quarta-feira, novembro 04, 2015

Umas no cravo e outras na ferradura


  
 Jumento do dia
    
Calvão da Silva

Ser Jumento do Dia por dois dias seguidos sendo membro de um governo com um contrato de duas semanas é obra, só mesmo aluém que só ia virtudes em Ricardo Salgado é que conseguiria tal distinção. Num dia foi pregar o Evangelho para o Algarve, no outro fica-se a saber que desde pequenino que tem o sonho de passar revista às tropas em parada. É uma pena que este governo vá cair ainda antes de se levantar pois este ministro prometia tempos ainda mais divertidos do que os de Pedro Santana Lopes.

«Conhecer as capacidades operacionais da GNR e da PSP e visitar os respetivos quartéis-generais. É o objetivo do ministro da Administração Interna, Calvão da Silva, o qual, apesar de estar a prazo muito curto no governo, deu ordens para que estas forças de segurança lhe preparassem uma cerimónia oficial de boas vindas. E tem que ser ainda esta semana, antes do governo cair.

No comando-geral da GNR e na direção nacional da PSP a vontade do ministro foi recebida com um irónico "apreço" e os preparativos já começaram. "Nunca nenhum ministro nos visitou tão depressa, depois da tomada de posse", confirmou ao DN fonte de uma das instituições. As datas estão a ser acertadas entre gabinetes.» [DN]

 Golpismo parlamentar?

 photo _golpismo_zpsyfzgziae.jpg

A raiva esta levando a maralha do Observador ao desespero e falta de lucidez, até já falam de guerra civil e agora designam uma maioria parlamentar como "golpismo parlamentar". Compreende-se, depois da sensação de trabalho feito o Observador acabou por ser um fiasco do pessoal do Compromisso Portugal.

«Vivemos há um mês no país dos cenários. Subitamente, tudo se tornou possível. Pela primeira vez, a democracia portuguesa pode ser governada por quem perdeu as eleições. Para chegarem ao poder, os derrotados de 4 de Outubro prestaram-se à mais extraordinária ginástica: António Costa esqueceu o seu precioso plano Centeno, o BE rifou a  intransigente oposição ao Tratado Orçamental, e o PCP pôs no sótão a sua implacável campanha contra o euro – em conjunto, renegaram todas as propostas e bandeiras com que pediram votos e convenceram os eleitores. Quem votou no PS porque era um “partido do centro”, vê-o agora a perfilhar as bolas que o BE e o PCP lhe atiram; quem votou no BE e no PCP porque eram “contra tudo”, vê-os agora a aceitar tudo. O poder corrompe, e o poder de uma maioria parlamentar forjada no desespero e no cinismo da derrota, corrompe muito mais. » [Observador]

É uma pena que o Rui Ramos não repare que o inventor dos cenários foi Cavaco Silva e que não foi só a esquerda que mudou de posições, o Portas que acusava Costa de tentar salvar-se ofereceu-lhe o seu lugar de número dois na coligação e Passos que dizia que era o que faltava ter de governar com o PS aparece agora com um programa de governo onde foi buscar medidas ao programa do PS, as mesmas medidas que exigiu que fossem avaliadas pela Teodora Cardoso.

 photo _roto_zps1p42owzu.jpg

Não se percebe tanta preocupação com um governo do PS e muito menos os que interpretam os votos dos eleitores do PS, sejam os comentadores e dirigentes da direita ou mesmo o pessoal do Assis, afinal o próprio PSD está elaborando um programa inspirado no programa do PS, mais um pouco e iam perguntar à Catarina Martins e ao Jerónimo de Sousa  que tinham acordado com António Costa para acrescentarem ao programa.

 O mundo está roto

Vai reunir à volta de leitão assado todos os que se queixam de não ter seguro

 Sócrates vai à terra de Passos Coelho

Anda, anda e ainda vai dar uma conferência em Boliqueime ou mesmo em Mação.
  
 Desta vez o PSD não atribuiu a culpa à autarquia

 photo _Albufeira_zpsy0wenjzn.jpg

Se o autarca fosse o António Costa....
  
