segunda-feira, janeiro 30, 2017

O lado positivo do Trump e de Theresa May



Ainda bem que o Trump existe, os americanos não são muito exigentes na hora de avaliar intelectualmente os seus presidentes e uma vasta maioria dos seus eleitores acredita em bruxas. Mais tarde ou mais cedo a América recuaria aos tempos em que Charles Lindberg estava junto a Hitler na abertura dos jogos de Berlim e liderava o movimento isolacionista americano.

A senhora Theresa May não é novidade nenhuma, representa o lado oportunista da presença do Reino Unido na União Europeia, agora que o seu país superou os problemas que enfrentou antes de entrar para a CEE, está convencida de que ganha mais estando fora da EU, beneficia do mercado comum ao mesmo tempo que não se sujeita a regras.

Ainda bem que Trump e Theresa May surgiram quase em simultâneo, agora o mundo e, em particular, a Europa sabem com o que podem contar. Trump tem sido muito objectivo no seu objectivo de destruir a EU, sabe que esta é o maior mercado mundo e para obter vantagens para os EUA precisa de dividir os países europeus. Theresa viu aqui a oportunidade de se vender, usa os EUA para negociar com a EU o Brexit lucrativo com que os britânicos sonha, ao mesmo tempo que usa o seu acesso às EU para obter vantagens comerciais nas suas negociações com os EUA.

Trump quer obter ganhos negociais dividindo os países da Ásia e da Europa, Theresa May está convencida de que o seu oportunismo compensa e sonha ganhar com este negócio sujo juntando-se a Trump. A Europa, a Ásia, a América do Sul, a América Central e o Canadá sabem com o que contam.

Os populistas europeus ainda elogiam Trump e Theresa May, mas não tardará muito para que se perceba que a estratégia do casal oportunista é destrutiva e que se conseguirem os seus intentos o mundo assistirá a um processo de retrocesso civilizacional, económico e social. Esse processo começa a ser claro e é bom que os populistas tenham tomado conta em simultâneo dos EUA e do Reino Unido, podendo dar largas à sua ambição.

Agora percebe-se que o populismo britânico não tem soluções, não passa de uma estratégia oportunista, o mesmo sucede com nos EUA, onde os ganhos conseguidos por Trump são temporários e conseguidos à custa de terceiros. Começa a ser óbvio que o populismo não cria riqueza beneficiando a América, a Europa ou o mundo, estamos perante políticas oportunistas das quais só resultarão prejuízos para colectivo. 

Temos de agradecer a Trump e a Theresa May por mostrarem ao mundo a natureza das suas soluções.

blog comments powered by Disqus