segunda-feira, janeiro 11, 2016

Deus me livre de votar na Maria em Belém!

 photo _belem_zps5jbnnfb4.jpg

Maria de Belém é uma espécie de concentrado de tudo o que não gosto de ver num político e vejo nela uma perversidade tão forte que nunca votarei nela independentemente de alternativa ser um candidato da direita, até porque a ex-presidente do PS está bem mais à direita do que aquilo que costuma ser o seu partido. Entre ela e Marcelo as diferenças estão mais nos valores pessoais do que nas opções políticas e tanto num plano como no outro e como estou perante dois bons cristãos limito-me a dizer que venha o Diabo e escolha.

Maria de Belém é a lebre lançada pela direita nestas eleições presidenciais, uma candidatura que surge num momento crucial da campanha das legislativas e lançada de uma forma que, no mínimo, se pode dizer ter sido original. Toda a gente sabe que Maria de Belém nem une a esquerda, nem convence a direita e que numa segunda volta a diferença entre ela e Marcelo Rebelo de Sousa está mais na forma de cozinhar o sapo. 
  
Estou farto de ver Maria de Belém referir os cargos que exerceu, mas não me recordo de a ver mostrar a obra que fez no desempenho desses cargos, na Saúde não deixou grande coisa e na igualdade ficou tudo na mesma. Acho execrável ver uma candidata que foi presidente do PS aparecer a dizer que a Constituição é o seu programa para dez minutos depois afirmar que, afinal, o seu programa é a doutrina social da Igreja.
  
De uma ex-presidente do PS esperar-se-ia uma campanha de afirmação dos valores do seu partido e elevação no debate, mas nem aqui a candidata me surpreendeu. Os debates em que participou mostraram uma candidata cheia de truques na manga, que não hesitou em usar declarações antigas sobre um ministro falecido recentemente para desprestigiar o seu adversário. Na rua a sua campanha é igual a que seria a campanha da Assunção Cristas, muitas visitas a velhinhos acompanhadas de gente desse imenso polvo que se designa por economia social. Irrita-me ver esta senhora a lvar banhos de velhinhos arregimentados pelos "Milícias" desse imenso negócio dos velhinhos, das criancinhas e dos pobrezinhos.
  
Se Marcelo anda a tentar votos na esquerda a candidata de José Seguro tenta os votos da direita, mas fá-lo de uma forma absolutamente ridícula, tenta fazer passar a mensagem de que o PS está a direita. Neste ponto ela tem razão, o seu PS, o PS de Seguro e de Assis é a ala esquerda da direita e não tenho dúvidas de que está mais à direita do que o PSD de Pacheco Pereira. Mas a campanha de Maria de Belém vai bem mais longe do que Marcelo, a candidata que faz da doutrina social da Igreja o seu programa parece ser do CDS pois aposta tudo nos velhinhos, está sendo levada ao colo pelas santas casas e outras instituições que usam a terceira idade como tropa de choque eleitoral. 
  
Bastava tirar o João Soares e colocar no seu lugar o Mota Soares, o nosso saudoso ministro Lambretas, para que com o mesmo discurso, a mesma postura, os mesmos argumentos e a mesma campanha Maria de Belém passasse a ser a candidata da direita conservadora. Maria de Belém usa os seus anos de sócia do PS e o seu currículo acumulado ao longo de décadas como garantia dos seus valores de esquerda, mas o seu discurso, os seus truques manhosos, a sua utilização dos velhinhos são tiques próprios da direita. 
  
Votar em Maria de Belém? Nunca e em circunstância alguma, Deus me livre de alguma vez chegar a esse estado de falta de inteligência. Não peças isso Tó, não engulo sapos por melhor cozinhados que sejam.


blog comments powered by Disqus