      
 Professor Calvão, o novo ídolo das audiências
   
«As prédicas semanais dos professores de Direito são como a natureza, têm horror ao vazio. Parte um de Lisboa para uma viagem que pretende ser de cinco anos e logo lhe rouba o lugar um professor de Coimbra, já em viagem por dez dias. Falemos deste, Calvão da Silva, menos conhecido e mais afoito. Não faz comentários em estúdio, vai para as ruas encharcadas. Fala para todas as câmaras, não só as da TVI mas também a de Albufeira. O novo comunicador de cátedra continua a falar de política mas com estilo mais canónico. Não fala ao domingo, dia santo, mas à segunda. Ontem, no Algarve, foi o primeiro programa, com recordes de share. Só se falou do que ele falou. O agora ídolo das audiências disse que o governo "entregou-se a Deus e Deus com certeza lhe reserva um lugar adequado". A linguagem é sibilina mas, como ele falava em Boliqueime, percebeu-se que Cavaco reserva um lugar para Passos, talvez num governo de gestão. Professor Calvão, como já é conhecido, falou ainda na oposição de esquerda, que ameaça encharcar o país: "A fúria demoníaca, embora os ingleses digam um ato de Deus, an act of God..." Esta alusão ao Partido Trabalhista mostra que não se vão descurar as questões internacionais. De notar ainda que o professor Calvão, sempre sibilino, referiu um nome: "Seguro." Dirigindo-se "a quem não tem Seguro", aconselhou: "É bom reservar sempre um bocadinho para no futuro ter Seguro." Ele próprio, porém, só tem contrato até para a semana.» [DN]
   
Autor:

Ferreira Fernandes.

      
 A reunião do leitão assado
   
«Os opositores de António Costa, apesar de estarem em minoria nos órgãos do partido e no próprio grupo parlamentar, acreditam que “representam metade do eleitorado do PS”. “Metade do eleitorado socialista está assustado com a deriva que o partido está a seguir e isto que nós estamos a fazer comparado com o que os apoiantes do actual secretário-geral fizeram à anterior direcção não é nada”, afirma fonte socialista, agitando com o risco de o PS guinar completamente à esquerda. “O partido corre o risco da 'pasokização' e 'syrização'. Há aqui uma deriva à esquerda e isso é muito perigoso”, adverte a mesma fonte, considerando que o partido “deve ter uma reserva, evitando pôr as fichas todas em António Costa” numa próxima disputa da liderança.



A realização deste encontro está a deixar o aparelho do partido nervoso. A mobilização está a ser grande e são esperados militantes de todo o país. A organização conta com a presença de aproximadamente duas centenas de pessoas, entre militantes de base, ex-dirigentes do partido e presidentes de câmara. Poucos deputados devem marcar presença. Eurico Brilhante Dias, que integrou o secretariado nacional do anterior secretário-geral, António José Seguro, deverá ser um dos poucos deputados a deslocar-se à Mealhada, o mesmo acontecendo com os líderes das distritais do partido, até porque alguns deles foram eleitos deputados.» [Público]
   
Parecer:

Depois de ter ficado famoso porque no meio de um desaguisado em Felgueiras terem tentado dar-lhe um par de galhetas e agora que estava confortavelmente emigrado em Estrasburgo com direito a aluns abonos pela comunicação social portuguesa eis que Francisco Assis decidiu "descer o elevador" e promover uma almoçarada de leitã na Mealada, uma quebra na tradição tuga pois o habitual nestas circunstâncias costuma ser o lombo assado. Temos portanto um Assis promovido a Assis dos Leitões, enfim, com o devido respeito pelos seus acompanhantes que, como é óbvio, não são responsáveis pelo apelido.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «»
  
 Este procurador é um descobridor maior do que o Colombo
   
«Antes de receber a carta rogatória das autoridades brasileiras a solicitar ajuda na investigação do caso Lava Jato, o Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) já tinha detetado movimentos suspeitos superiores a dois milhões de euros entre diversas sociedades offshore relacionados com o caso que está a abalar o Brasil. Estão em causa, ao que o Observador apurou, os crimes de corrupção ativa, fraude fiscal qualificada e branqueamento de capitais. No centro do circuito financeiro detetado estará o Grupo Odebrecht.

Tudo terá começado com a Operação Monte Branco. Diversos responsáveis da Bento Pedroso Construções (empresa detida pelo Grupo Odebrecht desde 1988 e que mudou o nome em 2013 para Odebrecht Portugal) foram identificados como clientes da rede de lavagem de dinheiro que está na origem daquele processo Estão indiciados pelos crimes de fraude fiscal e de branqueamento de capitais por terem recebido somas muito significativas a partir de contas bancárias localizadas em paraísos fiscais utilizados de forma corrente, segundo o DCIAP, pelo Grupo Odebercht, fixados em Antígua e Barracuda, no mar das Caraíbas.» [Observador]
   
Parecer:

O homem já descobriu mais operações de corrupção no Caso marquês do que o MP em toda a sua história. O homem merece uma estátua em Lisboa, como merece que se diga "grande leão" talvez pudesse substituir o leão do Marquês de Pombal, em Lisboa.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Faça-se a proposta e pergunte-se ao Bruno de Carvalho se o quer para exibir antes dos jogos de Alvalade enquanto o senhor não puder ser instalado na rotunda.»

   
   
 photo VitoSaol-2_zpsrvutlmy3.jpg

 photo VitoSaol-4_zpsym8z255x.jpg

 photo VitoSaol-1_zpsctrkcj8y.jpg

 photo VitoSaol-3_zpsndwclen5.jpg

 photo VitoSaol-5_zpsqqpvqnzs.jpg
  
blog comments powered by Disqus