento algum existiram condições para o reembolso da sobretaxa. Ou o seu gabinete lhe mentiu ou Cavaco mentiu ao país, os dados que permitiam inventar o reembolso da sobretaxa não passaram de uma patranha contabilística montada pelo governo.
  
Porque e que quando saíram os dados da execução orçamental no mês assado e as expectativas no reembolso da sobretaxa caíram de forma abrupta Cavaco ficou calado? Será que o seu gabinete já em estudos sobre o que vai suceder ao reembolso da sobretaxa a divulgar com a execução orçamental nos próximos dias, muito provavelmente no domingo para que ninguém dê por isso?
  
Cavaco deixou de ser presidente, evitou um fim de mandato menos digno assumindo ainda em Belém o estatuto de líder da oposição a um possível governo do PS. A única dúvida que subsiste é se neste momento é Passos que dá instruções a Cavaco ou se é Cavaco que dá instruções a Passos. No temo de Soares dizia-se que Cavaco primeiro-ministro queria ser presidente e o Soares presidente queria ser primeiro-ministro. Agora e mais grave, temos um Passos armado em primeiro-ministro e um Cavaco armado em líder da oposição a um governo que ainda só existe nos seus pesadelos.

 A hipocrisia ocidental

Os serviços de segurança dos EUA conseguem escutar a senhora Merkel, os satélites americanos conseguem saber a maca do relógio de Putin, mas não conseguem saber que países fornecem os carros às centenas, os países que compram o petróleo ao ISIS ou os países irmãos do ISIS que lhes dão os recursos financeiros para contratar dezenas de milhares de mercenários?

O terrorismo tem um ódio de morte a Israel mas ninguém consegue ouvir do ISIS a mais pequena referência àquele país, os terroristas não atacam nos Montes Golan, território sírio ocupado por Israel, e apesar de estarem em força na península do Sinai não há qualquer registo de incidentes entre terroristas e israelitas nas fronteiras com Israel?

Os terroristas usaram livremente o território da Turquia para entrarem e saírem às dezenas de milhar, atravessando um Estado policial e fortemente militarizado e o governo turco nada tem que ver com o assunto? Durante anos a Turquia não deixou os sírios fugir para o seu território, nem mesmo quando estavam a ser chacinados pelo ISIS e em poucos meses de 2015 centenas de milhares de refugiados atravessa tranquilamente a Turquia para se dirigirem para a costa próxima das ilhas turcas? E logo de seguida a senhora Merkel vai à Turquia prometer o ingresso deste aliado duvidoso na UE?

Será boa ideia bombardear a Síria, a melhor forma de atingir o ISIS não seria bombardear a Mossad, Riade ou Istambul?


 Conforto, diz ele

 photo _conforto_zpsfqjyzeml.jpg

Agora são os eleitores da direita que precisam de ser conforto, não é nem o Passos nem os ministros do CDS que estão tentando sobreviver à derrota da direita nas eleições.

 Cavaco recebe os economistas

Depois vai receber os ferreiros, os correeiros, os ferradores, os electricistas, os estivadores, os pantomineiros, os calceteiros, os cauteleiros, os enfermeiros, os engenheiros, os tanoeiros, os pescadores, os cabos-de-mar e todos os outros que estejam disponíveis para dizerem umas baboseiras à saída.
  
 Banqueiros dizem que Portugal tem de respeitar compromissos

Pois, os nossos banqueiros são uns cumpridores exemplares, que o digam o Ricardo Salgado, o Dias Loureiro, o Oliveira e Costa e o Jardim Gonçalves, tudo gente cumpridora e apegada ao cumprimento da lei aos quais Portugal muito deve, sem o seu contributo Portugal não teria saído da crise financeira.
  
      
 Os outros escaparam-se
   
«Miguel Macedo foi ontem formalmente acusado pelos crimes de prevaricação e tráfico de influência nos processos de vistos gold. Porém, refere o Público a acusação não deixa imune vários outros elementos do anterior Governo.

Falamos de Paulo Núncio, secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Rui Machete, secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e José Cesário, secretário de Estado das Comunidades, que terão ajudado a favorecer pessoas próximas de Macedo.

Paulo Núncio terá aceitado reunir-se com os responsáveis da empresa ILS, a qual terá trazido para Portugal vários cidadãos líbios, vítimas de guerra, sem ter que pagar os 23% de IVA relativos a dois contratos de saúde realizados com o Ministério da Saúde líbio.» [Notícias ao Minuto]

«Depois de confrontada com o pedido de reembolso do IVA, numa primeira fase, a Autoridade Tributária considerou que a sociedade gerida por Paulo Castro (acusado de dois crimes de tráfico de influências) não teria direito a tal. A instrutora do processo fiscal socorreu-se até de um parecer de uma professora universitária. Posteriormente, o entendimento mudou com base em documentos que o Ministério Público suspeita serem falsos.

Segundo a acusação do Departamento Central de Investigação e Ação Penal, o antigo ministro da Administração Interna foi contactado pelo seu amigo e ex-sócio Jaime Gomes (também acusado por quatro crimes, desde corrupção passiva a tráfico de influências) para resolver o problema da ILS. Ao mesmo tempo, Jaime Gomes terá rece- bido dinheiro pelas diligências junto de Miguel Macedo.

"Miguel Macedo aderiu a tal acordo, cujos contornos conhecia, e entre meados de fevereiro e abril de 2014 contactou o secretário de Estado Paulo Núncio, a fim de que este recebesse em audiência Paulo Castro, de molde a atender às suas pretensões, ainda que na falta de elementos comprovativos de tal qualidade", isto é, de documentos que atestassem um número de contribuinte de sujeito passivo do Ministério da Saúde da Líbia, com a ILS fez o contrato, refere a acusação do Ministério Público, que ontem foi entregue aos arguidos dos vistos gold.

O despacho de quatro procuradores do DCIAP descreve, em seguida, várias etapas do processo que correu nos serviços da Autoridade Tributária, após a reunião entre Paulo Castro e o secretário de Estado, que terá, inclusivamente, nomeado um elemento do seu gabinete, Jorge Tracana, para acompanhar pessoalmente o processo. No final, a ILS, segundo contas do Ministério Público, não pagou 1,8 milhões de euros em IVA. O DN tentou, por diversas vezes, contactar Paulo Núncio, mas não obteve resposta.» [DN]
   
Parecer:

Parece que isto dos vistos foi um regabofe, se calhar e por isso que Paulo Portas nunca mais falou do tema.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se a Paulo Portas se não meteu nenhuma cunha.»
  
  Parece que a Rússia já acerta no ISIS
   
«Intensificar e coordenar. As duas palavras repetem-se na boca dos dirigentes que prometem retaliar “sem piedade” contra os ataques reivindicados pelo Estado Islâmico – os de sexta-feira em Paris que fizeram 129 mortos e também, confirma agora Moscovo, o derrube do avião russo que se despenhou na Península do Sinai, matando 224 pessoas. A ameaça concretiza-se, para já, em Raqqa, a cidade a que os jihadistas chamam capital, bombardeada repetidas vezes nas últimas horas pelas forças da Rússia e da França, países que dizem agora querer cooperar na luta contra o inimigo comum.

Pela segunda noite consecutiva, os Mirage descolaram segunda-feira à noite da Jordânia e os Rafale voaram das suas bases nos Emirados Árabes Unidos para atacar de novo um centro de comando e de treino dos jihadistas naquela cidade do Nordeste da Síria. As 16 bombas largadas “atingiram e destruíram em simultâneo” os alvos que o comandante da operação militar francesa disse estarem a ser vigiados “há várias semanas”, em colaboração com os militares norte-americanos. “Estamos agora a intensificar a nossa luta, nos últimos dias estamos a atacar, mas este é um trabalho que está a ser feito há meses”, garantiu à AFP o contra-almirante Antoine Beaussant, que coordena a ofensiva francesa na Síria e no Iraque.

Os militares franceses e depois os americanos revelaram que também a aviação russa estava a “atacar em força” o bastião dos jihadistas – uma informação que o Kremlin confirmou durante a tarde, horas depois de os serviços secretos russos terem anunciado que “uma bomba artesanal” explodiu a bordo do avião da companhia Metrojet que se despenhou a 31 de Outubro.

Durante uma visita ao Ministério da Defesa, o Presidente Vladimir Putin foi informado, perante as câmaras de televisão, que as forças russas estavam já a cumprir as suas ordens para intensificar o combate aos jihadistas, tendo disparado 34 mísseis de cruzeiro e usado bombardeiros de longo alcance para atacar a organização, em Raqqa, mas também Alepo e Idlib (Norte). A missão russa, que nos 48 dias que já leva de operações na Síria efectuou 2300 saídas, vai ser reforçada com 37 novos aviões, que se somam às 50 aeronaves já destacadas para o país.» [Público]
   
Parecer:

No princípio a diplomacia ocidental tentou fazer passar a ideia de que a Rússia não estaria a atacar o ISIS.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»

 Durão Barroso candidato presidencial
   
«José Manuel Durão Barroso diz haver razões para estar preocupado com a situação em Portugal. Falando como quem assume que o próximo governo será mesmo encabeçado pelo PS, o antigo presidente da Comissão Europeia convida quem ainda não leu os documentos assinados entre os quatro partidos de esquerda para a formação de governo a fazê-lo. “Se eles são sinceros, estamos preocupados.”

As declarações foram feitas durante uma conferência em Lisboa, em que Barroso interveio primeiro num discurso (em português), depois respondendo a pergunta numa mesa redonda (em inglês, ao lado de Herman van Rompuy, Joaquin Almunia e Sven Smit). Eis o resumo das declarações, em seis pontos.» [Expresso]
   
Parecer:

Este nervosismo repentino de Durão Barroso cheira a candidatura presidencial.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Espere-se para ver.»

 Que a terra lhe seja leve
   
«A polícia francesa abateu nesta quarta-feira o alegado cérebro dos atentados de Paris, o belga Abdelhamid Abaaoud. A notícia era avançada pelo diário norte-americano Washington Post momentos antes de o procurador de Paris, François Mollins, anunciar oficialmente os resultados do raide a Saint-Denis. 

As operações desta quarta-feira seguiam indícios de que Abaaoud estava abrigado em Saint-Denis, apesar de até agora ele ser dado na Síria. A polícia entrou durante a madrugada numa pesada troca de tiros com os residentes e presumíveis jihadistas no edifício suspeito, que respondiam aos disparos das autoridades com balas de espingarda automática. O raide já durava há vários minutos quando uma mulher no interior da casa accionou o cinto de explosivos que vestia. A intervenção terminou ao cabo de sete horas e meia, com a morte de um homem barricado.» [Público]
   
Parecer:

A verdade é que é muito provável que a sua saída da Síria tenha contado com a colaboração da Turquia.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Espere-se para ver.»


   
   
 photo Greta-Tu-4_zpssim8159i.jpg

 photo Greta-Tu-1_zpsw5gglhmc.jpg

 photo Greta-Tu-2_zpsbvzxwauo.jpg

 photo Greta-Tu-3_zpsftlapjb6.jpg

 photo Greta-Tu-5_zpso6ykldhi.jpg
  
blog comments powered by Disqus